AGROECOLOGIA E CIÊNCIAS NA DOCÊNCIA COMPARTILHADA: MEMÓRIAS NA LECAMPO DA UFPR LITORAL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.15949

Palavras-chave:

Ensino de Ciências, Educação Agroecológia, Educação do Campo, Docência Compartilhada

Resumo

Este artigo apresenta a análise de duas práticas pedagógicas desenvolvidas em duas turmas distintas do curso de Licenciatura em Educação do Campo – Ciências da Natureza (LECAMPO) da Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral (UFPR LITORAL). A abordagem metodológica da análise foi a revisão bibliográfica sobre Docência Compartilhada, a partir de trabalhos acadêmicos, organizando-os sob uma tipologia que serviu de base para um olhar sobre as memórias docentes e documentos produzidos nas duas experiências e organizados pelos pesquisadores. O que podemos depreender do estudo destas duas situações é que houve pontos positivos na abordagem por Docência Compartilhada, porém, também foram encontrados alguns obstáculos em relação a operacionalização das propostas como a burocracia institucional. O que conclui-se é que a docência compartilhada é uma proposta interessante para desenvolvimento de abordagens complexas na formação de professores dentro da lógica de área do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ehrick Eduardo Martins Melzer, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil.

Possui graduação em Química: Licenciatura (2010), mestrado em EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E EM MATEMÁTICA (2012) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2020). Docente Permanente da Programa de Pós-graduação em Formação Educacional, Científica e Tecnológica (PPGFCET) (2022) e docente vinculado ao Departamento Acadêmico de Química e Biologia (DAQBI) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Editor Executivo da Revista Debates no Ensino de Química e Editor da Seção: Debates em Currículo e Políticas Públicas para o Ensino de Química. Membro Laboratório Audiovisual da Química (LAVIQ) e do Laboratório de Análise de Solos (LASOL). Líder do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Ludicidade, Tecnologia e Comunicação (GEPE LUTECOM) e Integrante dos grupos de pesquisa: Grupo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento Sustentável do Litoral do Paraná e Núcleo de Pesquisa em Educação do Campo, Movimentos Sociais e Práticas Pedagógicas e pesquisa nas áreas de Ensino de Química, Educação Agroecológica, Educação do Campo, Política Educacional, Ludicidade e Didática das Ciências e das Matemáticas.

Gilson Walmor Dahmer, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Matinhos, Paraná, Brasil.

Possui graduação em Agroecologia pela Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral (2011), Mestrado (DINÂMICA DO CARBONO E DO NITROGÊNIO EM CLASSES DE AGREGADOS DE UM NEOSSOLO REGOLÍTICO COM MANEJO AGROFLORESTAL, 2014) e Doutorado (DIÁLOGO DE SABERES ETNOPEDOLÓGICOS MULTICULTURAIS ENTRE AGRICULTORES TRADICIONAIS DO VALE DO RIBEIRA - ADRIANÓPOLIS/PR, 2018) em Ciências do solo, pelo Programa de Pós Graduação da Universidade Federal do Paraná. Com experiências em: Agricultura familiar a partir de Sistemas Agroflorestais; Educação do Campo pautada na Agroecologia; Reciclagem de resíduos orgânicos; Paisagismo e produção de mudas nativas da Mata Atlântica; Formação continuada de professores da rede pública e Agriculturas alternativas. Atualmente estuda o "Conhecimento Etnopedológico Tradicional" estabelecido por comunidades camponesas no Vale do Ribeira e Litoral Paranaense, juntamente com estudos sobre a Educação em Solos nas Escolas do Campo. Desde o 2º semestre de 2014 trabalha como professor efetivo no curso de Licenciatura em Educação do Campo, Ciências da natureza ofertado no Setor Litoral da UFPR em Matinhos (PR) e contribui nos cursos de Tecnologia em Agroecologia e Licenciatura em Geografia, ambos da UFPR-Setor litoral. Também atua como professor colaborador do Programa Nacional em Rede de Mestrado Profissional em Ciências Ambientais (PROFCIAM) junto a associada da UFPR.

Júlio César David Ferreira, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Matinhos, Paraná, Brasil.

