PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO E TÉCNICO INTEGRADO SOBRE O BIOMA CAATINGA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.16071

Palavras-chave:

Conservação, Educação Ambiental, . Semiárido, Unidades de Conservação

Resumo

É consenso que o conhecimento é pressuposto fundamental para preservação de qualquer bioma. Entretanto, um a cada três adolescentes não sabe informar em que bioma vivem, sendo uma informação bastante preocupante quando pensamos na preservação da biodiversidade para as futuras gerações. O objetivo principal deste estudo é investigar se essa proporção é a mesma na região do semiárido da Paraíba e avaliar o conhecimento e a percepção de estudantes do ensino médio integrado ao técnico em agropecuária sobre o bioma Caatinga. Os dados foram coletados através de um formulário, contendo 13 questões objetivas e discursivas, aplicado a 77 alunos do primeiro ano. Dentre eles, cerca de 53% afirmaram que vivem no bioma Caatinga, superando a média nacional. Os discentes citaram plantas e animais nativos do bioma; espécies introduzidas, exóticas ou domesticadas foram frequentemente relatadas (ex.: nim e boi). Infelizmente, nenhum estudante já esteve em uma Unidade de Conservação, mas os estudantes citaram várias formas de preservação e conservação da Caatinga, como não provocar queimadas, não poluir os rios e não desperdiçar alimentos. Os alunos ilustraram a paisagem do bioma Caatinga com poucos elementos, além de outros que carregam uma visão negativa do bioma. Todo o conteúdo trabalhado no questionário foi dialogado em uma roda de conversa, que trouxe a explicação de vários conceitos e elucidou dúvidas dos entrevistados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Danielly da Silva Lucena, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campus Catolé do Rocha, Paraíba, Brasil.

Formada em Ciências Biológicas/Licenciatura pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Mestre e Doutora em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Experiência em estudos florísticos para a Caatinga e Mata Atlântica, desenvolvidos especialmente com plantas trepadeiras, do extrato herbáceo e, de afloramentos rochosos. Desenvolve também estudos taxonômicos para a família Olacaceae s.l. com ênfase nos gêneros Cathedra Miers. e Heisteria Jacq. Atualmente, professora substituta no curso de agronomia da Universidade Estadual da Paraíba - UEPB.

Aline Melo, Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Doutorado pelo Programa de Pós Graduação em Biologia Vegetal, PPGBV- UFPE (2017-2021), mestrado pelo mesmo programa (2011 - 2013), no qual trabalhei com florística e taxonomia da família Piperaceae. Graduação em Ciências Biológicas- Modalidade Ambientais pela Universidade Federal de Pernambuco (2005-2009), onde atuei com taxonomia e florística de famílias com representantes mico-heterótrofos em Pernambuco (Gentianaceae e Burmanniaceae). Atuo principalmente com taxonomia de Piperaceae, assim como de Burmanniaceae, Gentianaceae e Triuridaceae na Mata Atlântica Nordestina e Amazônia. Atualmente sou bolsista de Desenvolvimento Científico Regional- DCR, cooperação entre o CNPq e FAPEMAT.

Marinalva Valdevino dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Graduada em Licenciatura plena em Ciências Biológicas, pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), com Experiência em Ecologia vegetal e impactos ambientais. Especialista em Educação Ambiental pelas Faculdades Integradas de Patos (FIP). Mestre em Ciências Florestais, pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), atuando em pesquisas na área de Educação, Naturezas, Culturas e relações sociedade-natureza, pela ótica dos saberes dos povos originários/nativos e também sobre a agricultura familiar no semiárido. Educadora popular e formadora da educação popular, desenvolvendo trabalhos de produtora cultural e roteirista, com enfoque em cultura e memória do semiárido. Doutoranda em Educação pelo PPGED/UFRN e membro do grupo de pesquisa GRECOM/UFRN. Professora da Educação básica de ciências e biologia e pesquisadora do ARBOR, Grupo de pesquisa e estudos em Ciências da vida e Pensamento Complexo (UFCG/UFRN) e do Grupo de pesquisa em História dos Sertões da UFRN/Caicó-RN. Indígena da Retomada étnico-identitária-cultural dos povos originários Kariri e Tapuya Tarairiú da Paraíba e colaboradora do projeto de extensão "Memórias indígenas" da UFAL/ AL. Nome indígena Takamara Karirí Tapuya Tarairiú.

Reginaldo Gonçalves Leão Junior, Instituto Federal de Minas Gerais - Campus Avançado Arcos (IFMG), Minas Gerais, Brasil.

