CULTURA DA MANDIOCA: CONTRIBUIÇÕES PARA O REDESENHO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA NA AMAZÔNIA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.15065

Palavras-chave:

Cultura regional, Formação de professores, Mandioca, Química

Resumo

As contribuições dos saberes e fazeres locais para o redesenho da formação inicial de professores de Química se fundamentam nas competências gerais da Educação Básica que anseia pela valorização da diversidade de vivências culturais, conhecimentos e experiências vinculadas ao contexto dos alunos. Esta pesquisa foi desenvolvida com o objetivo de apresentar uma temática regional para se pensar em construir uma proposta de formação inicial para atender as reais necessidades da região Amazônica, promover melhorias no currículo, garantir o direito à aprendizagem dos alunos, reconhecer as especificidades regionais, fomentar um currículo diversificado que não só valorize e reconheça as diferenças, mas que contemple nos espaços formativos a diversidade cultural, que possui fisionomia própria, com predomínio de elementos indígenas, mesclado a caracteres negros e europeus e cujo ator principal é o caboclo, resultante da miscigenação do índio com o branco, e cuja força cultural tem origem na forma de articulação com a natureza. Para atender um dos princípios da investigação científica, elegemos, em relação à abordagem, a pesquisa qualitativa e descritiva que amparam o procedimento metodológico. Este estudo foi desenvolvido no curso de licenciatura em Química CESP/UEA e nas escolas campo-estágio, tendo como protagonistas do processo de redesenho da formação inicial de professores de Química na Amazônia, professores formadores de professores, licenciandos, professores regentes, alunos da educação básica e pessoas que detém informações sobre os saberes culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Pedro Campelo de Assis Junior , Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Parintins, Amazonas, Brasil

Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Química pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (1989), especialização em Metodologia do Ensino Superior pelo Centro Universitário do Norte - UNINORTE (2002), mestrado em Química - área de concentração Ensino de Química pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2017). Atualmente é professor de química do ensino médio da Secretaria de Educação do Estado do Amazonas - SEDUC e professor do ensino superior da Universidade do Estado do Amazonas - UEA . Tem experiência na área de Ensino da Química desde 1991, tendo atuado no Ensino Fundamental, Médio, Superior e em Cursos preparatórios para acesso à Universidade. Participação ativa em Simpósios e Congressos de Química com vários trabalhos aceitos para apresentação em banners e oral nesses eventos.

Célia Maria Serrão Eleutério , Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Parintins, Amazonas, Brasil.

Formação: Doutora em Educação em Ciências e Educação Matemática - Rede Amazônica de Educação em Ciências ? REAMEC - Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Linhas de Pesquisas: Formação de Professor; Etnoconhecimento e Educação Química. Formação complementar: Mestre em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia (UEA). Especialista em Metodologia do Ensino Superior (FSDB). Licenciada e Bacharel em Química (UFAM). Pertence ao quadro de docentes da Universidade do Estado do Amazonas, lotada no Curso de Licenciatura em Química no Centro de Estudos Superiores de Parintins (CESP). Atua como professora de Prática de Ensino e Estágio Supervisionado; Metodologia do Estudo, Metodologia do Ensino de Ciências Naturais no curso de Licenciatura em Química e coordena um grupo de estudantes que atuam nas escolas públicas no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID). Na SEDUC/AM desenvolve atividades docentes na Escola Estadual Senador João Bosco no município de Parintins. Orienta projetos de iniciação científica (PAIC/UEA) e de Pós-Graduação Lato e Stricto-Senso. Atividades desenvolvidas: Coordenou o Grupo de Química no Projeto Arquimedes/Manaus (UEA/SEDUC/FINEP); coordena o Laboratório de Educação Química e Saberes Primevos no CESP/UEA e o subprojeto "Práticas Interdisciplinares: estratégias para a compreensão das relações entre a Ciência, Tecnologia & Sociedade em Parintins-AM" vinculado ao Programa Novos Talentos (CAPES). Trabalhou como professora-formadora no Curso de Capacitação e Pós-Graduação (Lato Senso) Metodologia do Ensino de Ciências Naturais (UEA/SEDUC); em Educação do Campo com ênfase ProJovem Campo Saberes da Terra; no Programa de Formação de Professores Indígenas/PROIND; no Programa de Formação de Professores da Educação Básica-PROFORMAR/UEA; no Curso Normal Superior-Modular/ENS/UEA e no Curso de Tecnologia em Alimentos. Tem experiência na área de Educação Química, discute Formação de Professores. Participou do Programa Sala de Professor/TV Escola/MEC, colaborou com vários Projetos de Pesquisas no Departamento de Geociências, coordenou o Laboratório de Geoquímica/UFAM.