Licenciado em Física pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (2007) e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista (2011). Doutor em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (2016) com período sanduíche no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (2014-2015), Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Paraná, no curso de Licenciatura em Educação do Campo - Ciências da Natureza. Áreas de atuação: formação de professores; linguagem e discurso; ciência, cultura e educação; ficção científica e múltiplas linguagens na educação; música.

Referências

AULER, D. Enfoque Ciência-Tecnologia-Sociedade: pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & Ensino, v. 1, n. especial, nov. 2007.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto. 1996.

CALDART, R. S. et all. Inventário da Realidade: guia metodológico para uso nas escolas do campo. Veranópolis: Instituto de Educação Josué de Castro. Disponível em: <http://jornadapedagogica.educacao.ba.gov.br/wp-content/uploads/2022/02/Inventario-da-Realidade-Guia-Metodologico-para-uso-escolas-do-campo-Jul16-2-1.pdf>. Acesso em 12 de abril de 2016.

CARVALHO, A. M. P. As práticas experimentais no ensino de Física. In: CARVALHO, A. M. P. Ensino de Física. São Paulo: Cengage Learning. 2010.

CLEMENT, L.; TERRAZZAN, E. A.; NASCIMENTO, T. B. Resolução de problemas no ensino de física baseado numa abordagem investigativa. In: IV Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2003, Bauru, SP. Atas do IV ENPEC. Bauru, SP: ABRAPEC. 2003.

CHASSOT, A. Para que(m) é útil o ensino? Ijuí: Unijuí. 2014.

CHASSOT, A. Das disciplinas à indisciplina. Curitiba: Appris. 2016.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 4. ed. São Paulo: Cortez. 2011.

DESCARTES, R. Discurso do método. Porto Alegre: L&PM. 2015.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 58. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 2014.

GUHUR, D. M. P.; TONÁ, N. Agroecologia. In: CALDART, R. S. et al (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

LEFF, E. Agroecologia e saber ambiental. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p. 36-51. 2002.

MARTINAND, J. L. La Question de la Référence en Didactique du Curriculum. Investigações em Ensino de Ciências, v.8, n.2, p.125-130. 2003.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa, organizadores prévios, mapas conceituais, diagramas v e unidades de ensino potencialmente significativas. Aprendizagem Significativa no Ensino Superior: Teorias e Estratégias Facilitadoras. Curitiba: PUCPR. 2013.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand. 2000.

NICOLODI, S. C. F. SILVA, V. da. Formação de professores e formação humana: não é só necessária, mas possível. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 61, p. 107-125. 2016.

PARANÁ. Grupo de Trabalho Clóvis Moura. Comunidades Tradicionais Negras – Remanescentes de Quilombos. Curitiba: GT Clóvis Moura. 2010.

SCHNEIDER, T. M. MUENCHEN, C. A abordagem temática e a educação do campo. Educação, Santa Maria, v. 44, p. 1-23. 2019.

SOARES, M. H. F. B. Jogos e Atividades Lúdicas no Ensino de Química: Uma Discussão Teórica Necessária para Novos Avanços. Revista Debates em Ensino de Química, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 5–13. 2017.

UFPR. Projeto Político-Pedagógico do Setor Litoral. Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral. 2008.

VASCONCELLOS, C. dos S. Metodologia Dialética em Sala de Aula. Revista de Educação AEC. Brasília, n.83, 1-10. 1992.

WEIDUSCHADT, P. FISCHER, B. T. D. História oral & memória: aportes teórico-metodológicos na investigação de trajetórias docentes. In: FERREIRA, M. O. V. FISCHER, B. T. D. PERES, L. M. V. Memórias docentes: abordagens teórico-metodológicas e experiências de investigação. Brasília: Liber Livros. 2009.

ZANETIC, J. Física e arte: uma ponte entre duas culturas. Pro-Posições, v. 17, n. 1, p. 39-57. 2006.

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

MELZER, E. E. M.; DAHMER, G. W.; FERREIRA, J. C. D. AGROECOLOGIA E CIÊNCIAS NA DOCÊNCIA COMPARTILHADA: MEMÓRIAS NA LECAMPO DA UFPR LITORAL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24030, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.15949. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15949. Acesso em: 19 jun. 2024.