MAPA CONCEITUAL POR MEIO DO BRAINSTORMING E CLUSTERING: EXPERIÊNCIA NA DISCIPLINA PRÁTICA DE ENSINO EM FÍSICA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i1.9546

Palavras-chave:

Mapa conceitual. Ensino Superior. Prática em Ensino de Física.

Resumo

Vivemos em um mundo dinâmico, portanto é necessário que se pense e organize novas estratégias de ensino, pois um dos objetivos da Educação Básica é preparar o estudante para a cidadania. A disciplina Prática de Ensino em Física I trouxe abordagens sobre o processo de ensino-aprendizagem que possibilitam essa reflexão. Foi proposto aos estudantes que pensassem em possíveis respostas para as perguntas: Qual é o principal objetivo do ensino de Física e de Química no Ensino Fundamental? E como fazer para que este objetivo seja atingido? Visando tornar o processo mais significativo, foram organizadas equipes de estudantes que utilizaram o brainstorming e o clustering para a construção de um mapa conceitual para responder as questões. O processo de construção iniciou de modo individual, posteriormente, cada membro apresentou palavras, para que fossem agrupadas. Durante essas etapas as discussões se tornaram intensas, dando origem aos conceitos-chaves: construção humana, cotidiano, desejos, conhecimento cientifico, mobilização, Física e Química. Ao final, os acadêmicos utilizaram o CmapTools para construção do mapa conceitual e apresentaram suas conclusões. Foi possível constatar que não existe um único objetivo a se buscar, nem uma única forma para que ele seja alcançado, afinal a Educação é um sistema complexo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Referências

AGUIAR, J. G.; CORREIA, P. R. M. Como fazer bons mapas conceituais? Estabelecendo parâmetros de referências e propondo atividades de treinamento. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 13, n. 2, 2013.

AMORETTI, M. S. M. Protótipos e estereótipos: aprendizagem de conceitos mapas conceituais: experiência em educação a distância. Informática na educação: teoria e prática, v. 4, n. 2, 2001.

BESTERFIELD‐SACRE, M. Scoring concept maps: An integrated rubric for assessing engineering education. Journal of Engineering Education, v. 93, n. 2, 2004.

BROWN, T. et al. Design Thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Alta Books Editora, 2018.

BUCHELE, G. T. et al. Métodos, técnicas e ferramentas para inovação: o uso do brainstorming no processo de design contribuindo para a inovação. Pensamento & Realidade, v. 32, n. 1, 2017.

CMAPTOOLS. Informática Educativa. Disponível em: https://www.cp2.g12.br/blog/labre2/programas-e-tutoriais/cmap-tools/. Acesso em: 12/03/2019.

COSTA, A. R. C. et al. O pensamento criativo e o design. Convergências: Revista de Investigação e Ensino das Artes, 2011.

ARRUDA, S. M. et al. O pensamento convergente, o pensamento divergente e a formação de professores de ciências e matemática. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 22, n. 2, 2005.

LIMA, G. A. B. O. Mapa conceitual como ferramenta para organização do conhecimento em sistema de hipertextos e seus aspectos cognitivos. Perspectivas em ciência da informação, v. 9, n. 2, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 41ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GAVA, T. B. S.et al. Aplicações de mapas conceituais na educação como ferramenta metacognitiva. In: III International Conference on Engineering and Computer Education-ICECE. 2003.

MELO, A.; ABELHEIRA, R. Design Thinking & Thinking Design: Metodologia, ferramentas e uma reflexão sobre o tema. Novatec Editora, 2015.

MOREIRA, M. A. O mapa conceitual como instrumento de avaliação da aprendizagem. Educação e Seleção, n. 10, 2013.

NOVAK, J. D. Concept mapping: A useful tool for science education. Journal of research in science teaching, v. 27, n. 10, 1990.

RICE, D. C. et al.Using concept maps to assess student learning in the science classroom: Must different methods compete? Journal of Research in Science Teaching: The Official Journal of the National Association for Research in Science Teaching, v. 35, n. 10, 1998.

SAMPLE, J. A. Nominal group technique: An alternative to brainstorming. Journal of Extension, v. 22, n. 2, 1984.

SILVA, K. S. A neurociência cognitiva como base da aprendizagem de geometria molecular: um estudo sobre atributos do funcionamento cerebral relacionados à memória de longo prazo. 2018. 200p. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2018.

SILVEIRA, F. A. et al. Uso de mapas conceituais como instrumento de avaliação segundo o contexto da aprendizagem significativa. Caminhos da Educação Matemática em Revista/Online, v. 8, n. 2, 2018.

SCALETSKY, C.C. Pesquisa aplicada/pesquisa acadêmica–o caso Sander. Estudos em Design, v. 18, n. 2, 2010.

SCALETSKY, C. Design estratégico em ação. Unisinos

SOUZA, N. A. de et al. Mapas conceituais: estratégia de ensino/aprendizagem e ferramenta avaliativa. Educação em Revista, 2010.

WILLIAMS, S. D. Personality, attitude, and leader influences on divergent thinking and creativity in organizations. European Journal of Innovation Management, v. 7, n. 3, 2004.

Downloads

Publicado

2020-02-18

Como Citar

MELO, C. B. da S.; KIPPER, L. M. MAPA CONCEITUAL POR MEIO DO BRAINSTORMING E CLUSTERING: EXPERIÊNCIA NA DISCIPLINA PRÁTICA DE ENSINO EM FÍSICA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 163-171, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i1.9546. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/9546. Acesso em: 25 set. 2021.