O USO DE MAPAS CONCEITUAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE CÉLULAS NO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.16280

Palavras-chave:

Sequência Didática, Aprendizagem Significativa, Ensino de Ciências

Resumo

Uma das dimensões que envolvem o processo educativo é a inter-relação entre o ensino e a aprendizagem, considerando-o em uma ação única e inerente: ensino-aprendizagem. Nesse sentido, este artigo tem por objetivo analisar o processo de ensino-aprendizagem sobre a temática células com o uso de mapas conceituais (MCs). Diante disso, foi elaborada uma proposta de Sequência Didática (SD) fundamentada nos pressupostos da Teoria da Aprendizagem Significativa, de David P. Ausubel, e dos Mapas Conceituais, de Joseph Novak. As atividades foram estruturadas a fim de resgatar os conhecimentos prévios dos estudantes e relacioná-los às novas informações, tornando o conteúdo mais próximo de seu cotidiano para, assim, diminuir o grau de abstração do assunto. Os aspectos metodológicos para a coleta e análise de dados se apoiaram nos pressupostos da pesquisa qualitativa de natureza estudo de caso e utilizaram dois questionários semiestruturados e a produção de MCs como instrumentos de coleta de dados. A pesquisa se desenvolveu com a participação de 25 estudantes de uma turma de 6º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública. Os resultados indicaram que houve um avanço conceitual no decorrer da SD com a apropriação de novos conceitos. Por outro lado, notou-se como principal desafio a familiaridade com a nomenclatura técnica. Em suma, pode-se apontar que a produção de MCs aliada às atividades desenvolvidas durante a SD foi uma ferramenta didática eficaz, pois possibilitou a mudança das concepções prévias e promoveu uma organização conceitual, potencializando, assim, o processo de ensino-aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kleyva de Almeida Castro, Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (SEDUC), Primavera do Leste, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012). Mestrado em Ensino de Ciências Naturais no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais da Universidade Federal de Mato Grosso (2022). Atualmente é professora da Educação Básica - Secretaria de Estado de Educação do Estado do Mato Grosso. Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase no processo de ensino-aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: mapa conceitual. ensino de ciências. sequência didática.

Lenicy Lucas de Miranda Cerqueira, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Doutora em Ciências (Genética) pela USP - Universidade de São Paulo (2005), mestra em Genética e Melhoramento Animal pela UNESP - campus de Jaboticabal (2000) e graduada em Ciências Biológicas pela UFMT - Universidade Federal de Mato Grosso (1997). É Professora Associada IV da Universidade Federal de Mato Grosso, campus Cuiabá. É credenciada no Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências Naturais (PPGECN) e no PROFBio - Mestrado Profissional em Rede.

Referências

ALVES, H. R.; RIBEIRO, M. T. D. Uma proposta de sequência didática para o ensino de soluções. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 8, n. 1, p. 302–322, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i1.9748

AGRA, G. et al. Análise do conceito de Aprendizagem Significativa à luz da Teoria de Ausubel. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 72, n. 1, p. 248-255, 2019. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0691

AGUIAR, J. G.; CORREIA, P. R. M. Como fazer bons mapas conceituais? Estabelecendo parâmetros de referências e propondo atividades de treinamento. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 13, n. 2, p. 141-157, mai./ago., 2013. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4265. Acesso em: 7 ago. 2023.

AGUIAR, J. G.; CORREIA, P. R. M. Análise da proficiência em mapeamento conceitual a partir da análise estrutural da rede proposicional. Ciência e Educação (Bauru), v. 23, n. 1, jan./mar., 2017. https://doi.org/10.1590/1516-731320170010005

ALBERTS, B. et al. Biologia molecular da célula. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano, 2003.

BASTOS, F. O conceito de célula viva entre os alunos de segundo grau. Em Aberto, v. 11, n. 55, p. 63-69, 1992. Disponível em: http://www.emaberto.inep.gov.br/ojs3/index.php/emaberto/article/view/2162/1901. Acesso em: 15 jun. 2023.

BOUZON, Z. L.; GARGIONI, R.; OURIQUES, L. Biologia Celular. 2. ed. Florianópolis: BIOLOGIA/EAD/UFSC, 2010. 238p.

BRITO SILVA, J. M.; DE MIRANDA CERQUEIRA, L. L. Plataforma youtube® como ferramenta para o ensino de biologia. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 8, n. 2, p. 774–792, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.10191

CAÑAS, A. J. et al. Confiabilidade de uma taxonomia topológica para mapas conceituais. In: Segunda Conferência Internacional sobre Mapeamento de Conceitos. San José, Costa Rica. 2006. Disponível em: http://cmap.unavarra.es/rid=1RKTWRPDX-16DDM13-2Q8/topologiaMC.pdf. Acesso em: 10 maio 2023.

