PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E O JOGO: REFLEXÕES NO CONTEXTO ESCOLAR

Autores

Palavras-chave:

Jogo, Professores, Educação Física Escolar

Resumo

O objetivo desta investigação é discutir o fenômeno jogo, em consonância com a percepção de professores de Educação Física. De caráter descritivo, participaram do estudo 77 professores de educação básica da rede estadual da região da Grande Florianópolis, Santa Catarina. Como instrumento de pesquisa, foi utilizado um questionário. Os resultados apontam que os professores investigados apresentaram diferentes percepções sobre o jogo, a saber: o jogo é uma estratégia de ensino, é um conteúdo, é diversão, é um fenômeno cultural, é um fenômeno social e alguns participantes não responderam. Pode-se concluir que os professores apresentam diferentes percepções sobre jogo, com isso, podendo observar a polissemia do fenômeno jogo, o qual apresenta diversos conceitos em distintas áreas do conhecimento.

Biografia do Autor

Marcos Paulo Vaz de Campos Pereira, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Doutorando em Ciências do Movimento Humano pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Membro do Laboratório de Pesquisa em Práticas Pedagógicas da Educação Física (LAPRAPEF) no Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina. 

Gelcemar Oliveira Farias, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Professora Adjunta da Universidade do Estado de Santa Catarina. Membro do Laboratório de Pesquisa em Práticas Pedagógicas da Educação Física (LAPRAPEF) no Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina. 

Referências

BARDIN, Lawrence. Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1977.

BETTI, Mauro. Educação física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

BRASIL. Ministério da educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília, DF: MEC, 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Educação Física. Brasília, DF: MEC /SEF, 1998.

BROUGÉRE, Gilles. Jogo e educação. Porto Alegre, RS: Artmed, 1998.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa, Portugal: Cotovia, 1990.

CHÂTEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987.

CIRINO, Carolina; PEREIRA, Marcos Pereira Vaz de Campos; SCAGLIA, Alcides José. Sistematização dos Conteúdos das lutas para o ensino fundamental: uma proposta de ensino pautada nos jogos. Revista mineira de educação física, ed. especial, n. 9, p. 221-227, 2013.

FABIANI, Débora Jaqueline Farias; SCAGLIA, Alcides Jorge. O inventário da cultura lúdica: os espaços, os materiais e os jogos desenvolvidos pelas crianças no horário livre. Lúdicamente, Buenos Aires, v. 14, n.1, p. 1-22, 2018.

FREIRE, João Batista. O Jogo entre o riso e o choro. São Paulo: Autores Associados, 2002.

FREIRE, João Batista; SCAGLIA, Alcides José. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.

HOUAISS, Instituto Antonio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2000.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

______. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Cengage Learning, 1994.

LEONARDO, Lucas; SCAGLIA, Alcides José; REVERDITO, Riller Silva. O ensino dos esportes coletivos: metodologia pautada na família dos Jogos. Motriz, v. 15, n. 2, p. 236-246, 2009.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos e colaboradores. Lutas na escola: sistematização do conteúdo por meio da rede dos jogos de lutas. Conexões, v. 15, n.3, p. 338-348, 2017.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos e colaboradores. Reflexões sistêmicas do jogo: contribuições para a educação física, Journal of sport pedagogy and research, v. 4, n. 3, p. 60-64, 2018.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos e colaboradores. O jogo como estratégia pedagógica para o ensino da educação física escolar no 5º ano do ensino fundamental I. Corpoconsciência, v. 20, p. 1-8, 2016.

PEREIRA, Marcos Paulo Vaz de Campos e colaboradores. Construction and preliminary validation of an instrument for understanding fighting teaching in school physical education. Revista de artes marciales asiáticas, v. 14, n. 2, p. 56-66, 2019.

SANTA CATARINA. Governo do Estado, Secretaria de Estado da Educação. Proposta curricular de Santa Catarina: formação integral na educação básica. Secretaria de Estado da Educação: Florianópolis, SC, 2014.

SCAGLIA, Alcides José. O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes. 164f. 2003. Doutorado (Educação Física). Faculdade de Educação Física. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2003.

______. Referencial curricular da educação básica das escolas públicas municipais de Franca, Franca SP, 2007.

SCAGLIA, Alcides José e colaboradores. O ensino dos jogos esportivos coletivos: as competências essenciais e a lógica do jogo em meio ao processo organizacional sistêmico. Movimento, v. 19, n. 4, p. 1-30, 2013.

SOARES, Carmen Lúcia e colaboradores. Metodologia do ensino da educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VYGOTSKY, Lev Semenovich; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alex N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo, SP: Ícone, 1988.

Downloads

Publicado

2020-07-23

Como Citar

Pereira, M. P. V. de C., & Farias, G. O. (2020). PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E O JOGO: REFLEXÕES NO CONTEXTO ESCOLAR. Corpoconsciência, 24(2), 82-90. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/9710

Edição

Seção

Seção Temática - IMPLICAÇÕES EPISTEMOLÓGICAS DO JOGO (BRINQUEDO E BRINCADEIRA) NAS PRÁTICAS CORPORAIS