Patrimônio cultural e pertencimento

contribuição para pensar o currículo na educação infantil

Autores

Palavras-chave:

Educação Infantil, Cidade, Infância, Patrimônio cultural

Resumo

O artigo apresenta parte de uma pesquisa que buscou compreender as dimensões teóricas e práticas que compõem a relação criança, cidade e patrimônio no âmbito da educação infantil e abrangeu duas cidades históricas. A análise decorre da pesquisa de cunho etnográfico realizada em Penedo, AL, envolvendo o acompanhamento das crianças de duas escolas municipais em suas saídas às ruas da cidade, mobilizadas por diversos motivos. Cinco episódios que dimensionam a força da cultura local são considerados esteio para a participação, significação e/ou ressignificação do patrimônio cultural pelas crianças rompendo com a distância que separa os saberes e fazeres da cultura local da cultura escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jeane Costa AMARAL, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Alagoas, Mestre em Educação pela Universidade Federal de Sergipe(2015), possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Feira de Santana (1996) e Pós-graduação em Supervisão escolar (2004) pela Universidade Estadual de Feira de Santana.

Lenira HADDAD, Universidade Federal de Alagoas

Doutorado em Educação pela Faculdade de Educação da USP, Mestrado em Psicologia Escolar pelo Instituto de Psicologia da USP, graduação em Psicologia pela FFCL-USP Ribeirão Preto. É professora associada da Universidade Federal de Alagoas, pesquisadora associada do Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade / Educação (CIERS-ed) da Fundação Carlos Chagas, membro do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora.

Maria Assunção FOLQUE, Universidade de Évora

Doutora em Educação pelo Institute of Education University of London. Professora no Departamento Pedagogia e Educação na Universidade de Évora e diretora dos Mestrados profissionais em Educação Pré-escolar e em Educação Pré-escolar e Ensino do 1º ciclo do ensino básico da Universidade de Évora. É membro integrado do Centro de Investigação em Educação e Psicologia da Universidade de Évora. Consultora da Fundação Calouste Gulbenkian, assumindo a coordenação cientifica no Projeto Intesys – Serviços Integrados para a Infância para apoiar crianças e famílias em situação de vulnerabilidade, financiado pelo Programa Erasmus em parceria com a Fundação Aga Khan.

Referências

ABRAMOWICZ, A. A pesquisa com crianças em infâncias e a sociologia da infância. In: FARIA, A. L. G. de; FINCO, D. (Org.) Sociologia da infância no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2011.

AMARAL, J. C. A criança, a cidade e o patrimônio no âmbito da educação infantil: identidade cultural, pertencimento e participação. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Gradução em Educação, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2021.

ARAÚJO, L. G. de. A prática educativa da mandiocada nas comunidades quilombolas Tabuleiro dos Negros e Sapé – Alagoas. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristovão, 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 30 abr. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. CNE/CEB. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI). Brasília, 2009.

FOLQUE. A. Reconstruindo a cultura em cooperação mediado pela pedagogia para a infância do Movimento da Escola Moderna portuguesa. Perspectiva, Florianópolis: Centro de Ciências da Educação da UFSC, V. 32, N.3, pp. 951 – 975, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p951. Acesso em 20/08/2020.

FOLQUE. A. O lugar da criança na educação infantil numa perspectiva histórico-cultural. In: Almeida da Costa, S.; Amaral Mello, S. (Org.). Teoria Histórico-Cultural na Educação Infantil: conversando com professoras e professores (pp. 51-63). Curitiba: CRV, 2017.

DUARTE, R. Design, cidades e patrimônio. In: NETTO, R. (Org.); HOLANDA, C. R. (Coord.). Curso de Formação de mediadores de educação para patrimônio. Ilustrado por Daniel Dias. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2020, f. 2.

GONÇALVES, J. Da educação do público à participação cidadã: sobre ações educativas e patrimônio cultural. Mouseion, Canoas, N. 18, dezembro 2014. In: HADDAD, L. A criança, a cidade e o patrimônio: construindo um acervo dos saberes e fazeres da comunidade penedense. Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) 2020-2021. Maceió, UFAL, 2021.

HADDAD, L.; BEZELGA, I.; FOLQUE, M.A.; AMARAL, J.C. Projeto A criança, a cidade e o patrimônio: diálogos com os saberes e fazeres das comunidades penedense e eborense. (No prelo, 2021).

HADDAD, L. Projeto A criança, a cidade e o patrimônio: diálogos com os saberes e fazeres das comunidades penedense e eborense. Proposta Técnica, Fundepes, 2018.

IPHAN. Gabinete da Presidência. Portaria nº 169 de 18 de dezembro de 1995. Dispõe sobre o tombamento do Centro Histórico do Município de Penedo. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 19 dez. 1995. Seção 1, p. 34.

IPHAN. Inventário nacional de referências culturais: manual de aplicação. Brasília, DF: IPHAN, 2015.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated Learning: legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

MORAES, A. S. de. A Feira no Centro Histórico do Penedo: um cotidiano urbano. 2019. 164 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2013.

NOGUEIRA, A. G. R.; RAMOS FILHO, V. S. Afinal, o que é patrimônio? Conceitos e Trajetórias. In: NETTO, R. (Org.); HOLANDA, C. R. (Coord.). Curso Formação de mediadores de educação para patrimônio. Ilustrado por Daniel Dias. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2019, f.1.

PEREIRA, R. R. Infância e cultura. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Ser criança na educação infantil: infância e linguagem. Brasília: MEC-SEB, 2016, p. 48. Caderno 2.

ROGOFF, B. Cognition as a collaborative process. In: KUHN, D.; SIEGLER, R. S. (Org.). Handbook of child psychology: cognition, perception, and language. New York: John Wiley & Sons, 1998. p. 679-744. v. 2.

SANTOS, M. O dinheiro e o território. In: SANTOS, M.; BECKER, B. (Org.). Território, territórios: ensaios sobre o ordenamento territorial. 3. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

SANTOS, M. O retorno do território. In: SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L.; SOUZA, M. A. (Org.). Território: globalização e fragmentação. 4. ed., São Paulo: Hucitec-Anpur, 1998.

Downloads

Publicado

2021-09-01

Como Citar

COSTA AMARAL, J. .; HADDAD, L. .; ASSUNÇÃO FOLQUE, M. . . Patrimônio cultural e pertencimento: contribuição para pensar o currículo na educação infantil. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 30, n. jan/dez, p. 1-21, 2021. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/12321. Acesso em: 24 set. 2021.