ABORDAGEM HISTÓRICA EM MANUAIS DO ENSINO SUPERIOR EM QUÍMICA: NOMENCLATURA E ALQUIMIA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.16486

Palavras-chave:

História da Química, Manuais para o Ensino Superior, Alquimia

Resumo

Para graduandos em Química, é importante ter uma perspectiva histórica da formação dessa ciência a fim de compreender os processos de quebra de paradigmas que levaram ao estabelecimento de saberes e ao abandono de teorias alquímicas. Com esse objetivo – de abordagem da perspectiva histórica –, esta pesquisa analisou a presença de discussões acerca da ruptura com a alquimia e a construção da nomenclatura química, presentes nos principais manuais (livros) de Química utilizados no Brasil para o Ensino Superior. Os manuais foram selecionados observando-se as ementas de três universidades públicas para as disciplinas de Química Geral, Físico-Química, Química Analítica e Química Orgânica. A partir disso, os textos e recursos visuais relacionados ao tema definido, ou que mencionassem a construção do conhecimento como um complexo processo, foram analisados por meio da Análise Textual Discursiva. Constatou-se que, por seu caráter expositivo, os manuais praticamente não apresentam tais discussões, apresentando a nomenclatura de forma a-histórica e atemporal, o que não permite aos estudantes reconhecer a revolução científica que deu origem à Química. Dessa forma, cabe a professores e a disciplinas específicas, quando existentes na grade curricular, a função de promover a formação crítica e reflexiva dos futuros cientistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Yana Bárbara da Silva Teixeira , Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, Amazonas, Brasil

Graduada em Licenciatura em Química pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e mestranda em Ensino de Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) da Universidade Federal do Amazonas. Desenvolveu pesquisas abordando a história da química; a natureza e a concepção de ciência; história, filosofia e sociologia da ciência; e experimentação investigativa. Participa do grupo de pesquisa Laboratório de Filosofia e Ensino de Ciências (LAFECi) e é editora de layout da revista Caderno Amazonense de Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática (CECi), o periódico do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM) da UFAM.

Priscila Duarte de Lira, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, Amazonas, Brasil.

Licenciada em Química pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam/2018), Mestra em Ensino de Química (Ufam/2021), atualmente Doutorando em Ensino de Química (Ufam), membro do Laboratório de Filosofia e Ensino de Ciências (LaFECi). Diretora de Ciência e Tecnologia e Inovação da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), Tesoureira da Associação de Pós-Graduandos da Ufam (APG-UFAM) e membro da União de Negros e Negras pela Igualdade (UNEGRO-AM).Áreas de atuação: Formação de professores; Educação para Relações Étnico-Raciais no ensino de Química e Ciências; Química de produtos naturais, divulgação cientifica e politicas de inclusão, diversificação e democracia para juventude.

Ettore Paredes Antunes, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, Amazonas, Brasil.

Químico, mestre em Química (Físico-Química) e Doutor em Química na área de Ensino de Química. Atualmente docente na Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Manaus. Têm interesse em pesquisas na intersecção entre as áreas da História, Filosofia, Psicologia e Sociologia da Ciência e o Ensino de Ciências. Orienta nos PPGQ e PPGECIM. Líder do Laboratório de Filosofia e Ensino de Ciências (LAFECi) - lafeci.com.br.

Referências

ALFONSO-GOLDFARB, A. M. Da Alquimia à química: um estudo sobre a passagem do pensamento mágico-vitalista ao mecanicismo. São Paulo: Landy Editora, 2005.

ALFONSO-GOLDFARB, A. M. O que é história da ciência? São Paulo: Brasiliense, 1994.

BROWN, T. L.; et al. Química: a ciência central. 13. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2016.

