CLUBES DE CIÊNCIAS BRASILEIROS: UM CENÁRIO EM PLATAFORMAS DIGITAIS (2020- 2023)

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.16518

Palavras-chave:

Clube de Ciências, Plataformas digitais, Ensino de Ciências, Atividades investigativas, Educação Básica

Resumo

Os clubes de Ciências são espaços dedicados a desenvolverem o conhecimento científico auxiliando os clubistas na compreensão e na interpretação do mundo à sua volta de uma maneira reflexiva, não aceitando as informações como verdade absoluta, mas assimilando-as e formando uma visão crítica sobre elas. O presente artigo objetivou investigar o panorama atual dos clubes de Ciências localizados no território brasileiro, verificando quais estão ativos ou não, bem como analisar as suas propostas de atividades. A metodologia da pesquisa foi qualitativa, caracterizando-se como um estudo exploratório e descritivo. Para a coleta dos dados foram feitas buscas em plataformas digitais (Instagram, Facebook, TikTok, YouTube e Google), utilizando o termo “clube de Ciências”. Os resultados revelaram que, dos 1.085 resultados de busca encontrados e cadastrados com o nome “clubes de Ciências”, apenas 281 referiam-se efetivamente a um clube de Ciências. Dentre os estados com maior representatividade estão São Paulo, Pará e Santa Catarina. As plataformas digitais mais utilizadas são o YouTube, Google e o Instagram. Dos 44 retornos das mensagens enviadas, 30 clubes estão ativos, 7 estão com as atividades suspensas e 7 foram temporariamente para o meio remoto. Além disso, identificou-se que a maioria dos clubes de Ciência desenvolve propostas predominantemente de cunho demonstrativo, não demonstrando a presença de atividades de iniciação científica. Portanto, destaca-se a relevância da implantação de clubes de Ciências e uma melhor exploração dos recursos digitais, buscando maior destaque para a socialização das propostas realizadas, a fim de colaborarem com a propagação do conhecimento científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rafaela Bressan Tadiello Santos, Escola de Educação Básica Educar-se, Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

Graduada em Ciências Biológicas/Licenciatura Plena e Ciências Biológicas/Bacharelado pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), RS, Brasil. Especialista em Educação Ambiental, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente professora titular da disciplina de Ciências dos Anos Finais, da Escola Educar-se, mestra em Educação em Ciências: Químicas da Vida e Saúde (UFRGS) e integrante do grupo de pesquisa e estudos em Educação do Campo e Ciências da Natureza (GPEEC) e co-fundadora do espaço CAMA DE GATO | aprendizagem ativa, um espaço para aulas particulares, acompanhamento escolar, workshops e atendimento especializado. Foi monitora nos Laboratórios de Ensino de Biologia da UNISC, e também bolsista voluntária no Grupo de Estudos e Trabalhos em Saúde Coletiva (GETESC).

Rosane Nunes Garcia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.

Licenciada em Ciências Biológicas (1992) e Bacharel em Ciências Biológicas (ênfase em genética) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994); mestre em Genética e Biologia Molecular (1997) e Doutora em Biologia Animal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Tem formação em Genética, com ênfase em Citogenética e Biologia Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: citogenética de cromossomos politênicos e caracterização de metilação no genoma de diferentes espécies de Drosophila. Também desenvolveu pesquisa sobre Terapia Gênica na MPS I. Atualmente é professora da carreira de EBTT no Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde coordena o grupo de pesquisa Alfabetização Científica no ensino básico que atua em três linhas de pesquisa: a) Alfabetização científica no ensino básico; b) Trajetórias criativas: investigação curricular nos anos finais do Ensino Fundamental; c) Processos de ensino e aprendizagem em ambientes formais e não formais. Atua também na formação inicial e continuada de professores por meio do Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores - LIFE / UFRGS e do Programa de Extensão Trajetórias Criativos - CAp / UFRGS que assessora docentes da rede pública de ensino no Rio Grande no atendimento a estudantes de 15-17 anos que ainda permanecem no Ensino Fundamental. É professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências do Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS) - UFRGS, atuando na linha de pesquisa Processos de ensino e aprendizagem em ambientes formais e não formais.

Referências

ASSIS, Maria Cristina de. Metodologia do trabalho científico. In: Evangelina Maria B. de Faria; Ana Cristina S. Aldrigue (Org.). Linguagens: usos e reflexões. 3 ed. João Pessoa: Editora Universitária UFPB. 2009. p. 35.

BENEDETTI FILHO, Edemar; GOMES, Letícia Asheley; MAIA, João Marcos Soares; MARTINS, Gabriel Moraes Reche; BARRETO, Caio Felipe da Silva. A importância da extensão universitária na formação docente de graduandos de licenciatura em Química. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, v. 5. n. 3 p. 61-75, 2020.

BRASIL. Assembleia Legislativa. Decreto nº 6, de 20 de março de 2020. Decreto Legislativo Nº 6 de 20 de Março de 2020. Brasília, BR, 20 mar. 2020. v. 1, n. 1, Seção 6. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/portaria/dlg6-2020.htm. Acesso em: 17 jan. 2024.

CACHAPUZ, António; GIL-PEREZ, Daniel; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de; PRAIA, João; VILCHES, Amparo. A necessária renovação do ensino de Ciências. São Paulo: Cortez, 2005. 264 p.

CHASSOT, Áttico. Educação conSciência. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2003.

CHASSOT, Áttico. A ciências através dos tempos. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2004.

COUTO, Mary Rose de Assis Moraes. Os clubes de Ciências e a Iniciação à Ciência: Uma Proposta De Organização no Ensino Médio. 2017. 249 f. Dissertação (Doutorado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

DELIZOICOV, Demétrio. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

DUÒ, Matteo. As 10 Melhores Soluções de Hospedagem de Vídeo a Considerar em 2022 (Gratuitas vs. Pagas). 2022. Disponível em: https://kinsta.com/pt/blog/hospedagem-video/. Acesso em: 29 set. 2022.

FEDERAL, Senado. Decretado fim da emergência sanitária global de Covid-19. 2023. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/radio/1/noticia/2023/05/08/decretado-fim-da-emergencia-sanitaria-global-de-covid-19. Acesso em: 17 jan. 2024.

FERREIRA, Aline Guterrez; SOUZA, Greice; SILVA, Daniela Alves. A Importância dos Clubes de Ciências do Campo na Educação do Meio Rural. In: SOARES, Jeferson Rosa; ROBAINA, José Vicente Lima; GALLON, Mônica da Silva; MEZALIRA, Sandra Mara [org.]. Debates em educação em ciências: desafios e possibilidades. 1.ed. Curitiba, PR: Bagai, 2020. p. 189-205.

FREITAS, Thais Campos de Oliveira; SANTOS, Carlos Alberto Moreira dos. Clube de Ciências na Escola: um guia para professores, gestores e pesquisadores. Curitiba: Brasil Publishing, 2020. 170 p.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LIMA, Daniela Bonzanini de; GARCIA, Rosane Nunes; GOULART, Lígia Beatriz. Uma análise das concepções sobre as práticas investigativas na Educação Básica. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 21, n. 68, p. 342-369, jan. 2021.

https://doi.org/10.7213/1981-416x.21.068.ao03.

MANCUSO, Ronaldo; LIMA, Valderez Marina do Rosário; BANDEIRA, Vera Alfama. Clube de Ciências: criação, funcionamento, dinamização. Porto Alegre: SE/CECIRS. 1996.

NÉRICI, Imídeo Giuseppe. Atividades Extraclasse no Ensino de 1º, 2º e 3º Graus. In: MANCUSO, Ronaldo; LIMA, Valderez Marina do Rosário; BANDEIRA, Vera Alfama. (Org.), Clube de Ciências: criação, funcionamento, dinamização. (pp. 245-255). Porto Alegre: SE/CECIRS. 1979.

NIC, Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. TIC Kids On-line Brasil Pesquisa sobre o Uso da Internet por Crianças e Adolescentes no Brasil - 2021. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2022.

