Avaliação do clima escolar por estudantes e professores: construção e validação de instrumentos de medida

Autores

  • Adriano Moro Universidade Estadual de Campinas - Unicamp; Fundação Carlos Chagas - São Paulo
  • Alessandra de Morais Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Marília, São Paulo, Brasil
  • Telma Pileggi Vinha Universidade Estadual de Campinas - Unicamp
  • Luciene Regina Paulino Tognetta Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Araraquara, São Paulo, Brasil

DOI:

10.29286/rep.v27i64.3733

Palavras-chave:

Avaliação do clima escolar. Construção e validação de instrumentos. Realidade escolar brasileira.

Resumo

O presente estudo objetivou a construção e análise de evidências de validação de instrumentos de medida para avaliar o clima escolar, na perspectiva de alunos e professores dos anos finais do Ensino Fundamental. Após revisão de pesquisas nacionais e internacionais que investigavam o clima escolar, foram elaboradas uma matriz de referência e itens avaliativos adequados às escolas brasileiras. Feita a análise de conteúdo por especialistas, foram aplicados em uma amostra de 797 alunos e 243 professores de escolas públicas e particulares. Para validação de construto, foi utilizado o modelo teórico Reflexivo, em que, no procedimento de Análise Fatorial Confirmatória, foram obtidas cargas fatoriais significantes, nos diferentes instrumentos.

 

Palavras-chave: Avaliação do Clima Escolar. Construção e Validação de Instrumentos. Realidade Escolar Brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Moro, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp; Fundação Carlos Chagas - São Paulo

Doutorando da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil. Assistente técnico nos projetos de pesquisas e avaliações educacionais da Fundação Carlos Chagas e doutorando em Psicologia Educacional na Universidade Estadual de Campinhas - Unicamp

Alessandra de Morais, Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Marília, São Paulo, Brasil

Professora Assistente do Departamento de Psicologia da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Marília, São Paulo, Brasil

Telma Pileggi Vinha, Universidade Estadual de Campinas - Unicamp

Professora do Departamento de Psicologia da Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UniversidadeEstadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil

Luciene Regina Paulino Tognetta, Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Araraquara, São Paulo, Brasil

Professora do Departamento de Psicologia da Educação daFaculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista“Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Araraquara

Referências

ANASTASI, A.; URBINA, S. Testagem Psicológica. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

ÁQUILA, T. G. D. et al. Cultura organizacional, clima escolar e incivilidades:

o que os alunos esperam da atitude do professor no ambiente escolar. In:

CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EDUCERE, 9, 2009, Curitiba.

Anais... Curitiba: PUCPR, 2009. Disponível em: <http://www.pucpr.br/educere/educere2009/anais/pdf/2482_1215.pdf>. Acesso em: 5 fev. 2015.

BRITO, M. S. T.; COSTA, M. Práticas e percepções docentes e suas relações com o prestígio e clima escolar das escolas públicas do município do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 15, n. 45, p. 500-94, 2010.

CALIFORNIA SCHOOL CLIMATE SURVEY (CSCS). Helping schools build

positive enviroments for student success, Califórnia, USA, 2013. Disponível em: <http://cscs.wested.org/about/> Acesso em: 5 fev. 2015.

COHEN, J. et al. School climate: research policy, practice, and teacher education. Teachers College Record, New York, USA, v. 111, n. 1, p.180-213, 2009.

COHEN, J. Measuring & Improving School Climate: a school improvement

strategy that supports the whole child and the whole school community. The center for social and emotional education (CSEE), New York, USA, 2010. Disponível em: <http://www.centerschool.org/Student_Success/documents/

CohenKeynote5-17-10-HANDOUT.pdf>. Acesso em: 19 fev. 2015.

COMENIUS. Instrumentos para valorar la convivencia escolar: Cuestionarios para las familias sobre la convivencia escolar. Cuestionario para estudiantes. Cuestionario para el professorado. In: COMENIUS. Saber convivir: Conocer y aceptar las diferencias individuales, un compromiso europeo. Proyecto Europeo Comenius 2.1, Almería - Espanha, 2006. Disponível em: <http://www.cepalmeria.org/saberconvivir/presentacion.htm >. Acesso em: 10 fev. 2015.

CUNHA, M. B.; COSTA, M. O clima escolar de escolas de alto e baixo prestígio. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA

EM EDUCAÇÃO– ANPED, 32., 2009, Caxambu, 2009. Anais... Caxambu:

ANPED, 2009. Disponível em: <http://32reuniao.anped.org.br/arquivos/

trabalhos/GT14-5645--Int.pdf>. Acesso em: 10 fev. 2015.

DÍAZ-AGUADO JALÓN, M. J.; MARTÍNEZ, R.; MARTÍN, J. Estudio estatal

sobre la convivencia escolar en la educación secundaria obligatoria. Madrid: Ministerio de Educación, 2010. Disponível em: <https://sede.educacion.gob.es/publiventa/detalle.action?cod=13567>. Acesso em: 12 fev. 2015.

