TRAJETÓRIA INICIAL DA HISTÓRIA NATURAL NAS INSTITUIÇÕES DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO PARÁ (1870-1890)

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.15086

Palavras-chave:

História Natural, história do currículo escolar, Cultura local, Pará

Resumo

A disciplina denominada História Natural foi adotada, pela primeira vez, em uma escola para formação de professores do Pará, em 1873, pelo Curso Normal. Esse acontecimento é significativo para o nosso objetivo que é contribuir para compreender as condições que possibilitaram a inserção inicial da História Natural nas escolas para a formação de professores do Pará. A presente pesquisa inicia em 1870, pela análise das leis e regulamentos propondo a criação da referida escola e finaliza em 1890, quando a História Natural, após ser retirada do plano de ensino, continua ausente. Além das leis e regulamentos governamentais, analisamos os noticiários dos jornais. Neste noticiário, predominam opiniões favoráveis à adoção desta disciplina e à criação do Curso Normal, embora tenha havido, também, resistências. Convém assinalar, ainda, que a presença da História Natural não se reduziu ao contexto escolar. Nesse momento, ela se acentuava no contexto cultural local, destacando-se a presença da instituição destinada, sobretudo, às atividades nesse campo do conhecimento: o Museu Paraense (hoje Museu Paraense Emílio Goeldi).

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcelino Carmo de Lima, Docente na Rede Pública municipal de São Miguel do Guamá, Pará, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura Plena em Ciência Naturais, com habilitação em Biologia pela Universidade do Estado do Pará (UEPA). Possui Mestrado e Doutorado em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, do Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Pesquisador do Grupo de Filosofia e História da Ciência e da Educação na Amazônia (GFHCE) do Instituto de Educação Matemática e Científica - IEMCI / UFPA, no qual participa de projetos de pesquisa em História do currículo e das disciplinas do campos das Ciências Naturais no Pará. Atuou como docente de Ciências na educação básica - Ensino Fundamental II e na Educação de Jovens e Adultos (EJA) na Secretaria Municipal de de Educação de Ipixuna do Pará. Atuou como docente substituto vinculado a Faculdade de Ciências Naturais (FACIN), da Universidade Federal do Pará (UFPA), Campus Universitário do Tocantins/Cametá - PA, onde desenvolveu atividades de ensino nas disciplinas Prática Docente e Estágio Supervisionado do curso de Licenciatura em Ciências Naturais. Atuou como docente substituto horista na disciplina História das Ciências no curso de Licenciatura em História na UEPA.

José Jerônimo de Alencar Alves, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, Pará, Brasil.

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, da Universidade Federal do Pará (UFPA), onde coordena o Grupo de Filosofia e História da Ciência e Educação na Amazônia (GFHCE). Belém, Pará, Brasil. Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI), Universidade Federal do Pará.

Referências

ALBUQUERQUE, Antônio Coelho Sá e. Relatório que o Exmº sr. Dr. Antonio Coelho de Sá e Albuquerque, presidente da Província do Pará, apresentou ao Exmº sr. vice-presidente, Dr. Fábio Alexandrino de Carvalho Reis ao passar-lhe a administração da mesma Província em 12 de maio de 1860. Pará: Tipografia comercial de A.J. Rabelo Guimarães, 1860. Disponível em:< http://obrasraras.fcp.pa.gov.br/relatorio-que-o-exm-sr-dr-antonio-coelho-de-sa-e-albuquerque-presidente-da-provincia-do-para-apresentou-ao-exm-sr-vice-presidente-dr-fabio-alexandrino-de-carvalho-reis-ao-passar-lhe-a-administra/>. Acesso em: 08 de janeiro de 2023.

ALVES, Jerônimo. Tempo, Espaço e Modernidade na Belle-Époque Amazônica. In.: CARUSO, Francisco. Diálogos Sobre o Tempo. São Paulo, Maluhy & Co, 2010.

ALMANACH DO PARÁ. Administrativo, Mercantil, Industrial e Noticioso da Província do Pará para o ano de 1871. Ano 3. Disponível em:< http://memoria.bn.br/pdf/705985/per705985_1871_00001.pdf>. Acesso em: 08 de janeiro de 2023.

BARROS, Jônatas B.; ALVES, J. Jerônimo. As ciências na Escola Normal do Pará: características e condições de inserção (1867-1890). In.: MENDES, Iran A.; STAMATTO, Maria I. S. (Orgs.). Escolas Normais do Brasil: espaços de transformação docente e produção dessaberes profissionais. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020.

CAMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. Centro de Memória. Uma transformação histórica. Obras de arte. Disponível em: https://www.saopaulo.sp.leg.br/memoria/especial/pedro-vicente-de-azevedo/. Acesso em: 05 de maio de 2022.