CAÑAS, A. J.; NOVAK, J. D.; REISKA, P. Qual bom é meu mapa conceitual? Eu sou um bom mapeador? Gestão do conhecimento e aprendizagem, v. 7, n. 1, p. 6-19, mar., 2015. https://doi.org/10.34105/j.kmel.2015.07.002

CORREIA, P. R. M. et al. Mapas conceituais como ferramenta de avaliação: desafios e possibilidades de mudanças na sala de aula. In: Encontro Nacional de Pesquisas em Educação em Ciências. 2009. Disponível em: http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/viienpec/VII%20ENPEC%20-%202009/www.foco.fae.ufmg.br/cd/pdfs/1262.pdf. Acesso em: 13 maio 2023.

CRESWELL, J. W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa. 3. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

FRANÇA, J. A. A. Ensino-Aprendizagem do Conceito de “Célula Viva”: proposta de estratégia para o ensino fundamental. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2015. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/18983/1/2015_JacquelineAlvesAra%C3%BAjoFran%C3%A7a.pdf. Acesso em: 3 jun. 2023.

KINCHIN, I. M.; HAY, D. B.; ADAMS, A. Como uma abordagem qualitativa para a análise de mapas conceituais pode ser usada para auxiliar o aprendizado ilustrando padrões de desenvolvimento conceitual. Pesquisa Educacional, v. 42, n. 1, p. 43-57, 2020. https://doi.org/10.1080/001318800363908

LINHARES, I.; TASCHETTO, O. M. A citologia no ensino fundamental. O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense. Curitiba: SEED, v. 1, p. 1-25, 2011. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1899-8.pdf. Acesso em: 6 maio 2023.

LOPES, S.; ROSSO, S. BIO: volume único. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia

científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação (Bauru), v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003. https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e diagramas V. Porto Alegre: Ed. do Autor, 2006. 103p.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Aprendizagem significativa, organizadores prévios, mapas conceituais, digramas V e Unidades de ensino potencialmente significativas, 2012. 41p. Disponível em: http://moreira.if.ufrgs.br/mapasport.pdf. Acesso em: 3 maio 2023.

MOREIRA, M. A.; MASINI, E. F. S. Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982. 112p.

NOVAK, J. D.; CAÑAS, A. J. A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis educativa, v. 5, n. 1, p. 9-29, jan./jun., 2010. https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.5i1.009029

NOVAK, J. D.; GOWIN, D. B. Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 1984.

PALMERO, M. L. R.; MOREIRA, M. A. Modelos mentais da estrutura e funcionamento da célula: dois estudos de casos. Investigações em Ensino de Ciências, v. 4, n. 2, p. 121-160, ago., 1999. Disponível em: https://ienci.if.ufrgs.br/index.php/ienci/article/view/606. Acesso em: 6 jun. 2023.

SARTORI, J.; LONGO, M. Práticas investigativas no ensino de ciências na educação básica. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 9, n. 3, p. e21075, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i3.11976

SOUZA, E. M.; MESSEDER, J. C. Deu ciência na costura: modelo celular didático artesanal. Ensino, Saúde e Ambiente, v.11, n. 2, p. 80-101, set., 2018. https://doi.org/10.22409/resa2018.v11i2.a21292

TAVARES, R. Aprendizagem significativa. Revista Conceitos, v.10, n. 55, p. 55-60, jul./jun., 2004. Disponível em: https://cmapspublic3.ihmc.us/rid=1227265963609_1109896658_6327/AprendizagemSignificativaConceitos.pdf. Acesso em: 7 jun. 2023.

TAVARES, R. Construindo mapas conceituais. Ciências & Cognição, v. 12, n. 11, p. 72-85, 2007. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/641. Acesso em: 7 jun. 2023.

TRINDADE, J. O. Ensino e aprendizagem significativa do conceito de ligação química por meio de mapas conceituais. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós Graduação em Química, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/6632/3457.pdf. Acesso em: 13 jun. 2023.

TORREZAN SANCHES DANTAS, A.; TEIXEIRA DE OLIVEIRA, M. Construção e aplicação de uma sequência didática utilizando o smartphone como recurso tecnológico para o ensino de biologia. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 8, n. 1, p. 194–210, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i1.9483

VIGARIO, A. F.; CICILLINI, G. A. Os saberes e a trama do ensino de Biologia Celular no nível médio. Ciência & Educação (Bauru), v. 25, n. 1, p. 57-74, 2019. https://doi.org/10.1590/1516-731320190010005

WOMMER, F. G. B.; MICHELOTTI, A.; LORETO, E. L. S. Proposta didática para o ensino de biologia celular no ensino fundamental: a história da ciência, experimentação e inclusão. Educação, Tecnologia e Sociedade, v. 12, n. 2, p. 190-197, 2019. https://doi.org/10.14571/brajets.v12.n2.190-197

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

CASTRO, K. de A. .; CERQUEIRA, L. L. de M. . O USO DE MAPAS CONCEITUAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE CÉLULAS NO ENSINO FUNDAMENTAL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24005, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.16280. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16280. Acesso em: 17 abr. 2024.