CHAUÍ, M. A universidade pública sob uma nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 5-15, 2003. https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000300002

COLTURATO, A. R.; MASSI, L. O caso de Nicolas Leblanc e a produção da soda: elementos para compreensão da natureza da ciência. Alexandria, v. 14 n. 1, 2021. https://doi.org/10.5007/1982-5153.2021.e71971

COSTA, P. F. da. Simbologia e alegoria na linguagem alquímica. Boletim da Sociedade Portuguesa de Química, série II, n. 87, 2002. https://dx.doi.org/10.52590/M3.P612.A30001088

FARIAS, R. F. Os vitríolos e a síntese dos ácidos nítrico, clorídrico e sulfúrico. Mens Agitat, vol. 15, p. 10 - 12, 2020. Disponível em: https://mensagitat.org/numeros-anteriores-archive/. Acesso em: 29 maio 2023.

FERNANDES, M. A. M.; PORTO, P. A. Investigando a presença da história da ciência em livros didáticos de Química Geral para o ensino superior. Quím. Nova, vol. 35, n. 2, 2012. https://doi.org/10.1590/S0100-40422012000200034

HARAGUCHI, S. K.; SILVA, A. A. Poliedros orgânicos: um jogo didático para o ensino de nomenclatura dos compostos orgânicos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 1–26, 2021. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/2740 . Acesso em: 29 abr. 2023.

KOTZ, J. C.; et al. Chemistry and chemistry reactivity. 10. ed. Boston: Cengage Learning, 2018.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 5 ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1998.

LIMA, A. L.; SOARES, M. H. F. B. E a parte da história que não é contada? reflexões feministas sobre a história da ciência. REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e22071, 2022. https://doi.org/10.26571/reamec.v10i3.14266

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. 2. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

MORIN, E. Ciência com consciência. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2005.

NASCIMENTO, L. A. do; CARVALHO, H. R. de; SILVA, B. V. da C. Discutindo vícios historiográficos com professores de ciências em formação. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 497-518, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.9885

PEREIRA, L. dos S. Proposta de uso da abordagem Team-Based Learning em aulas de história da Química no ensino remoto: discutindo a relação entre a Alquimia e a Química. Revista de Estudos em Educação e Diversidade – REED, [S. l.], v. 3, n. 7, p. 1-22, 2022. https://doi.org/10.22481/reed.v3i7.10269

RAUPP, D.; PINO, J. D. Estereoquímica no Ensino Superior: historicidade e contextualização em livros didáticos de Química Orgânica. Acta Scientiae, v.17, n.1, jan./abr. 2015. Disponível em: http://posgrad.ulbra.br/periodicos/index.php/acta/article/view/331. Acesso em: 29 abr. 2023.

SOLOMONS, T. W. G.; FRYHLE, C. B. SNYDER, S. A. Química Orgânica. vol. 1. 12 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2018.

SOUSA, F. E. I.; VERAS-DOS-SANTOS, D. S.; VERA, E. N. O. O estado da arte do ensino da química no brasil, 2000-2014. Cadernos Cajuína, vol. 1, n. 3, 2016, p. 44-52, 2016. http://dx.doi.org/10.52641/cadcaj.v1i3.30

SOUZA, J. T. de; BOTELHO, S. de O.; MEDEIROS, T. M. C. de; RIVERA, R. C. da S. Um ensaio para o estado da arte: história da ciência no processo de ensino aprendizagem da Física. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 7, n. 1, p. 171–195, 2019. https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2019.v7.n1.p171-195.i8039

VARGAS, N. de S. Aspectos históricos da alquimia. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Analitica, v.35, nº2, p. 69-76, 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-08252017000200008 . Acesso em: 10 abr. 2023.

Downloads

Publicado

2023-10-30

Como Citar

TEIXEIRA , Y. B. da S. .; LIRA, P. D. de .; ANTUNES, E. P. ABORDAGEM HISTÓRICA EM MANUAIS DO ENSINO SUPERIOR EM QUÍMICA: NOMENCLATURA E ALQUIMIA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23067, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.16486. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16486. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Rede de Formação e Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática