A PRÁTICA DA GINÁSTICA PARA TODOS COMO UMA POSSIBILIDADE DE PROMOVER A AUTONOMIA DA PESSOA IDOSA

Autores

  • Ingrid de Oliveira Santos Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil
  • Mariana Harumi Cruz Tsukamoto Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil

Palavras-chave:

Ginástica Para Todos, Autonomia, Envelhecimento, Idosos

Resumo

A Ginástica Para Todos (GPT) é uma modalidade gímnica que proporciona atividades adequadas para todos os gêneros, faixas etárias, habilidades e experiências culturais. O objetivo deste estudo foi identificar de que forma os idosos praticantes de GPT no programa “USP Aberta à Terceira Idade” da EACH-USP compreendem a modalidade e observar como essa prática pode contribuir com a autonomia deste público. Para a coleta de dados utilizou-se uma entrevista semiestruturada. Os dados foram categorizados de acordo com a proposta de ensino da Federação Internacional de Ginástica. Os achados da pesquisa indicaram que os idosos percebem a GPT como uma modalidade prazerosa que não se limita apenas ao desenvolvimento do condicionamento físico. Ao longo desses anos o projeto tem contribuído com a autonomia e independência dos idosos, à medida que auxilia na manutenção e melhora da capacidade funcional e afeta de forma positiva a saúde mental e psicológica desses indivíduos.

 

 

Referências

CACHIONI, Meire; ORDONEZ, Tiago Nascimento. Motivos para frequentar um programa de educação permanente: relato dos alunos da universidade aberta à terceira idade da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 14, n. 3, p. 461 - 474, jul./ set., 2011.

______. Universidade aberta à terceira idade: a experiência da Escola de Artes, Ciências e Humanidades. Revista brasileira de ciências do envelhecimento humano, v. 6, n. 1, p. 76-86, jan./ abr., 2009.

CASPERSEN, Carl J. e colaboradores. Physical activity, exercise, and physical fitness: definitions and distinctions for health-related research. Public health reports, v. 100, n. 2, p. 126-131, mar./ abr., 1985.

FALCÃO, Deusivania Vieira da Silva; ARAÚJO, Ludgleydson Fernandes de. Idosos e saúde mental. Campinas, SP: Papirus, 2010.

FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE GINÁSTICA (FIG). Fundamentos de la gimnasia. Lausanne, Suíça: FIG, 2010.

______. Gymnastics for all manual. Lausanne, Suíça: FIG, 2016.

______. Gymnastics for all manual. Lausanne, Suíça: FIG, 2019.

FERNANDES, Ana Paula Sabchuk; DE CÁSSIA OLIVEIRA, Rita. O idoso e a ludicidade. Publicatio UEPG: Ciências Humanas, Linguistica, Letras e Artes, v. 20, n. 2, p. 151-160, jan./ jun., 2012.

FIORIN-FUGLSANG, Cristiane Montozo; PAOLIELLO, Elizabeth. Possíveis relações entre a ginástica geral e o lazer. In: PAOLIELLO, Elizabeth (Org.). Ginástica geral: experiências e reflexões. São Paulo: Phorte, 2008.

FREITAS, Elizabete Viana de e colaboradores. Tratado de geriatria e gerontologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

GALLO, Luiza Herminia; GOBBI, Sebastião; ZULUAGA, Carlos Federico Ayala. Parâmetros da programação de exercício físico. In: COELHO, Flávia Gomes de Melo (Org.). Exercício físico no envelhecimento saudável e patológico: da teoria à prática. Curitiba, PR: CRV, 2013.

GUERRA, Isabel Carvalho. Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo: sentidos e formas de uso. Portugal: Princípia, 2006.

LIMA, Márcia. O uso da entrevista na pesquisa empírica. In: ABDAL, Alexandre e colaboradores (Org.). Métodos de pesquisa em ciências sociais: bloco qualitativo. São Paulo: SESC, 2016.

MIRANDA, Maria L. de J.; GODELI, Maria RCS. Música, atividade física e bem-estar psicológico em idosos. Revista brasileira de Ciência e Movimento, v. 11, n. 4, p. 87-94, out./dez. 2003.

MORENO, Natália Lopes; TSUKAMOTO, Mariana Harumi Cruz. Influências da prática da ginástica para todos para a saúde na velhice: percepções dos praticantes. Conexões, v. 16, n. 4, p. 468-487, out./ dez., 2018.

NERI, Anita Liberalesso. Palavras-chave em gerontologia. 4. ed. Campinas, SP: Alínea, 2014.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Relatório mundial de envelhecimento e saúde. Genebra: OMS, 2015.

OKUMA, Silene Sumire. O idoso e a atividade física: fundamentos e pesquisas. 4. ed. Campinas, SP: Papirus, 1998.

PAOLIELLO, Elizabeth (Org.). Ginástica geral: experiências e reflexões. São Paulo: Phorte, 2008.

RIBEIRO, José Antonio Bicca; e colaboradores. Adesão de idosos a programas de atividade física: motivação e significância. Revista brasileira de ciências do esporte, v. 34, n. 4, p. 969-984, out./ dez., 2012.

RIZZOLLI, Darlan; SURDI, Aguinaldo César. Percepção dos idosos sobre grupos de terceira idade. Revista brasileira de geriatria e gerontologia, v. 13, n. 2, p. 225-233, ago., 2010.

SOUZA, Elizabeth Paoliello Machado. Ginástica geral: um campo de conhecimento da educação física. 1997. 163f. Tese (Doutorado em Educação Física). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1997.

SOUZA, Maria Aparecida Ceciliano de (Org.). Esporte para idosos: uma abordagem inclusiva. São Paulo: SESC, 2010.

STAKE, Robert E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre, RS: Penso, 2011.

TOLEDO, Eliana de; TSUKAMOTO, Mariana Harumi Cruz; CARBINATTO, Michele Viviene. Fundamentos da ginástica para todos. In: NUNOMURA, Myrian (Org.). Fundamentos das ginásticas. 2 ed. São Paulo: Fontoura, 2016.

Downloads

Publicado

2020-11-26

Como Citar

Santos, I. de O. ., & Tsukamoto, M. H. C. . (2020). A PRÁTICA DA GINÁSTICA PARA TODOS COMO UMA POSSIBILIDADE DE PROMOVER A AUTONOMIA DA PESSOA IDOSA. Corpoconsciência, 24(3), 131-142. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11380

Edição

Seção

Seção Temática - ENVELHECIMENTO E LONGEVIDADE: COMO MANTER A AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA DE PESSOAS IDOSAS