A COMPREENSÃO DOCENTE DA LUDICIDADE COMO UMA FERRAMENTA PARA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.15816

Palavras-chave:

Ludicidade, Ensino, Alfabetização e letramento, Prática docente, Aprendizagem

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo evidenciar a visão do docente em relação à ludicidade e aos jogos pedagógicos em sala de aula. Este artigo é oriundo de uma pesquisa de dissertação e apresenta um recorte deste estudo, com dados parciais, acerca de entrevistas realizadas com professores pedagogos, atuantes nos terceiros anos do Ensino Fundamental I, com o intuito de compreender a relevância do lúdico nos processos educacionais, na formação do educando frente à alfabetização e ao letramento nos anos iniciais. A metodologia empregada é a abordagem qualitativa de caráter exploratório, e o método utilizado foi a análise de conteúdo. Os instrumentos para a coleta de dados foram realizados por meio de entrevistas semiestruturadas com professores participantes, sendo seis professores unidocentes pedagogos, atuantes nos anos iniciais do Ensino Fundamental I (efetivos e contratados), tendo como lócus da pesquisa duas escolas estaduais em um município interiorano no estado de Mato Grosso. Os resultados das entrevistas com os professores entrevistados indicaram que a ludicidade é uma ferramenta primordial e que deve ser aplicada sempre que necessária em espaços destinados ao Ensino Fundamental I. Ressalta-se, ainda, que o brinquedo e a brincadeira sejam essas, soltas ou pedagogicamente orientadas, intervêm de forma positiva no aprendizado da criança e, por isso, é primordial que sejam inseridas nos processos educacionais, principalmente, no processo de alfabetização e letramento dos educandos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cássio Moreira Rodrigues, Universidade de Cuiabá (UNIC), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Graduado em Nutrição pela Universidade de Rio Verde UniRV GO (2012). Graduado em Pedagogia pela Universidade de Rio Verde UniRV GO (2016). Pós Graduado em Gênero e Diversidade na Escola pela Universidade Federal de Goiás UFG (2014). Foi aluno Bolsista do Programa de Iniciação à Docência PIBID (2013/2016), e também estagiário em Pedagogia, atuando frente à supervisão Pedagógica, na Instituição de ensino: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) (2014/2016). Atuou na Secretária de Promoção Social no município de Rio Verde-GO (2011 a 2013), desenvolvendo atividades articuladas entre: educação, cultura, e música. Possui texto publicado em um capitulo no livro: Interfaces do Gênero II - Linguagens, Imagens, Representações (2017). Possui texto publicado na Revista Bagoas, com o título: TRANSEXUALIDADE NA INFÂNCIA: UMA REPRESENTAÇÃO A PARTIR DO DOCUMENTÁRIO MEU EU SECRETO - HISTÓRIAS DE CRIANÇAS TRANS (2017). Atualmente, trabalha como Professor Efetivo na Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso (SEDUC), e é mestrando em Ensino na Universidade de Cuiabá (UNIC). 

Cilene Lima Maria Antunes Maciel, Universidade de Cuiabá (UNIC), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1980), mestrado em Inovação e Sistema Educativo pela Universidade Autônoma de Barcelona- UAB (2000) e doutorado em Inovação e Sistema Educativo pela Universidade Autônoma de Barcelona (2003). Pós- Doutorado em Ensino pela Universidade Norte do Paraná- UNOPAR.Professora da Universidade de Cuiabá. Foi Coordenadora do TCC - Curso de Educação Física da Universidade de Cuiabá até o ano de 2013. Foi Coordenadora do Mestrado Acadêmico em Ensino até janeiro de 2023 - Universidade de Cuiabá- UNIC. Coordenadora do Comitê de Ética - CEP - UNIC, Resolução nº. 21/2020, Membro do Corpo Editorial - Revista UNOPAR . Foi conselheira do Conselho Municipal de Educação de Cuiabá- MT - Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Desenvolvimento Curricular, Avaliação, Gestão Democrática e Formação docente. Membro do GEPEFel - Grupo de Pesquisa em Educação Física e Lazer - UNIC.e Grupo de estudos em formação de professores, cultura digital e infância- UNIC. 

Referências

ALMEIDA, L. A. S. O lúdico na educação infantil e a formação do leitor. Revista Olhar de Professor, v. 18, n. 1, p. 27-43, 2015.

ANTUNES, I. Aula de Português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Ensino Fundamental de Nove Anos: Orientações para a Inclusão da Criança de Seis anos de Idade. Brasília: Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BARDIN, L. Análise de conteúdo.7 ed. Lisboa: Edições70, 2016.

CHIZZOTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 12 ed. São Paulo: CortezEditora,2017.

DUTRA, L. B.; MARTINES, E. A. L. de M. Revisão bibliográfica sobre formação de professores de ciências e biologia (2007-2016): um olhar epistemológico. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 10, n. 2, p. e22041, 2022. https://doi.org/10.26571/reamec.v10i2.13518

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre, RS: Artmed, 2007.300p.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler em três artigos que se complementam. São Paulo: Cortez, 1989.

FRASER, M. T. D; GONDIM, S. M. G. Da fala do outro ao texto negociado: discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia (Ribeirão Preto), Ribeirão Preto, v. 14, n. 28, p. 139-152, Ago. 2004. https://doi.org/10.1590/S0103-863X2004000200004

GADOTTI, M. Educação e poder: introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez,1985.

LIBÂNEO, J.C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

KISHIMOTO, T. M. (Org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 2ed. São Paulo: Cortez, 1997.

MACHADO, L.G. O papel da contação de histórias na alfabetização e letramento de estudantes do Ensino Fundamental. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 4., 2015, Porto Alegre. Anais. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde.14 ed. São Paulo: Editora Hucitec, 2018.

MORAN, J.M. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2000.

OLIVEIRA, V. B. de (org.). O brincar e a criança do nascimento aos seis anos. Petrópolis: Vozes, 2000.

OLIVEIRA, G. R. A literatura não tem de partir dos clássicos. Disponível em: https://www.revistaprosaversoearte.com/literatura-nao-tem-de-partir-dos-classicos-gabriela-rodella/ Acesso em 10 de maio 2023.

PARRAT-DAYAN, Silvia. In: Como enfrentar a indisciplina na escola. Tradução de Beatriz Adoue e Augusto Juncal. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

SILVA, T.T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

SILVA, S. V. da; LORENZETTI, L. A construção de conhecimentos e a formação de conceitos nos anos iniciais: uma análise dos trabalhos apresentados no ENPEC. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 216–237, 2018. https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2018.v6.n2.p216-237.i6244

SILVA, M. R. da. Gêneros textuais como recurso para ensino e aprendizado de língua portuguesa. Revista Moinhos, Luciara - Mato Grosso, 2013. Disponível em: http://www.unemat.br/revistas/moinhos/media/files/GENEROS_TEXTUAIS_COMO_RECURSO_PARA_ENSINO_E_APRENDIZADO.pdf. Acesso em: 13 mai. 2023.

VEIGA, I. P. A. (Org.). Técnicas de ensino: por que não? Campinas: Papirus, 1996.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VIGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R.; LEONT'EV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 12. ed. São Paulo, SP: Ícone, 2012.

Downloads

Publicado

2023-11-21

Como Citar

RODRIGUES, C. M. .; MACIEL, C. L. M. A. A COMPREENSÃO DOCENTE DA LUDICIDADE COMO UMA FERRAMENTA PARA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23082, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.15816. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15816. Acesso em: 16 jun. 2024.