Doutor e Mestre em Ciência das Radiações pela Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (2012, 2018), especialista em Física pelo Departamento de Ciências Exatas da Universidade Federal de Lavras (2009), graduado em Física pelo Centro Universitário de Formiga (2007) e graduando em Engenharia Química. Atuou como docente de Física e Matemática na Educação Básica, como auxiliar docente no ensino de Física das Radiações na Escola de Medicina da UFMG e desde 2014 pertence ao quadro efetivo de docentes do Instituto Federal de Minas Gerais. Possui experiência em Engenharia Química, Ciências Térmicas, Métodos Numéricos, Dinâmica Molecular e Engenharia Biomédica.

Referências

AGÊNCIA BRASIL. Um em cada 3 jovens não sabe em que bioma vivem, aponta pesquisa. 2023. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2023-04/um-em-cada-3-jovens-nao-sabem-o-bioma-em-que-vivem-aponta-pesquisa. Acesso em: 01 jul. 2023.

ALMEIDA, M. C. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. 2. ed. e ampl. - São Paulo: Editora Livraria da Física, 2017.

ALVES, J. J. A. Geoecologia da caatinga no semiárido do Nordeste brasileiro. Climatologia e Estudos da paisagem, v. 2, n. 1, p. 58-71, 2007. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/climatologia/article/view/266. Acesso em: 25 jun. 2023.

ALVES, J. J. A.; ARAÚJO, M. A.; NASCIMENTO, S. S. Degradação da Caatinga: uma investigação ecogeográfica. Caatinga, v. 22, n. 3, p. 126-135, 2009. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/caatinga/article/view/560. Acesso em: 25 jun. 2023.

ALVES, J. E. Toxicidade do Nim (Azadirachta indica A. Juss.: Meliaceae) para Apis mellifera e sua importância apícola na Caatinga e Mata litorânea Cearense. 2010. 142 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Fortaleza, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/17036/1/2010_tese_jealves.pdf. Acesso em: 24 jul. 2023.

ARAÚJO, C. S; SOBRINHO, J. F. O bioma Caatinga no entendimento dos alunos da rede pública de ensino da cidade de Sobral, Ceará. Homem, espaço e tempo, v. 1, n. 1, p. 34-51, 2009. Disponível em: https://rhet.uvanet.br/index.php/rhet/article/view/54/42. Acesso em: 30 jul. 2023.

ARAÚJO, B. F.; SOVIERZOSKI, H. H. Percepção dos estudantes do ensino médio sobre os biomas de Caatinga e Mata Atlântica. Pesquisa em Educação ambiental, v. 11, n. 1, p. 110-124, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.18675/2177-580X.vol11.n1.p110-124.

AVAZI, M. R. Ecopedagogia. In: LAYRARGUES, P. P. (Org.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente. 2004. Disponível em: http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/3507. Acesso em: 23 set. 2023.

BIZERRIL, M. X. A. O. Children's perceptions of Brazilian Cerrado landscapes and biodiversity. Journal Environmental Educacion. vol. 35: p. 47-58, 2004. DOI: https://doi.org/10.3200/JOEE.35.4.47-58.

BRASIL. Lei nº 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acessado em: 22 set. 2023.

BRASIL. Catálogo Nacional de Cursos Técnicos: Técnico em Agropecuária. Brasília: Ministério da Educação, 2008. Disponível em: <http://cnct.mec.gov.br/cursos/curso?id=205>. Acessado em: 25 set. 2023.

BRASIL. Decreto nº 11.552 de 5 de junho de 2023. Cria o Parque Nacional da Serra do Teixeira, localizado nos Municípios de Água Branca, Cacimba de Areia, Catingueira, Imaculada, Juru, Mãe d'Água, Matureia, Olho d'Água, Santa Terezinha, Santana dos Garrotes, São José do Bonfim e Teixeira, Estado da Paraíba. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2023-2026/2023/decreto/D11552.htm>. Acessado em: 12 jul. 2023.

CARNEIRO, D. O.; SANTOS, M. A. F. Percepção ambiental da Caatinga: Um estudo de educação ambiental comunitária. Revista Macambira, v. 2, n. 2, p. 5-20, 2018. Disponível em: https://revista.lapprudes.net/index.php/RM/article/view/221. Acesso em: 06 jul. 2023.

CARVALHO, L. D. Um sentido de pertencimento ao território semiárido brasileiro: A ressignificação da territorialidade sertaneja pela convivência. Revista Geografia, n. 28, v. 2, p. 60-76, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/228949/2335. Acesso em: 06 jul. 2023.

CARVALHO, J. P. G. Biomas brasileiros como eixo central no ensino de biologia: Relatos e vivências compartilhadas no CEJA do município de Brusque. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Biologia, Florianópolis, 2019. 119p. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/215118. Acesso em: 07 jul. 2023.

