A CIÊNCIA DA MICROBIOLOGIA COMO CONTEÚDO NO LIVRO DIDÁTICO UTILIZADO NA REDE PÚBLICA DO ENSINO MÉDIO EM MATO GROSSO: UMA ANÁLISE DOCUMENTAL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.16000

Palavras-chave:

Ensino de microbiologia, Ensino-aprendizagem, Modelos didáticos

Resumo

A microbiologia é o ramo da ciência que historicamente sofre com desafios no seu ensino. Este trabalho objetivou avaliar a qualidade do conteúdo de microbiologia abordado no livro didático do ensino médio, adotado pela Secretaria de Educação de Mato Grosso, para o ensino médio das escolas estaduais dos 141 municípios do estado. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa, que utiliza como método a análise documental. Os parâmetros de análise basearam-se em estudos semelhantes realizados por outros autores, além de revisão da literatura para análise dos conceitos apresentados no livro. Dentre os resultados da análise, pode-se citar que o livro didático apresenta deficiências importantes no conteúdo do livro, como nomenclaturas taxonômicas desatualizadas, ausência de escalas e legendas e ausência de atividades práticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thiago Zanata, Universidade Ceuma (UNICEUMA), São Luís, Maranhão, Brasil.

Possui graduação em Bacharelado em Enfermagem pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2021). Graduação em Curso Superior de Tecnologia em Viticultura e Enologia pelo Instituto Federal de Santa Catarina - Campus Urupema (Interrompido). Mestrado Acadêmico em Biologia Microbiana pela Universidade Ceuma - Campus Renascença (2023). Possui experiência com ensino de língua e cultura alemães como língua estrangeira em projetos de Cultura e Extensão pela Universidade do Estado de Mato Grosso e ensino de língua inglesa no sistema privado de ensino.Atualmente é enfermeiro na Atenção Primária em Saúde na Secretaria Municipal de Saúde de Cáceres e professor no curso Técnico em Enfermagem no Instituto Educacional de Cáceres.

Josiane Magalhães, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Campus Cáceres, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993), segunda Licenciatura em Pedagogia pela FAEL - polo Cáceres MT (2018-2019), graduação em andamento em Direito(2018 -2020), mestrado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1998) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003). É professora Adjunta da Universidade do Estado de Mato Grosso. Leciona na área das Ciências Sociais, em disciplinas como :Sociologia e Sociologia da Educação, com ênfase em Teoria Sociológica, Ciência Politica, Sociologia Aplicada a Saúde, Sociologia Rural e Organizacional. Realiza pesquisas e trabalhos de extensão em interface com a pesquisa voltados para temas como: Burnout em profissionais da saúde, docentes e policiais; Arte em Cena: projeto voltado ao ensino de temas ligados a questões de saúde e comportamentos sociais, com enfase na arte como ferramenta pedagógica - projeto de extensão com interface a pesquisa de caráter permanente a partir de 2017; Comunidade Feliz ( projeto interdisciplinar voltado para a Saúde Preventiva e Qualidade de Vida); processos de formação humana e construção da consciência, processos de construção da identidade e formação moral, processos de socialização entre indivíduos em diferentes momento da vida (da infância a terceira idade), processos de educação e aprendizagem, influencias da cultura, família e escola; processos de socialização do ser humano e sua relação com a natureza; processos de aquisição de escrita e leitura enquanto processos sociais e o teatro como ferramenta pedagógica. É avaliadora institucional e de cursos do MEC/INEP nas modalidades: avaliação de cursos, IES presencial e EaD. professora da Universidade Aberta do Brasil UAB/CAPES/Unemat graduação e especialização em Gestão em Saúde. Coordenou o curso de Bacharelado em Enfermagem da Universidade do Estado de Mato Grosso de 2012 a 2015. Especialização em Docência em Saúde pela UFRGS (2016). Em 2022 foi eleita suplente para o Conselho de Cultura do estado de Mato Grosso. É coordenadora do Núcleo de Estudos em Ciências Humanas NECH.