Renato Henriques de Souza, Universidade Federal do Estado do Amazonas (UFAM), Manaus, Amazonas, Brasil.

Renato Henriques de Souza é Professor de Química Geral e Inorgânica na Universidade Federal do Amazonas. Possui graduação em Licenciatura em Química pela Universidade Estadual de Campinas (2006), graduação em Bacharelado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (2002), Mestrado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (2004) e Doutorado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (2011) . Atuou na área de Química Inorgânica, principalmente na área de catálise e transformação de moléculas. Atualmente atua, principalmente, na Educação Química e Extensão Universitária, trabalhando com a aplicação no ensino de situações comuns no cotidiano e mídia, formação de professores e processos de ensino-aprendizagem.

Referências

ADAMS, Cristina; MURRIETA, Rui; SIQUEIRA, Andréa D. et al. O pão da terra: da invisibilidade da mandioca na Amazônia. IN: ADAMS, Cristina.; MURRIETA, Rui; NEVES, W. (Org.). Sociedades caboclas amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Annablume, 2008. p. 295-321.

AMAZONAS. Proposta Curricular de Química para o Ensino Médio. Manaus: SEDUC – Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino, 2012.

AMAZONAS. Proposta Curricular e Pedagógica do Ensino Médio. Secretaria de Estado de Educação e Desporto - SEDUC, Manaus: AM, 2021.

APPOLINÁRIO, Fabio. Dicionário de metodologia científica: um guia para a produção do conhecimento científico. São Paulo, Atlas, 2009.

ARAÚJO, M. D. F. de; COSTA, L. de F. M. Espaços não formais e a Mobilização de Processos Cognitivos: Implicações ao Ensino de Ciências no Estado do Amazonas. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e22052, 2022. https://doi.org/10.26571/reamec.v10i3.14029

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural e orientação sexual. Secretaria da Educação Fundamental, 2. ed., Rio de Janeiro: DP&A, 2000. 164 p.

BRASIL. Parecer CNE/CES 1.303/2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. D. O. U., 7/12/2001, Seção 1, p. 25. Brasília, 6/11/2001.

BRASIL. Portaria nº 971, de 3 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Ministério da Saúde, Gabinete do Ministro, 2006.

BRASIL. Decreto Nº 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, 07/02/2007.

BRASIL. Resolução nº 2, de 30 de janeiro 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica. D. O. U., Brasília, 31 de janeiro de 2012, Seção 1, p. 20.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação; Secretária de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Conselho Nacional da Educação. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Alimentos regionais brasileiros. Ministério da Saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Resolução CNE/CP 2/2015. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015 – Seção 1 – pp. 8-12.

BRASIL. Programa Ensino Médio Inovador: Documento orientador – Elaboração de Propostas de Redesenho Curricular. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Currículos e Educação Integral, Coordenação Geral de Ensino Médio. Brasília: DF, 2017.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2018.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, Vozes, 2014.

CEREDA, Marney Pascoli. Caracterização dos subprodutos da industrialização da mandioca. Manejo, Uso e Tratamento de subprodutos da industrialização da mandioca. São Paulo: Fundação Cargill, 2001. cap. 1, p.13-37. (Série Culturas de tuberosas amiláceas Latino-Americanas; v.4).

CHASSOT, A. Fazendo Educação em Ciências em um Curso de Pedagogia com Inclusão de Saberes Populares no Currículo. Química Nova na Escola, São Paulo, n. 27, p. 9-12, fev. 2008. Disponível em: https://cabecadepapel.com/sites/colecaoaiq2011/QNEsc27/03-ibero-2.pdf. Acesso em: 30 ago. 2023.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa em ciências humanas e sociais [livro eletrônico]. São Paulo: Cortez, 2018.