CNIP- Centro Nordestino de Informações sobre Plantas da Associação Plantas do Nordeste. Unidades de Conservação. Disponível em: <http://www.cnip.org.br/uc.html>. Acesso em: 12 jul. 2023.

COSTA, T. C. C.; OLIVEIRA, M. A. J.; ACCIOLY, L. J. O.; SILVA, F. H. B. B. Análise da degradação da caatinga no núcleo de desertificação do Seridó (RN/PB). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 13 (Suplemento), p. 961–974, 2009. Disponível em: http://www.agriambi.com.br/revista/suplemento2009/index.htm. Acesso em: 25 jun. 2023.

COUTINHO, L. M. O Conceito de Bioma. Acta Botanica Brasilica, v. 20, n. 1, p. 13-23, 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-33062006000100002.

CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Diagnóstico do município de Catolé do Rocha, estado da Paraíba. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. MASCARENHAS, J. C.; BELTRÃO, B. A.JÚNIOR, L. C. S.; MORAIS, F.; MENDES, V. A. MIRANDA, J. L. F. (Orgs.) Recife: CPRM/PRODEEM, 2005. Disponível em: https://rigeo.cprm.gov.br/jspui/bitstream/doc/16020/2/Rel_Catol%C3%A9_Rocha.pdf. Acesso em: 13 jun. 2023.

DIAS, Genebaldo Freire. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Editora Gaia, 2010.

FLORA E FUNGA DO BRASIL. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/. Acesso em: 11 jul. 2023

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2004. Disponível em: https://nepegeo.paginas.ufsc.br/files/2018/11/Pedagogia-da-Autonomia-Paulo-Freire.pdf. Acesso em 02 jul. 2023.

GIULITTI, A. M.; HARLEY, R. M.; QUEIROZ, L. P.; RAPINI, A. Apresentando o cenário. In: QUEIROZ, L. P.; RAPINI, A.; GIULITTI, A. M (Org.). Rumo ao amplo conhecimento da biodiversidade do semiárido brasileiro. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2006. Disponível em: https://livroaberto.ibict.br/handle/1/978. Acesso em: 02 jul. 2023.

GUIMARÃES, M. Educação ambiental: participação para além dos muros da escola. In: MELLO, S. S.; TRAJBER, R. (Org.). Vamos cuidar do Brasil : conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao3.pdf. Acesso em: 02 jul. 2023.

HAMMES, V. S. Percepção Ambiental. In: HAMMES, V. S.(Org.). Proposta Metodológica de Macroeducação. Brasília: Embrapa Meio Ambiente, 2012. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/128267/1/EDUCAcaO-AMBIENTAL-vol-2-ed03-2012.pdf. Acesso em: 02 jul. 2023.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb/catole-do-rocha/panorama. Acesso em: 12 de jul. 2023.

LEÃO, T. C. C.; ALMEIDA, W. R.; DECHOUM, M. S.; ZILLER, S. R. Espécies Exóticas Invasoras no Nordeste do Brasil: Contextualização, Manejo e Políticas Públicas. Recife: Cepan, 2011. Disponível em: http://www.lerf.eco.br/img/publicacoes/2011_12%20Especies%20Exoticas%20Invasoras%20no%20Nordeste%20do%20Brasil.pdf. Acesso em: 20 jul. 2023.

LOIOLA, M. I. B.; ROQUE, A. A.; OLIVEIRA, A. C. P. Caatinga: Vegetação do semiárido brasileiro. Revista Online da Sociedade Portuguesa de Ecologia, v. 4, n. 1, p. 14-19, 2012. Disponível em: https://silo.tips/download/caatinga-vegetaao-do-semiarido-brasileiro. Acesso em: 02 jul. 2023.

MAIA, J. M.; SOUSA, V. F. O.; LIRA, E. H. A.; LUCENA, A. M. A. Motivações socioeconômicas para a conservação e exploração sustentável do bioma Caatinga. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 41, n. 1, p. 295-310, 2017. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/made/article/view/49254. Acesso em: 02 jul. 2023.

MARCZWSKI, M. Avaliação da percepção ambiental em uma população de estudantes do ensino fundamental de uma escola municipal rural: Um estudo de caso.Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Biociências, Programa de Pós graduação em Ecologia, Porto Alegre, 2006. 188 f. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/8617. Acesso em 01 jul. 2023.

