SEQUÊNCIA DIDÁTICA COMO ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO ALGÉBRICO NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.15042

Palavras-chave:

Educação Matemática, Anos Finais do Ensino Fundamental, Pensamento Algébrico, Recursos didáticos

Resumo

Para o desenvolvimento do pensamento algébrico é essencial utilizar estratégias metodológicas de ensino para desenvolver nos estudantes habilidades algébricas, com vistas a produzir significados aos objetos de conhecimento da álgebra. A pesquisa teve como objetivo investigar atividades organizadas em uma sequência didática que abordem os conceitos de polinômios e suas operações para estudantes do Ensino Fundamental nos anos finais, na perspectiva da Base Nacional Comum Curricular. Esta investigação adotou uma abordagem do tipo qualitativa, com desenho característico de um estudo de caso. As análises das produções realizadas pelos estudantes de uma escola estadual na cidade de Manaus, estado do Amazonas, em conjunto com as observações e registros de imagens durante a aplicação das sequências de atividades, apontaram que a realização de tarefas organizadas em uma sequência didática aliada à metodologia de resolução de problemas e mediada pelo uso de material concreto como recurso didático, despertou o interesse dos alunos pelas atividades e contribuiu para o desenvolvimento de elementos característicos do pensamento algébrico, à medida que permitiu construir gradativamente conceitos matemáticos com significado. Além disso, a organização do trabalho docente em sala de aula contribuiu para o desenvolvimento de aspectos sociais e emocionais nos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fatima Alessandra Melo da Silva, Secretaria de Estado de Educação (SEDUC), Manaus, Amazonas, Brasil.

Possui graduação em matemática pela Universidade Federal do Amazonas (2008). Atualmente é professora - SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO.

Claudia Lisete Oliveira Groenwald, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, RS, Brasil.

Possui graduação em Matemática pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, especialização em Matemática pela Universidade do Vale do Rio do Sinos (UNISINOS), doutorado em Ciências da Educação pela Universidade Pontifícia de Salamanca, Espanha, título reconhecido pela Universidade de São Paulo (USP). Pós-doutorado pela Universidade de La Laguna na Espanha. Atualmente é professora titular da Universidade Luterana do Brasil. Atua no curso de Matemática Licenciatura e como coordenadora do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da ULBRA. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase na formação de professores, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Matemática, Currículo de Matemática, Tecnologias da Informação e Comunicação, Formação Continuada e Ensino e Aprendizagem. É secretária do Comitê Interamericano de Educação Matemática (CIAEM), gestão 2019-2023. É Diretora Nacional da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), gestão 2022-2025. Pesquisadora Bolsa Produtividade do CNPq, nível 2.

Referências

BOTAS, D.; MOREIRA, D. A utilização dos materiais didáticos nas aulas de Matemática – Um estudo no 1º Ciclo. Revista Portuguesa de Educação, 2013, 26(1), p. 253-286 © 2013, CIEd - Universidade do Minho.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

COELHO, F. U.; AGUIAR, M. A história da Álgebra e o Pensamento Algébrico: correlações com o ensino. Estudos Avançados [online]. 2018, v. 32, n. 94 [Acessado 22 Novembro 2022], p. 171-187. https://doi.org/10.1590/s0103-40142018.3294.0013

CRESWELL, J. W. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

CRESWELL, J. W. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

GODINO, J. D.; FONT. V. Razonamiento Algebraico y su Didáctiva para Maestros. Granada, Espanha: Universidade de Granada, 2003. Disponível em: http://www.ugr. es/local/jgodino/edumat-maestros/ . Acesso em: 03 de fev. 2023.

GROENWALD, C. L. O.; BECHER, E. L. Características do Pensamento Algébrico de estudantes do Ensino médio com equações do 1º grau. Acta Scientiae. v. 12, n.1, p. 83-94, 2010. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/view/8/0. Acesso em: 06 jun. 2023.

KAIBER, C.; GROENWALD, C. L. O. Pesquisa e prática nos Anos Finais do Ensino Fundamental: um olhar a partir dos trabalhos apresentados no XIII ENEM no eixo recursos didáticos. In: PANOSSIAN, M. L; GALVÃO, M. E. E. L. Recursos didáticos em aulas de Matemática. Brasília, DF: SBEM Nacional, 2022.

KAPUT, J. J. Teaching and learning a new algebra. In: FENNEMA, E.; ROMBERG, T. (Eds.), Mathematics classrooms that promote understanding Mahwah, NJ: Erlbaum, p. 133-155, 1999.

KAPUT, J. Teaching and learning a new algebra with understanding. Documento retirado de http://www.simcalc.umassd.edu/downloads/KaputAlgUnd.pdf em 21 de Outubro de 2005.

LORENZATO, S. (org.). O Laboratório de Ensino de Matemática na formação de professores. 1ª. Ed. Campinas, SP: Autores Associados, p. 3-37, 2006 (Coleção Formação de Professores).

LUCENA, R. S. Laboratório de Ensino de Matemática. Fortaleza: UAB/IFCE, p. 94, 2017.

MANCERA, E.; BASURTO, E. Matebloquemática – La forma de aprender matemáticas haciéndose la vida de cuadritos. Colección Formación de Docentes de Matemáticas. Sirve. México, 2016.

NATIONAL COUNCIL OF TEACHERS OF MATHEMATICS – NCTM. De los principios a la acción – para garantizar el éxito matemático de todos. Trad. por CIAEM. México, D. F., 2015.

NOVELLO, T. P.; SILVEIRA, D. S.; LAURINO D. P. O uso de materiais concretos no ensino da Matemática nas primeiras etapas de escolarização. Rio grande do norte, p. 19-22, 2009.

PONTE, J. P.; BRANCO, N.; MATOS, A. Álgebra no Ensino Básico. MEC/Direção geral de inovação e desenvolvimento curricular. Portugal, 2009.

SANTOS; C. C. S.; LUVISON, C. C.; MOREIRA, K. G. A construção do Pensamento Algébrico no Ensino Fundamental I: Possíveis trabalhos para a percepção de regularidades e de generalizações. In: NACARATO, A. M.; CUSTÓDIO, I. A. O Desenvolvimento do Pensamento Algébrico na educação básica: compartilhando propostas de sala de aula com o professor que ensina (ensinará) Matemática. Brasília: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2018.

SARMENTO, A. K. C. A Utilização dos Materiais Manipulativos nas aulas de Matemática. Universidade Federal do Piauí, 2010.

SOUZA, M. L. V.; LOPES, S. A. A.; NASCIMENTO, K. G. Álgebra: proposta da unidade temática na BNCC e desafios por sua trajetória ao longo dos nove anos do Ensino Fundamental. ANPMat. Rio de Janeiro, 2020.

SOUZA, S. E. O uso de recursos didáticos no ensino escolar. In: I Encontro de Pesquisa em Educação, IV Jornada de Prática de Ensino, XIII Semana de Pedagogia da UEM: “Infância e Práticas Educativas”. Arq Mudi. 2007.

STAKE, R. E. The case study method in social inquiry. In DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. The American tradition in qualitative research. Vol. II. Thousand Oaks, California: Sage Publications, 2001.

ZABALA, A. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2023-06-23

Como Citar

SILVA, F. A. M. da; GROENWALD, C. L. . O. . SEQUÊNCIA DIDÁTICA COMO ESTRATÉGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO ALGÉBRICO NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23036, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.15042. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15042. Acesso em: 21 jun. 2024.