Rita de Cássia Mendonça de Miranda, da Universidade Ceuma, São Luís, Maranhão, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biolólogicas pela Faculdade de Frassinetti do Recife (1997) especialização em biotecnologia pela UNIMONTES e mestrado em Biotecnologia de Produtos Bioativos pela Universidade Federal de Pernambuco (2001). Doutora em Biologia de Fungos pela UFPE. Tem experiência na área de microbiologia, com ênfase em Biotecnologia. Atuou no ensino básico no Colégio de Aplicação da UFPE, ministrando ciências e biologia para ensino fundamental e médio, bem como no ensino de graduação e pós graduação onde ministrou as disciplinas de microbiologia básica, microbiologia ambiental e prevenção e controle da poluição atmosférica. Realizou o pós doutoramento como bolsista do programa PNPD na Universidade Federal de Sergipe vinculada ao mestrado de Ciências e Tecnologia de Alimentos, onde atuou na investigação de compostos de aroma em frutos tropicais e produção de pigmentos e compostos de aroma por via biotecnológica, além de ministrar disciplina no programa de Pós Graduação em Ciências e Tecnologia de Alimentos e no Instituto Tecnologia e Pesquisa (ITP), da Universidade Tiradentes desenvolvendo projetos na área de Biotecnologia e Bioprocessos. Atualmente é professora da Universidade Ceuma, vinculada aos programas de mestrado em Meio Ambiente e Biologia Microbaana como docente permanente, além de atuar nos cursos de graduação em Engenharia Ambiental, Fisioterapia, Nutrição, Biomedicina, Medicina e Enfermagem. Pertence ao quadro de professores permanente do Doutorado em Rede de Biodiversidade e Bioecnologia da Amazônia Legal atuando com pesquisas na área de Biorremediação, Tratamento de Resíduo e Investigação de Compostos Bioativos.

Eduardo Martins de Sousa, Universidade CEUMA (UNICEUMA), São Luís, Maranhão, Brasil.

Possui graduação em Biomedicina (2005), mestrado em Medicina Tropical área de concentração em Imunologia pelo Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da Universidade Federal Goiás (2009). Doutorado em Medicina Tropical área de concentração em Imunologia pelo Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da Universidade Federal Goiás, sendo parte doutorado sanduíche realizado no Instituto de Biologia Molecular e Celular da Universidade do Porto - Portugal. Atualmente, faz parte do corpo docente do Programa de Pós-graduação em Biologia Microbiana (Nível Mestrado) da Universidade CEUMA (UNICEUMA). É docente permanente Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Biotecnologia da Rede Bionorte (PPG-BIONORTE) (Nível Doutorado). É docente colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal do Maranhão. Revisor da Revista - Medicine e International Journal of TROPICAL DISEASE Health, Frontiers in Public Health. Membro da Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose REDE-TB. Membro da Sociedade Brasileira de Imunologia. Foi coordenador do Núcleo de Relações Internacionais da Universidade CEUMA (2015 - 2019). Foi coordenador da Comissão de Ética no uso de Animais (CEUA) da Universidade CEUMA (2021 - 2022). Atualmente é coordenador adjunto do Programa de Pós-Graduação em Biologia Microbiana (Nível Mestrado) da Universidade CEUMA (2023).Recebeu prêmios e distinções em sua carreira destacando-se: 1 lugar das apresentações em forma de pôster, Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública /UFG (2007); Prêmio Reunião Anual - SBI 2008, Sociedade Brasileira de Imunologia. (2008); Certificado de Reconhecimento por Trabalho Acadêmico, Universidade Federal de Goiás (2008); 1 Lugar da categoria Doutorandos / 5 Prêmio Inovação Medical Services - Novos Caminhos em Saúde Pública., SANOFI. (2013). PRÊMIO FAPEMA 2022: CIENTISTAS DO TERRITÓRIO MARANHENSE - ORIENTADOR (2022). BOLSISTA DE ESTÍMULO À PRODUTIVIDADE EM PESQUISA DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO MARANHÃO (FAPEMA) (2018-2019; 2021-2022). Consultor de projetos: FAPEMA, FAPDF, FAPES, Decit/SCTIE. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Imunologia Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: Mycobacterium tuberculosis, Mycobacterium massiliense, ELISA, vacina, Bioprospecção de produtos naturais e experimentação animal.

Referências

ALTERTHUM, L.R.T; Microbiologia - 6. ed., São Paulo: Atheneu, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

BRASIL. Matriz de Referência ENEM. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2020.

BRASIL. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias – (Orientações curriculares para o ensino médio). Brasília, DF: Ministério da Educação, 2006.

BRASIL. Lei nº 13.415 de 16 de fevereiro de 2017 . Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm. Acesso em:10 maio 2023.

BRASIL. Em 2021 foram investidos R$ 1,9 bilhão em livros e material didático do PNLD. 2022. Disponível em: https://www.gov.br/fnde/pt-br/assuntos/noticias/em-2021-foram-investidos-1-9-bilhao-em-livros-e-material-didatico-do-pnld. Acesso em: 25 out. 2022.

BRASIL,Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN+). Ciências da Natureza e Matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2006.

CAETANO, G. L; PEREIRA, G. R; Proposição de um jogo didático acerca dos procariontes para os anos finais do Ensino Fundamental. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. e348997373-e348997373, 2020. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7373

CAMARGO, F. P.; DA SILVA, A. F. G.; DOS SANTOS, A. C. A. A Microbiologia no caderno do aluno e em livros didáticos: análise documental. Revista Iberoamericana De Educación, v. 78, p. 41-58, 2018. https://doi.org/10.35362/rie7823199.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf. Acesso em: 20 out. 2022.