MEDEIROS, R. B. N., ARANDAS, J. K. G., ALVES, A. G. C., ALVES, R. R. N., RIBEIRO, M. N. Conflitos entre criadores da raça Moxotó e animais silvestres no semiárido pernambucano. Medicina Veterinária (UFRPE), v. 14, n. 4, p. 228-236, 2020. https://doi.org/10.26605/medvet-v14n4-2525

MELO, M. C. H.; CRUZ, G. C. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no ensino médio. Imagens da Educação, v. 4, n. 2, p. 31-39, 2014. Disponível em: <https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ImagensEduc/article/view/22222>. Acesso em: 29 jul. 2023.

MMA. Caatinga: Monitoramento do Desmatamento dos Biomas Brasileiros por Satélite

Relatório Técnico 2010-2011. [S.l.]: Ministério do Meio Ambiente, 2011. Disponível em: https://antigo.mma.gov.br/projeto-de-monitoramento-do-desmatamento-nos-biomas-brasileiros-por-satelite-pmdbbs.html. Acesso em: 03 jul. 2023.

MOREIRA, J. N.; LIRA, M. A.; SANTOS, M. V. F.; FERREIRA, M. A.; ARAÚJO, G. G. L.; FERREIRA, R. L. C.; SILVA, G. C. Caracterização da vegetação de Caatinga e da dieta de novilhos no sertão de Pernambuco. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 41, n. 11, p. 1643-1651, 2006. Disponível em: https://www.embrapa.br/en/busca-de-publicacoes/-/publicacao/157870/caracterizacao-da-vegetacao-de-caatinga-e-da-dieta-de-novilhos-no-sertao-de-pernambuco. Acesso em: 02 jul. 2023.

NEVES, E. J. M.; CARPANEZZI, A. A. O Cultivo do Nim para Produção de Frutos no Brasil. Circular Técnica 162, Embrapa. Colombo: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2008. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CNPF-2009-09/44604/1/circ-tec162.pdf Acesso em: 19 jul. 2023.

OLIVEIRA; L. S. J.; FONSECA, A. P. M.; TERÁN, A. F. Formação de conceitos científicos usando o tema dos vegetais com estudantes do ensino fundamental. REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 8, n. 1,p. 43-54, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i1.9725

PARAÍBA. Decreto nº 23832/2002. Cria o Monumento Natural Vale dos Dinossauros e dá outras providências. Disponível em: <https://documentacao.socioambiental.org/ato_normativo/UC/4168_20200205_003344.pdf>. Acesso em: 19 jul. 2023.

SANTOS, A.; VASCONCELOS, C. A. Análise da percepção ambiental em uma escola do

município de Barra dos Coqueiros - Sergipe. REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 6, n. 1, p. 163-178, 2018. https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2018.v6.n1.p163-178.i6447

SAUVÉ, L. Educação Ambiental: Possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, v. 13, n. 2, p. 317-322, 2005. Disponível em: https://www.foar.unesp.br/Home/projetoviverbem/sauve-ea-possibilidades-limitacoes-meio-ambiente---tipos.pdf. Acesso em: 02 jul. 2023.

SILVA, J. M. C.; TABARELLI, M.; FONSECA, M. T.; LINS, L. V. (org.). Biodiversidade da Caatinga: áreas e ações prioritárias para a conservação. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

SOUZA, A. L.; SILVA, E. Percepção ambiental do bioma caatinga no contexto escolar. Revista Ibero-Americana de estudos em educação, v. 73, n. 1, p. 67-86, 2017. https://doi.org/10.35362/rie731126.

TABARELLI, M.; LEAL, I. R.; SCARANO, F. R.; SILVA J. M. C. Caatinga: Legado, trajetória e desafios rumo à sustentabilidade. Ciência e Cultura, v. 70, n. 4, p. 25-29, 2018. ISSN: 0009-6725. http://dx.doi.org/10.21800/2317-66602018000400009.

TEIXEIRA, M. L. S.; SILVA, J. P. S.; FREIXO, A. A. A Caatinga em imagens: representação de estudantes de dois contextos socioculturais na Bahia. Revista educação, v. 23, n. 3, p. 455-470, 2018. http://dx.doi.org/10.24220/2318-0870v23n3a3950.

ZANINI, A. M.; VENDRUSCOLO, G. S.; MILESI, S. V.; ZANIN, E. M.; ZAKRZEVSKI, S. B. B. Percepções de estudantes do sul do Brasil sobre a biodiversidade da mata atlântica. Interciência, v. 45, n. 1, p. 15-22, 2020. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/339/33962240003/html/. Acesso em: 29 jul. 2023.

Downloads

Publicado

2023-11-22

Como Citar

LUCENA, D. da S.; MELO, A. .; SANTOS, M. V. dos .; LEÃO JUNIOR, R. G. PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO E TÉCNICO INTEGRADO SOBRE O BIOMA CAATINGA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23083, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.16071. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16071. Acesso em: 25 fev. 2024.