CORREIO MERCANTIL. Rio de Janeiro, ed. 75, domingo, 16 de março de 1856.

CRISPINO, Luis C. B.; BASTOS, Vera B.; TOLEDO, Peter M. (Orgs.). As origens do Museu Paraense Emílio Goeld: aspectos históricos e iconográficos (1860-1921). Belém: Paka-Tatu, 2006.

CUNHA, Osvaldo Rodrigues da. Talento e atitude: Estudos Biográficos do Museu Emilio Goeldi, I. Belém: Museu Paraense Emilio Goeldi, 1989.

DAOU, A. M. A belle époque amazônica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

DIÁRIO DE BELÉM, edição n. 57, sábado 13 de março de 1869.

DIÁRIO DO RIO DE JANEIRO. Ed. 8551 de 18 de setembro de 1850.

DIAS, E. M. A ilusão do Fausto – Manaus 1890-1920. 2ª edição, Manaus: Editora Valer, 2007.

DUARTE, Dércio Pena. Bases para o espírito: Ferreira Penna, Ciência e Educação na Província do Grão-Pará (1866-1891). Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, 2010.

FIGUEIREDO, Aldrin Moura de. Páginas antigas: uma introdução à leitura dos jornais paraenses, 1822-1922. Margens, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 245-266, may 2016. ISSN 1982-5374. Available at: <https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistamargens/article/view/3040/3075>. Date accessed: 12 aug. 2021. doi:http://dx.doi.org/10.18542/rmi.v2i3.3040.

FIGUEIREDO, José Bento da Cunha. Relatório com que o excelentíssimo senhor presidente da província José Bento da Cunha Figueiredo, entregou a administração da província do Grão-Pará ao excelentíssimo senhor 2º vice-presidente, coronel Miguel Antônio Pinto Guimarães. Em 16 de maio de 1869. Pará, Tipografia do Diário do Grão-Pará, 1869. Disponível em: < http://177.74.60.161/acervodigital_obrasraras/file/relatorios/relatorioapresenrtadoporjosebentodacunhafigueiredo16maio1869/2/>. Acesso em: 23 de setembro de 2022.

FREITAS, Joaquim Pedro Correia de. Ligeiro esboço histórico da história natural. In.: JORNAL DO PARÁ, ed. 286, de 23 de dezembro de 1871.

FRANÇA, Maria do P.S.G.S.A; Santos, Darlene S. M; LOPES, Mário A. S. A Escola Normal do Estado do Pará (1890-1912): saberes e práticas educativas. In.: MENDES, Iran A.; STAMATTO, Maria I. S. (Orgs.). Escolas Normais do Brasil: espaços de transformação docente e produção dessaberes profissionais. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020.

HALL, Stuart. A Centralidade da Cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Revista Educação & Realidade. 22(2): 15-46, jul./dez., 1997

HALL, Stuart. Cultura e Representação. (Tradução de Daniel Miranda e William Oliveira). – Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; Apicuri, 2016.

JORNAL DO PARÁ, Edição nº 88, Belém, sábado, 22 de abril de 1871.

JORNAL DO PARÁ, Edição n. 226, Belém, quarta-feira, 11 de outubro de 1871.

JORNAL DO PARÁ, Edição n. 292, Belém, quarta-feira, 25 de dezembro de 1872.

JORNAL DO PARÁ, Edição nº 76, Belém, sexta-feira 04 de abril de 1873.

LIMA; Marcelino Carmo de.; ALVES, José Jerônimo de Alencar. A inserção da Botânica na Instrução Pública do Pará: Liceu Paraense (1851-1873). Revista Cocar. v.17, n. 35, 2022. Disponível em:< https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/6086>. Acesso em: 08 de janeiro de 2023.

LIMA; Marcelino C.; NASCIMENTO, Sulenir C; ALVES, Jerônimo. Disputas pelo monopólio da prática odontológica e a criação da Escola Livre de Odontologia do Pará (1911-1914). Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, vol. 13, nº 25, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistaamazonia/article/view/3749. Acesso em: 03 de agosto de 2022.

MACHADO, Diego. ALVES, Jerônimo. A “atraente escola de intuição”: o Jardim Zoológico e o Horto Botânico do Museu Paraense de História Natural e Etnografia (1897-1900). In. LOPES, M. M.; HEIZER, A., (Orgs). Colecionismos, práticas de campo e representações [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011. 280 p. Ciência & Sociedade collection. ISBN 978-85-7879-079-0. Disponível em: < https://books.scielo.org/id/rk6rq/pdf/lopes-9788578791179-18.pdf>. Acesso em: 18 de agosto de 2022.

