Sobre a Revista

Foco e Escopo

Missão

Disseminar conhecimentos científicos da área de Educação, em meio às diferentes perspectivas teórico-metodológicas de análises, em tempos e espaços diversos, no sentido de fomentar e facilitar o intercâmbio de pesquisas produzidas dentro desse campo de saber, em âmbito regional, nacional e internacional, e assim, contribuir para o enfrentamento e o debate acerca dos problemas da educação brasileira em suas diferentes esferas.ObjetivosContribuir para a divulgação de resultados de pesquisas científicas da área de Educação no sentido de facilitar o intercâmbio de investigações produzidas dentro desse campo de saber, em âmbito regional, nacional e internacional.Público AlvoPesquisadores, educadores, professores, alunos de graduação, pós-graduação e grupos de pesquisas que estudam e subsidiam teórico-metodologicamente ações educativas em diversos tempos e espaços. Além de bibliotecas federais, estaduais e municipais, de universidades, Instituições de Educação Infantil, escolas de ensino fundamental e médio do Estado de Mato Grosso, bem assim em níveis nacional e internacional.Política de submissãoAceita artigos, predominantemente, resultantes de pesquisa em Educação e ensaios e resenhas que privilegiem obras de relevância na área. Os ensaios destinam-se somente às questões teóricas e metodológicas relevantes às seções. Estudos sobre o estado da arte acerca de temáticas voltadas ao campo educativo também são aceitos.A exatidão das ideias e opiniões expressas nos trabalhos são de exclusiva responsabilidade dos autores.O autor deve indicar, quando for o caso, a existência de conflito de interesses.O Conselho Editorial decide quanto à publicação de artigos de convidados externos de alta relevância da área de Educação. Como instrumento de intercâmbio a Revista prioriza mais de 70% de seu espaço para a divulgação de resultados de pesquisa externos à UFMT.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os trabalhos recebidos para publicação são submetidos à seleção prévia do editor científico da seção a que se destina o texto. As seções estão circunscritas às seguintes temáticas: Cultura Escolar e Formação de Professores; Educação, Poder e Cidadania; Educação e Psicologia; Educação Ambiental; História da Educação; Educação em Ciências e Matemática. Posteriormente, os textos são encaminhados sem identificação de autoria, ao julgamento de pareceristas designados pelo Conselho Científico. Cópias do conteúdo dos pareceres são enviadas aos autores, caso estes solicitem, sendo mantidos em sigilo os nomes dos pareceristas. Ajustes sugeridos pelos avaliadores são efetuados pelo o autor, no entanto, com reserva do anonimato de ambos. A avaliação é realizada pelo Conselho Consultivo da Revista ou outros avaliadores ad hoc, os quais levam em conta o perfil, a linha editorial da Revista, o conteúdo, a relevância e qualidade das contribuições. Todos os trabalhos são submetidos a dois pareceristas, especialistas na área. Havendo pareceres contraditórios, o Conselho Científico encaminha o manuscrito a um terceiro parecerista. Na última edição do ano, é publicada a relação dos pareceristas que contribuíram com as edições no período em pauta.

Periodicidade

Quadrimestral

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Fontes de Indexação

ANPEd http://www.anped.org.br/app/webroot/files/file/qualis2012.pdf

Capes –Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível superior – PERIODICOS.CAPES http://www-periodicos-capes-gov-br.ez52.periodicos.capes.gov.br/index.php?option=com_phome

CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades www.lib.umn.edu/indexes/moreinfo?id=12419

Diadorim http://diadorim.ibict.br/handle/1/375

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia http://www.ibict.br/

IRESIE – ÌNDICE DE Revista de Educación Superior y Investigación Educativa – UNAM Universidad Autónoma del México http://132.248.192.241/~iisue/www/seccion/bd_iresie/

LATINDEX http://www.latindex.unam.mx/buscador/resBus.html?opcion+2exacta+&palabra=RevistaEducacaoPublica

PKP – Public Knowledge Project http://pkp.sfu.ca/ SciELO –

EDUC@ http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_serial&lng=pt&pid=2238-2097

WebQualis http://qualis.capes.gov.br/webqualis/principal.seam

Sponsors

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso - FAPEMAT

Histórico do periódico

A Revista de Educação Pública foi editada pela primeira vez, na forma experimental, número 0, em 1989. Nasceu articulada ao Programa de Mestrado em Educação Pública da Universidade Federal de Mato Grosso. O primeiro número veio a público no segundo semestre de 1992. Em 1993, foi organizado um número temático sobre educação ambiental, resultado dos trabalhos de professores e alunos do curso de educação ambiental promovido pelo Instituto de Educação e apoiado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente - PNUMA, IBAMA e CNPq. Em 1994, sua periodicidade passou a ser semestral. A Revista de Educação Pública, desde o início, foi criada como um instrumento de intercâmbio, com exceção do número 02 que contou com articulistas de origem predominantemente externa. Os demais números, tiveram uma pequena participação externa. Isto porque o Programa de Mestrado voltou-se mais para a divulgação dos temas estudados em seu interior, com a preocupação de consolidar os grupos de pesquisa e uma base de conhecimento nas diversas linhas de atuação. Mais de duzentos artigos foram publicados nos dez anos iniciais da Revista. A partir do v.4, n.5, jan./jun. 1995, a Revista foi organizada na forma de seções nas quais o Editor científico procurou estimular o intercâmbio através da ampliação da publicação externa. Além disso, a Revista de Educação Pública tem-se definido pela exclusiva publicação de matérias de interesse para a pesquisa educacional - na forma de resultados ou de debates teórico-metodológicos. A sua publicação, na íntegra, por via eletrônica que já era uma pretensão acalentada há muito tempo, torna-se hoje realidade, em decorrência, inclusive, da crise econômica vivida pela Universidade pública.