EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E ECONOMIA SOLIDÁRIA

Autores

DOI:

10.26571/2318-6674.a2016.v4.n2.p80-93.i5330

Palavras-chave:

Educação básica, Educação de Jovens e Adultos, Formação continuada.

Resumo

A primeira experiência de formação continuada de profissionais da educação, em escala nacional, iniciou-se nos anos 1950. A Campanha de formação não durou duas décadas. Com sua extinção, a formação continuada restringiu-se a atividades descontínuas, geograficamente pulverizadas. Em 2011, o governo federal criou o sistema nacional de formação continuada, em regime de colaboração com estados e municípios. A retomada da formação continuada para professores de educação básica, incluiu programas específicos para professores de EJA. Contudo, os estudos sobre a formação continuada, em geral, e para professores de EJA, em específico, são incipientes e dispersos. Este artigo contextualiza o processo de formação, induzida pelo governo federal, como ambiência para o relato de uma experiência pioneira em Mato Grosso: a realização de um curso de pós-graduação lato sensu para professores de EJA. Com mediação da pesquisa exploratória e da narração documental, ambos – contextualização e relato da experiência – alicerçam a apreciação crítica da experiência realizada e do programa que a tornou possível. A crítica evidencia limites do regime de colaboração, da UFMT enquanto executora de ações de formação continuada e dos próprios cursistas. Conclui que a formação continuada é uma positividade inquestionável. Mas, superado o atual encolhimento por alegada falta de recursos, precisa ser requalificada, sobretudo, pela constituição de cada sistema de ensino como entidade formadora autônoma, que organiza e gerencia a formação continuada dos próprios professores, preferivelmente na escola, para constituir seu corpo docente, sem vínculo contratual precário, com formação adequada e comprometido com a qualidade da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Delarim Martins Gomes, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutor em Educação e Mestre em Filosofia. Percurso acadêmico: graduação em Ciências pela Faculdade Salesiana de Filosofia Ciências e Letras de Lorena (1973), graduação em Filosofia pela Faculdade Salesiana de Filosofia Ciências e Letras de Lorena (1977), graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação Ciências e Letras Urubupungá (1982), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Além de professor, foi Pró-Reitor Acadêmico - Centro Universitário Cândido Rondon - até julho de 2008. Atualmente, é professor de Organização e Funcionamento da Educação Básica, no Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso e assessor para elaboração dos Projetos Pedagógicos de cursos, na PROEG/UFMT. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Administração de Unidades Educativas, pesquisando principalmente nas seguintes áreas: políticas públicas em educação, habilidades, competências e gestão escolar.

Maria Urbana da Silva, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Possui graduação em Estudos Sociais pelo Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium (1973), graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Toledo (1971), mestrado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008). Atualmente é professora da Universidade de Cuiabá (UNIC) e do Centro Universitário Cândido Rondon (UNIRONDON). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Avaliação da Aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação, Estágio Curricular Supervisionado, Didática, Filosofia da Educação e Psicologia da Educação.

Publicado

2016-12-19

Como Citar

GOMES, D. M.; SILVA, M. U. da. EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS E ECONOMIA SOLIDÁRIA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 4, n. 2, p. 80–93, 2016. DOI: 10.26571/2318-6674.a2016.v4.n2.p80-93.i5330. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/5330. Acesso em: 25 jul. 2024.