MACHADO, Diego R. S. A Lição de Coisas: o Museu Paraense e o Ensino da História Natural (1889-1900). Dissertação de Mestrado, Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, 2010.

MENDES, Iran Abreu. Saberes profissionais relativos às matemáticas em programas de ensino da Escola Normal do Pará (1871-1918). In.: MENDES, Iran A.; STAMATTO, Maria I. S. (Orgs.). Escolas Normais do Brasil: espaços de transformação docente e produção de saberes profissionais. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020

NASCIMENTO, Sulenir C. S. A introdução da Escola Superior do Pará: “Escola de Pharmácia do Pará” e ensino científico (1897-1914). Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, Programa de PósGraduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Belém, 2017. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/bitstream/2011/13232/1/IntroducaoEscolaSuperior_Dissertacao.pdf. Acesso em: 12 dez. 2022.

O LIBERAL DO PARÁ, Belém do Pará, edição n. 278, ano IV, terça-feira, 10 de dezembro de 1872.

O LIBERAL DO PARÁ, Belém do Pará, edição n. 27, Belém, sexta-feira 5 fevereiro de 1875.

O LIBERAL DO PARÁ, Belém do Pará, edição n. 66, quarta-feira 24 de março de 1875.

RODRIGUES, João Barbosa. Exploração e estudo do valle do Amazonas: Rio Tapajós. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1875.

RODRIGUES, Vitor Russo Fróis. Jurista eloquente e jurista cientista: identificação de perfis intelectuais na cultura jurídica paraense da segunda metade do século XX. In.: VILLAS BOAS, Regina V.; SIMÕES, Sandro A. S. História do direito [Recurso eletrônico on-line] organização CONPEDI/CESUPA. Coordenadores: Regina Vera Villas Boas; Sandro Alex De Souza Simões – Florianópolis: CONPEDI, 2019. ISBN: 978-85-5505-862-2. Disponivel em:< http://site.conpedi.org.br/publicacoes/048p2018/02u3v55i>. Acesso em: 11 de janeiro de 2023.

SÁ, Magali Romero. O botânico e o mecenas: João Barbosa Rodrigues e a ciência no

Brasil na segunda metade do século XIX. História, Ciência, Saúde – Manguinhos. Vol. VIII, (suplemento), 998-924, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/hcsm/a/RdQnjqkydQgyHbkKKMbcG7H/?lang=pt. Acesso em: 08 de janeiro de 2023.

SANJAD, Nelson R. A Coruja de Minerva: o Museu Paraense entre o Império e a República, 186-1907. Tese (Doutorado em História das Ciências da Saúde) – Casa de Oswaldo Cruz, Fiocruz. Rio de Janeiro, 2005.

SANTOS, Maria C. F. A disciplina História Natural no Instituto de Educação do Rio de Janeiro nos anos 1930: considerações sobre metodologias de ensino e objetos escolares. Anais Eletrônicos do IX Congresso Brasileiro de História da Educação João Pessoa – Universidade Federal da Paraíba – 15 a 18 de agosto de 2017. (ISSN 2236-1855). Disponível em: < https://sbhe.org.br/uploads/proceeding/408/1e9930cec6ac3475d75b01353df92f03.pdf>. Acesso em: 29 de novembro de 2022.

SARGES, Maria de Nazaré. Belém: riquezas produzindo a Belle Époque (1870-1912). 2ª ed. – Belém: Paka-Tatu, 2004.

MOREIRA, Antônio F.; SILVA, Tomaz T (Orgs.). Currículo, Cultura e Sociedade. 12ª edição - São Paulo: Cortez, 2011.

SILVA, Tomaz T. Apresentação. In.: GOODSON, Ivor F. Currículo: Teoria e História. (Tradução Attílio Brunetta; Hamilton Francischetti) – 15ª edição atualizada e ampliada – Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

PARÁ. Portaria de 9 de junho de 1874. Suprime a cadeira vaga de química e física do Liceu Paraense e bem assim a de instrução religiosa do curso normal do mesmo Liceu, extinto pelo regulamento desta data. In.: Coleção das Leis da Província do Grão-Pará. Tomo XXXVI, Parte 1. Belém: Tipografia do Diário do Grão-Pará, 1874.

Downloads

Publicado

2023-11-17

Como Citar

LIMA, M. C. de; ALVES, J. J. de A. TRAJETÓRIA INICIAL DA HISTÓRIA NATURAL NAS INSTITUIÇÕES DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO PARÁ (1870-1890). REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23081, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.15086. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15086. Acesso em: 2 mar. 2024.