CLARINDO, Maximillian Ferreira. Medicina Popular e comunidades rurais da Região da Serra das Almas, Paraná: o amálgama cosmo-mítico-religioso tradicional. Dissertação (Mestrado em Gestão de Território). Universidade Estadual de Ponta Grossa, Programa de Pós-Graduação em Geografia. Ponta Grossa: PR, 2014. Disponível em: http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/564 Acesso em: 13 de set. 2022.

CÓRDULA, Eduardo Beltrão de Lucena. Fenomenologia versus Positivismo Científico: metodologias aplicadas às pesquisas em comunidades humanas. Revista Intersaberes, set.- dez. 2015, Curitiba, v. 10, n. 21, p. 660-675, 2015. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/617. Acesso em: 30 ago. 2023.

ELEUTÉRIO, Célia Maria Serrão. O Diálogo entre Saberes Primevos, Acadêmicos e Escolares: potencializando a Formação Inicial de Professores de Química na Amazônia. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Mato Grosso. Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Cuiabá, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

FURTADO, Lays. Mandioca, macaxeira, aipim: a raiz mais popular do Norte ao Nordeste. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – Brasil. 8 de dezembro de 2020.

GEWEHR, Rodrigo Barros; BAÊTA, Jéssica; GOMES, Emanuelle; TAVARES, Raphael. Sobre as práticas tradicionais de cura: subjetividade e objetivação nas propostas terapêuticas contemporâneas. Revista Psicologia da USP, v. 28, n.1, 2017.

GONDIM, Maria Stela da Costa. A inter-relação entre saberes científicos e saberes populares na escola: uma proposta interdisciplinar baseada em saberes das artesãs do Triângulo Mineiro. Dissertação (Mestrado Profissionalizante em Ensino de Ciências), Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

GRANELO, Luiza; BARÉ, Gilda Barreto. Comidas tradicionais indígenas do Alto Rio Negro- AM. Centro de Pesquisa Leônidas e Maria Deane. Manaus: Fiocruz, 2009.

KOCHE, José Carlos. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

LAZZARIN, Luís Fernando. Bases epistemológicas da pesquisa em educação. 1. ed. – Santa Maria, RS: UFSM, NTE, UAB, 2017.

LEMOS, Radamés Gonçalves de. Práticas de Ensino de Química: narrativas dos professores/as e alunos/as ribeirinhos do Alto Solimões – AM. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018.

LIBÂNEO, José Carlos. Cultura, mídia e escola. O que muda no trabalho dos professores? Educativa. Goiânia, v. 9, n. 1, p. 25-46 jan./jun, 2006. Disponível em: https://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa/article/view/73. Acesso em: 30 ago. 2023.

LIMA, Aline Cristina da S. Lima; MAGALHÃES, Caroline Stéphanie C. A.; ASSIS, Sandra Maria de Assis; SILVA, Silvia Helena dos S. Costa. O desafio do conhecimento. Revista Eletrônica Inter-Legere, n. 14, janeiro a junho de 2014. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/4873. Acesso em: 30 ago. 2023.

LINHARES, Anny da Silva; SANTOS, Clarissa Vieira dos. “A casa de farinha é a minha morada”: transformações e permanências na produção de farinha em uma comunidade rural na região do Baixo Tocantins-PA. Agric. Fam. Belém-PA n. 10 p. 53-66 dez. 2014. http://dx.doi.org/10.18542/raf.v0i10.4430

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2000. p. 236.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2013.

MALHEIROS, Bruno Taranto. Metodologia da Pesquisa em Educação. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

MARCONI, Maria de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: 9. ed., Atlas, 2021.

MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisas qualitativas em saúde. São Paulo (SP): Hucitec, 2014. 393p.

MOREIRA, Antônio Flavio Barbosa, CANDAU, Vera Maria. Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. Rev. Bras. Educ. [online]. 2003, n.23, pp.156-168. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/99YrW4ny4PzcYnSpVPvQMYk/?format=pdf Acesso em: 22 de dez. 2022.

OLIVEIRA, Francisco Nelsieudes Sombra. Considerações sobre os princípios tóxicos da mandioca. Porto Velho: EMBRAPA-DDT, 1986.

OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de; SANTOS, Tânia Regina Lobato dos. (Org.). Cartografias de Saberes: representações sobre a cultura amazônica em práticas de educação popular. Belém: EDUEPA, 2007.