NUNES, João Batista Mendes; GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver. Uma história de 40 anos do Clube de Ciências da UFPA. In: ENCONTRO NACIONAL DE CLUBES DE CIÊNCIAS, 2019, Pará. Encontro. Pará: UFPA, 2019. v. 1, p. 1-16. Disponível em: https://www.even3.com.br/anais/enacc/230062-uma-historia-de-40-anos-do-clube-de-ciencias-da-ufpa/. Acesso em: 17 jan. 2024.

OAIGEN, Edson Roberto. A influência das atividades não-formais e extraclasse na Iniciação à Educação Científica. Santa Maria: UFSM, 1990. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Maria, 1990.

PRÁ, Grazieli de; TOMIO, Daniela. Clube de Ciências: condições de produção da pesquisa em educação científica no Brasil. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, [s. l], v. 1, n. 1, p. 179-207, maio 2014.

ROBAINA, José Vicente Lima; FERREIRA, Aline Guterres; SILVA, Daniela Alves da; SOUZA, Greice. Os clubes de Ciências do Campo na Educação do Campo: 5 anos de história. In: Encontro sobre investigação na escola: experiências, diálogo e (re)escritas em rede, 7 EIE, 2021, Porto Alegre: UFRGS, 2022. v 1. n 2. p. 1-5.

RODRIGUES, Andressa Luana Moreira; ROSA, Sabrina Silveira; ROBAINA, José Vicente Lima. Clubes de Ciências: o ensino de ciências a partir do território escolar contemplando os diferentes saberes. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2021, Goiás. Anais [...]. Goiás: ENPEC, 2021. p. 1-8.

RODRIGUEZ, Carmen del Pilar Suarez; LÉON-LOMELÍ, Luz Roxana de; GAMBOA-LEÓN, Miriam Rubi de los Milagros; ZAMORA-PEDRAZA, Cynthia. Formación Científica Stem, Experiencias de Aprendizaje a partir de Clube de Ciencias. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S.L.], v. 9, n. 1, p. 1-20, 28 jan. 2021. Revista REAMEC. http://dx.doi.org/10.26571/reamec.v9i1.11192.

ROSITO, Berenice Alvares; LIMA, Valderez Marina do Rosário. Conversas sobre Clubes de Ciências. Porto Alegre: Edipucrs, 2020.

SASSERON, Lúcia Helena; MACHADO, Vitor Fabrício. Alfabetização Científica na prática: inovando a forma de ensinar Física. 1. ed. São Paulo. Editora Livraria da Física, 2017.

SCHMITZ, Vanderlei; TOMIO, Daniela. O Clube de Ciências como prática educativa na escola: uma revisão sistemática acerca de sua identidade educadora. Investigações em Ensino de Ciências, [S.L.], v. 24, n. 3, p. 305, 30 dez. 2019.

SILVA, Jeremias Borges; BORGES, Christiane Philippini Ferreira. Clube de Ciências como um ambiente de formação profissional de professores. XVIII Simpósio Nacional de Ensino de Física – SNEF, Vitória. v. 2. n. 6. 2009.

SOUSA, Nilciane Pinto Ribeiro de; VIANA, Rodney Haulien Oliveira; FERREIRA, Gecilane Ferreira; NOGUEIRA, Leonardo Cipriano. Clube de Ciências: um olhar a partir das teses e dissertações brasileiras. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S.L.], v. 9, n. 3, p. 1-22, 30 set. 2021. Revista REAMEC. http://dx.doi.org/10.26571/reamec.v9i3.12435.

TASQ. Twitter Announces Second Quarter 2022 Results. Disponível em: https://investor.twitterinc.com/home/default.aspx. Acesso em: 01 set. 2022.

TOMIO, Daniela; HERMANN, Andiara Paula. Mapeamento dos Clubes de Ciências da América Latina e construção do site da Rede Internacional de Clubes de Ciências. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências., Belo Horizonte, v. 3. n. 5. p. 1-23, 2019.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

SANTOS, R. B. T. .; GARCIA, R. N. . CLUBES DE CIÊNCIAS BRASILEIROS: UM CENÁRIO EM PLATAFORMAS DIGITAIS (2020- 2023). REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24007, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.16518. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16518. Acesso em: 13 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.