FILOMENO, C. E. DA S. et al. A Microbiologia experimental na Educação Básica: caminhos possíveis para a alfabetização científica. Revista Educação Pública, v. 22, n. 4, 1 fev. 2022. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/22/4/a-microbiologia-experimental-na-educacao-basica-caminhos-possiveis-para-a-alfabetizacao-cientifica Acesso em 12 jun. 2023.

FLANDROY, L. et al. The impact of human activities and lifestyles on the interlinked microbiota and health of humans and of ecosystems. Science of The Total Environment, v. 627, p. 1018–1038, jun. 2018. https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2018.01.288

FREISLEBEN, A. P; KAERCHER, N. A; O PNLD e o mercado de livros didáticos no Brasil. Revista Ciência Geográfica, 26(01), 391-404. (2022). https://doi.org/10.18817/26755122.26.01.2022.2894.

GOMES, B. S; Análise do processo de ensino e aprendizagem sobre os fungos em livros didáticos do Ensino Médio. Scientific Electronic Archives, 15(5). (2022). https://doi.org/10.36560/15520221542.

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Documento de Referência Curricular para Mato Grosso – Etapa Ensino Médio. 2020.

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Governo firma contrato com a FGV e implementa método de ensino inovador na rede estadual. 2021. Disponível em: https://www3.seduc.mt.gov.br/-/18586235-governo-firma-contrato-com-a-fgv-e-implementa-metodo-de-ensino-inovador-na-rede-estadual. Acesso em: 10 out. 2023.

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Plano Estadual de Recomposição da Aprendizagem. 2022.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Básica 2021. Brasília: INEP, 2022. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/pesquisas-estatisticas-e-indicadores/censo-escolar/resultados. Acesso em: 30 maio 2022.

LLOYD, M; BERRY, J; Improving public understanding of microorganisms by integrating microbiology concepts into science teaching throughout the education system. In: I. Kurtboke (Ed.), Importance of Microbiology Teaching and Microbial Resource Management for Sustainable Futures (pp. 107-133). Academic Press. (2022). https://doi.org/10.1016/B978-0-12-818272-7.00003-1.

MADIGAN, M. T. et al. Microbiologia de Brock. 14. ed., Porto Alegre : Artmed, 2016.

MESQUITA, F de A. O terceiro domínio da vida: análise do ensino de Archaea em escolas de ensino médio do Distrito Federal. Monografia (Graduação em Ciências Biológicas, Licenciatura) - Universidade de Brasília, 2021.

MESQUITA, F. de A.; SOUZA, M. T. de. (2022). O terceiro domínio da vida: análise do ensino de Archaea em escolas de ensino médio do Distrito Federal, Brasil. Revista De Ensino De Biologia Da SBEnBio, 15(2), 1122–1146. https://doi.org/10.46667/renbio.v15i2.841.

MARONN, T. G; HERMEL, E. D. E. S. A microbiologia sob uma perspectiva histórica nos livros didáticos de ciências publicados no brasil no século XX. In: Anais da VIII Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica - VIII JIC ISSN 2526-205x. 2018. Disponível em: https://portaleventos.uffs.edu.br/index.php/JORNADA/article/view/8566 Acesso em: 05 mar. 2023.

PECLY, N.; MORAES, M; Análise do conteúdo de artrópodes em livros didáticos de ciências. Ensino De Ciências E Tecnologia Em Revista – ENCITEC, 12(1), 151-166. (2022). https://doi.org/10.31512/encitec.v12i1.6.

RIBAS ABREU, R.; MARQUES, M.; BITTENCOURT, A. H. C. Concepções dos alunos do ensino médio sobre microbiologia por meio de elaboração e aplicação de recursos didáticos. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e22010, 2022. https://doi.org/10.26571/reamec.v10i1.13051

RIET-CORREA, F; CARMO, P.M.S.D; UZAL, F.A. Protothecosis and chlorellosis in sheep and goats: a review. J Vet Diagn Invest. 2021 Mar;33(2):283-287. https://doi.org/10.1177/1040638720978781

SANDAA, R.A; BRATBAK, G; Is the Virus Important? And Some Other Questions. Viruses. 2018 Aug 19;10(8):442. https://doi.org/10.3390/v10080442

SANTOS, S. D; SILVA, L. R. D; A linguagem visual no livro didático: Uma nova prática de leitura. In: VI Colóquio Internacional “Educação e Contemporaneidade”. 2012. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/10173/49/48.pdf. Acesso em: 04 jan. 2023.