PATIAS, Naiana Dapieve; HOHENDORFF, Jean Von. Critérios de qualidade para artigos de pesquisa qualitativa. Psicol. estud., v. 24, 2019.

QUADROS, Ana Luiza de; SILVA, Dayse Carvalho da; ANDRADE, Frank Pereira de; ALEME; Helga Gabriela; OLIVEIRA, Sheila Rodrigues; SILVA, Gilson de Freitas. Ensinar e aprender Química: a percepção dos professores do Ensino Médio. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 40, p. 159-176, abr./jun. 2011. https://doi.org/10.1590/S0104-40602011000200011

RODRIGUES, A. L. C. A Complexidade da cultura amazônica e seu reflexo para a organização e representação da informação. AtoZ, Curitiba, v. 1, n. 2, p. 10-25, jan./dez. 2012. Disponível em: file:///C:/Users/dails/Dropbox/My%20PC%20(DESKTOP-CMNIBVH)/Downloads/41309-154166-1-PB.pdf. Acesso em: 30 de ago. 2023.

RODRIGUES, C. N.; COLATRELI, O. P.; YAMAGUCHI, K. K. de L. A valorização dos Saberes Tradicionais utilizando o Tucupi Amazônico como Ferramenta para o Ensino de Ciências. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 519-539, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.9968

SANTOS, Núbia Dias dos. Pelo espaço do homem-camponês: estratégias de Reprodução social no sertão do Estado de Sergipe. Anais do VII Congresso Brasileiro de Geógrafos, Vitória: ES, 10 a 16 de agosto de 2014.

SILVA, Mirleide Andrade; COSTA, Edivaldo da Silva; COSTA, Aline Alves. Conhecimento científico e senso comum: uma abordagem teórica. VII Colóquio Internacional São Cristóvão/SE/Brasil. “Educação e Contemporaneidade” de 19 a 21 de setembro de 2013.

SOUSA, Camila Brandão; LIMA, Paloma Viana; LUZ, Felicy Carolina Mota; LIMA, Karla de Souza; MUNIZ, Jodenilson Meireles; SOUZA, Nayra Dias; SANTOS, Mônica Jacaúna; MACHADO, Aldemira Jacaúna; FERREIRA, Maria Lenilda Glória; ASSIS-JUNIOR, Pedro Campelo de; ELEUTÉRIO, Célia Maria Serrão. Cultura amazônica: um olhar sobre as propriedades físico-química e nutricionais de farinhas produzidas com a espécie vegetal manihot esculenta crantz (mandioca). Anais do 15º SIMPEQUI – Simpósio Brasileiro de Educação Química “Saberes tradicionais e científicos: diálogos na Educação Química”. 07-09 de agosto de 2017, Manaus: AM, 2017.

SOUSA, Janara. As sete teses equivocadas sobre conhecimento científico: reflexões epistemológicas. Revista Ciências & Cognição, v.8, Rio de Janeiro, ago. 2006. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1806-58212006000200015. Acesso em: 30 ago. 2023.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 16. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

UEA. Universidade do Estado do Amazonas. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Química. Centro de Estudos Superiores de Parintins – CESP. Parintins: Amazonas, 2019.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3.ed. Rio de Janeiro: Atlas, 2000.

VIEIRA, Maria de Fátima Vieira; FRANCISCON, Carlos H.; RIBEIRO, Joana D’Arc; RIBEIRO, Gilberto de Assis; GUSMÃO, Gizelle Amora; GONZAGA, Adriana Dantas. Mandioca e macaxeira (Manihot mill.) como tema transversal na escola rural do ensino fundamental no Amazonas, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 1, p. 15-17, jul. 2007. Disponível em: Mandioca e macaxeira (Manihot Mill.) como tema transversal na escola rural do ensino fundamental no Amazonas, Brasil. | Revista Brasileira de Biociências (ufrgs.br) Acesso em: 20 out. 2022.

Downloads

Publicado

2023-10-13

Como Citar

ASSIS JUNIOR , P. C. de .; ELEUTÉRIO , C. M. S. .; SOUZA, R. H. de . CULTURA DA MANDIOCA: CONTRIBUIÇÕES PARA O REDESENHO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA NA AMAZÔNIA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23054, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.15065. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15065. Acesso em: 25 jul. 2024.