Influência do contexto educacional no ensino de astronomia

Autores

DOI:

10.29286/rep.v30ijan/dez.8709

Palavras-chave:

Estratégias de ensino. Astronomia. Aprendizagem Significativa.

Resumo

Este trabalho discute uma pesquisa que procurou verificar se estratégias como oficinas de Astronomia e o uso das tecnologias digitais são suficientes para despertar o interesse dos alunos. O referencial teórico baseou-se na Teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel. A metodologia de investigação foi a análise e triangulação dos dados, com ênfase nos métodos mistos. No grupo experimental as intervenções foram implementadas por meio de oficinas de Astronomia, observações telescópicas e as tecnologias digitais. No grupo controle aulas convencionais. Foi possível concluir que, para alcançar uma Aprendizagem Significativa, uma das possibilidades é que o aluno se disponha a aprender.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas SCHWARZ, Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo

Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul). Professor da Rede Estadual de Educação do Estado de São Paulo.

Marcos Rincon VOELZKE, Universidade Cruzeiro do Sul; Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática

Doutor em Ciências Naturais - Especialização em Astrofísica pelo Astronomisches Institut der Ruhr Universität Bochum, Alemanha. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul). 

Josué Antunes de MACÊDO, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG) e Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutor em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul). Professor do IFNMG – Campus Januária e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) Unimontes.

Referências

ALBRECHT, E.; VOELZKE, M. R. Teaching of Astronomy and scientific literacy. Journal of Science Education, v. 11, n. 1, p. 35-38, 2010.

AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia educacional. Rio Janeiro: Ed. Interamericana Ltda, 1980.

BUCHWEITZ, B. Aprendizagem significativa: ideias de estudantes concluintes de curso superior. Investigações em Ensino de Ciências. v. 6, n. 2, pp. 133-141, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: MEC, 1999. 364 p.

BRASIL. Base nacional comum curricular. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Brasília, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em 15 jun. 2019.

CANIATO, R. O céu. São Paulo: Editora Ática S.A. 1993. 144 p. (coleção na sala de aula)

FIGUEIREDO, M. T.; CONDEIXA, M. C. G. Ciências: Atitudes e conhecimento. São Paulo: FTD S.A. 2010.

LANGHI, R.; NARDI, R. Educação em astronomia: repensando a formação de professores. São Paulo: Escrituras Editora. 2012. 215 p.

MARAN, S. P. Astronomia para leigos: Rio de Janeiro: Alta books, 2011. 328 p.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. São Paulo: Editora Centauro, 2010. 80 p.

MOREIRA, M. A. Material de apoio para o curso aprendizagem significativa no ensino superior: Teorias e Estratégias Facilitadoras. PUCPR, 2013. 87 p.

MOREIRA, M. A.; BUCHWEITZ, B. Novas estratégias de ensino e aprendizagem: os mapas conceituais e o vê epistemológico. Lisboa: Plátano Edições Técnicas. 1993.

MOURÃO, R. R. F. Dicionário enciclopédico de astronomia e astronáutica. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1995. 961 p.

NICOLINI, J. Manual do astrônomo amador. Campinas: Papirus, 1991. 382 p. (Coleção universus; v. 4).

NOGUEIRA, S. Astronomia: ensino fundamental e médio. Brasília: MEC, SEB; MCT; AEB, 2009a. 232 p. (coleção explorando o ensino; v 11).

NOGUEIRA, S. Astronáutica: ensino fundamental e médio. Brasília: MEC, SEB; MCT; AEB, 2009b. 348 p. (coleção explorando o ensino; v 12).

OLIVEIRA, G. S.; SILVA, N. F.; HENRIQUES, R. Mudanças climáticas: ensino fundamental e médio. Brasília: MEC, SEB; MCT; AEB, 2009. 348 p. (coleção explorando o ensino; v. 13

PIVATTO, B.; SCHUHMACHER, E. Conceitos de teoria da aprendizagem significativa sob a ótica dos mapas conceituais a partir do ensino de geometria REVEMAT. v. 08, n. 2, p. 194-221, 2013.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Ciências da Natureza e suas tecnologias. Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Luis Carlos de Menezes. 1. ed. atual. São Paulo: SE, 2012.152 p.

TRIOLA, Mario F. Introdução à estatística. 12. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2017.

Downloads

Publicado

2021-06-22

Como Citar

SCHWARZ, D.; VOELZKE, M. R. .; MACÊDO, J. A. de. Influência do contexto educacional no ensino de astronomia. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 30, n. jan/dez, p. 1-23, 2021. DOI: 10.29286/rep.v30ijan/dez.8709. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/8709. Acesso em: 19 out. 2021.