SCANDORIEIRO, S. et al. Problematização e práticas de microbiologia para ensino médio de escolas públicas. Experiências em Ensino de Ciências, n. 13, v. 5, p. 240-247, dez. 2018. Disponível em: https://fisica.ufmt.br/eenciojs/index.php/eenci/article/view/101 Acesso em: 06 jun. 2023.

SILVA, A. V. da; TEIXEIRA DE OLIVEIRA, M.; LOPES HARDOIM, E. Microbio bactérias: um aplicativo educacional para o ensino de microbiologia por investigação. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e22062, 2022. https://doi.org/10.26571/reamec.v10i3.14183

SILVA, G.K.S; Análise do conteúdo de micologia em livros didáticos do ensino médio utilizados em escolas de referência de Vitória de Santo Antão – PE. 2019. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/32127/1/SILVA%2c%20Gleyce%20Keller%20Santos.pdf. Acesso em: 21 out. 2022.

STAMM, T. F. T; MARTINS, J. L de C. Abordagem de microrganismos em livros didáticos de ciências. Investigação, Sociedade e Desenvolvimento , [S. l.] , v. 9, n. 4, pág. e50942825, (2020). https://doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2825

STEGER, G.; RIESNER, D.; Viroid research and its significance for RNA technology and basic biochemistry. Nucleic Acids Research, v. 46, Issue 20, 16 November 2018, p. 10563–10576. https://doi.org/10.1093/nar/gky903.

TERRY, C.; WADSWORTH, J. D. F. Recent Advances in Understanding Mammalian Prion Structure: A Mini Review. Frontiers in Molecular Neuroscience, v. 12, 9 jul. 2019. https://doi.org/10.3389/fnmol.2019.00169

TORTORA, G. J; BERDELL, R; FUNKE, C.L; Microbiologia. 12. ed., Porto Alegre: Artmed, 2017.

SANTAREN, K. C. F. et al. RELEVÂNCIA DE ATIVIDADES PRÁTICAS NO PROCESSO DE ENSINOAPRENDIZAGEM DE MICROBIOLOGIA: UM ESTUDO EM SEROPÉDICA–RJ. Experiências em Ensino de Ciências, v. 13, n. 5, p. 258–275, 3 dez. 2018. Disponível em: https://fisica.ufmt.br/eenciojs/index.php/eenci/issue/view/3. Acesso em: 07 jun. 2023.

SOLOMON, R. et al. Protozoa populations are ecosystem engineers that shape prokaryotic community structure and function of the rumen microbial ecosystem. The ISME Journal, v. 16, n. 4, p. 1187–1197, 9 dez. 2021. https://doi.org/10.1038/s41396-021-01170-y.

SUCI, P. I.; PUTRI, D. H. Analysis of Needs for the Development of Microbiology Teaching Books Based on Science Technology Society (STM) on Microorganism Classification Materials for Padang University Biology Students. International Journal of Progressive Sciences and Technologies, v. 15, n. 1, p. 86–90, 11 jun. 2019. Disponível em: https://ijpsat.org/index.php/ijpsat/article/view/952 Acesso em: 03 mar. 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE TOCANTINS. Livro didático é uma importante ferramenta para a educação. 2020. Disponível em: https://ww2.uft.edu.br/index.php/ultimas-noticias/26941-livro-didatico-e-uma-importante-ferramenta-para-educacao. Acesso em: 10 mar. 2023.

VALE, R.; COELHO, G.; VENUTO, M. Os (multi) letramentos e a interdisciplinaridade no ensino de Microbiologia. Revista Insignare Scientia - RIS, v. 3, n. 5, p. 456-469, 18 dez. 2020. https://doi.org/10.36661/2595-4520.2020v3i5.11904.

VASCONCELOS, S. D.; SOUTO, E. O livro didático de ciências no ensino fundamental proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Ciência & Educação (Bauru), v. 9, n. 1, p. 93–104, 2003. https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000100008

VIEIRA, R. V. DA S. O ensino de Microbiologia na Educação Básica: um relato de experiência na interface escola-universidade. Revista Educação Pública, v. 23, n. 21, 6 jun. 2023. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/23/20/o-ensino-de-microbiologia-na-educacao-basica-um-relato-de-experiencia-na-interface-escola-universidade Acesso em 10 jun. 2023.

Downloads

Publicado

2023-11-27

Como Citar

ZANATA, T.; MAGALHÃES, J. .; MIRANDA, R. de C. M. de .; SOUSA, E. M. de . A CIÊNCIA DA MICROBIOLOGIA COMO CONTEÚDO NO LIVRO DIDÁTICO UTILIZADO NA REDE PÚBLICA DO ENSINO MÉDIO EM MATO GROSSO: UMA ANÁLISE DOCUMENTAL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23087, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.16000. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16000. Acesso em: 2 mar. 2024.