FAGUNDES, A. J. F. M. Descrição, definição e registro de comportamento.

São Paulo: Edicon, 1999.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Porto Alegre: Artmed: 2009.

FREIBERG, H. J. Measuring school climate: let me count the ways. Educacional Leadership: realizing a positive school climate, Alexandria, USA, v. 56, n. 1, p. 22-26, 1998.

FREIBERG, H. J. School climate: measuring, improving and sustaining healthy learning environments. Londres, Inglaterra: Falmer Press, 2005.

GAZIEL, H. H. O clima psico-social da escola e a satisfação que os docentes do segundo grau encontram no seu trabalho. Le travail Humain, Brétigny-sur-Orge - France, v. 50, n. 1, p. 35-45, 1987.

HAIR, J. F. et al. Análise Multivariada de Dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

JANOSZ, M. et al. L’environnement socioéducatif à l’école secondaire: un

modele théorique pour guider l’évaluation du milieu. Revue Canadienne de Psychoéducation, Montreal - Canada, v. 27, n. 2, p. 285-306, 1998. Disponível em:

<http://www.f-d.org/climatecole/Janosz-article-1998.pdf>. Acesso em: 2 fev. 2015.

LOUKAS, A. What is school climate? High-quality school climate is advantageous for all students and may be particularly beneficial for at-risk students. Leadership Compass, Virginia, Estados Unidos, v. 5, n. 1, p. 1-3, 2007.

MATOS, D. A. S. Confiabilidade e concordância entre juízes: aplicações na área educacional. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 25, n. 59, p. 298-324, set./dez. 2014.

MESSICK, S. Test validity and the ethics of assessment. American Psychologist, Washington, DC, v. 35, n. 11, p. 1012-1027, 1980.

NATIONAL SCHOOL CLIMATE COUNCIL. The school climate challenge.

New York, EUA, 2007. Disponível em:

documents/school-climate-challenge.pdf>. Acesso em: 22 jan. 2015.

NORONHA, A. P. P.; VENDRAMINI, C. M. M. Parâmetros psicométricos:

estudo comparativo entre testes de inteligência e de personalidade. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre -RS, v. 16, n. 1, p. 177-182, 2003.

NUNES, C. H. S. S.; PRIMI, R. Aspectos técnicos e conceituais da ficha de

avaliação dos testes psicológicos. In: CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA (Org.). Avaliação Psicológica: diretrizes na regulamentação da profissão. Brasília, DF, 2010. p. 101-127.

PASQUALI, L. Técnicas de exame psicológico. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

PASQUALI, L. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação.

Petrópolis: Vozes, 2003.

PASQUALI, L. Testes referentes a construto: teoria e modelo de construção. In: PASQUALI, L. et al (Org.). Instrumentação psicológica: fundamentos e práticas. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 165-198.

PASQUALI, L. Psicometria: teoria dos testes na Psicologia e na Educação.

Petrópolis: Vozes, 2013.

PERKINS, B. K. Where we learn: The CUBE Survey of Urban School Climate. Alexandria, VA: National School Boards Association, Alexandria, VA, 2006. Disponível em: <http://schoolclimatesurvey.com/publications.html>. Acesso em:

jan. 2015.

PERKINS, B. K. Where we teach: The CUBE Survey of Urban School Climate. Alexandria, VA: National School Boards Association, Alexandria, VA, 2007. Disponível em: <http://schoolclimatesurvey.com/publications.html>. Acesso em:

jan. 2015.

STREINER, D. L. Being inconsistent about consistency: when coefficient alpha does and doesn´t matter. Journal of Personality Assessment, Philadelphia, PA, v. 80, p. 217-222, 2003.

THIÉBAUD, M. Climat scolaire, Colombier, NE, p. 1-6, 2005. Disponível em:<http://www.relationsansviolence.ch/climat-scolaire-mt.pdf>. Acesso em: 22 jan. 2015.

URBINA, S. Fundamentos da testagem psicológica. Porto Alegre: Artmed, 2007.

WORKBOOK FOR IMPROVING SCHOOL CLIMATE. Health and

human development program by WestEd for the California Department of

Education, under the California Safe and Supportive Schools initiative. Los

Alamitos: WestEd, 2011. Disponível em:

http://chks.wested.org/resources/

schoolclimateworkbook-2ndedition_final.pdf>. Acesso em: 22 jan. 2015.

Downloads

Publicado

2017-12-29

Como Citar

MORO, A.; MORAIS, A. de; VINHA, T. P.; TOGNETTA, L. R. P. Avaliação do clima escolar por estudantes e professores: construção e validação de instrumentos de medida. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 27, n. 64, p. 67-90, 2017. DOI: 10.29286/rep.v27i64.3733. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/3733. Acesso em: 7 jul. 2022.