GRIPE ESPANHOLA E COVID-19: RELAÇÕES POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA NO BRASIL

Autores

DOI:

10.29286/rep.v33ijan/dez.14748

Palavras-chave:

História da Educação, Educação., Meios de ensino, Pandemia.

Resumo

Em 1918, o mundo foi assolado pela pandemia da Gripe Espanhola e em 2020, pela pandemia da SARS-CoV-19. No Brasil, é possível perceber algumas semelhanças entre esses dois momentos. Este artigo tem por objetivo analisar as alterações ocorridas nos espaços e práticas pedagógicas visando a superação das situações pandêmicas. Optou-se pela abordagem da História Cultural, utilizando as concepções de Norbert Elias. Utilizou-se como fontes documentais oficiais, pronunciamento em mídia social e periódicos. Como resultado observou-se que unindo os esforços para a manutenção da vida, as escolas em alguns momentos serviram de espaços para serviços de internação e enfermaria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Figueiredo SÁ, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

É Pedagoga, Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2000) e Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (2006). Participou do estagio de doutoramento na Universidade do Porto (2004). Em 2009 concluiu o pós-doutorado na Faculdade de Educação da USP, em 2018 concluiu o pós-doutorado na Universidade Federal de Uberlândia e, em 2023 concluiu o pós-doutoramento na Universidade de Coimbra. tuou como Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMT ( 2019-2021). Membro do Conselho Editorial da Revista Educação Pública (A2). Integra a Sociedade Brasileira de História da Educação e a ANPED, sendo que nos biênios 2022-23 e 2042/25 atuou e atua como titular do Comitê Científico. Atua como professora Associada no Instituto de Educação e no Programa de Pós-graduação da UFMT. Líder do Grupo de Pesquisa História da Educação e Memória - GEM/UFMT. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Educação de Mulheres. Autora de livros e artigos na área de História da Educação.

Betânia de Oliveira Laterza RIBEIRO, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro, possui graduação em Pedagogia pela Universidade de Uberaba (1983), foi a primeira discente do Programa De Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia a defender o Mestrado em Educação no (1992) na UFU. Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1997). Pós-Doutorado em Psiquiatria, Neurologia e Psicologia Médica (2000) pela USP-Ribeirão Preto. Pós-Doutorado em Educação (2019) pela Universidade de Uberaba. Professora Titular no Instituto de Ciências Humanas do Pontal UFU, Curso de Pedagogia; e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia, orientando alunos do mestrado e doutorado. Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em História e Historiografias da Educação (NEPHE), coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Fundamentos da Educação (NEPFE). Sócia da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), membro do Grupo de Trabalho em Formação Docente, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED).

António Gomes FERREIRA, Universidade de Coimbra (UC)

António Gomes Ferreira é doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Coimbra e é professor na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da mesma universidade, onde tem vindo a desenvolver uma intensa atividade académica, vindo ocupando vários cargos, como Diretor da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Presidente do Conselho Científico, Subdiretor da mesma Faculdade durante largos anos, para além de Presidente do Conselho Pedagógico da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação. Foi ainda Coordenador de Relações Internacionais e de Programas de Mobilidade da mesma Faculdade, Coordenador de vários cursos, designadamente do Doutoramento de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, vice-presidente do Conselho Científico da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UC, membro do Conselho Coordenador de Formação de Professores e do Observatório de Bolonha da Universidade de Coimbra e integrou o Conselho da Qualidade da mesma universidade. É avaliador da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) e tem integrado vários projetos de investigação nacionais e internacionais e comissões de várias revistas portuguesas e estrangeiras da área da educação, tendo ainda exercido a função de editor da Revista Portuguesa de Pedagogia

Referências

A CRUZ. Cuiabá-MT, 1948, n. 1.805. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

A PROVÍNCIA. São Paulo, SP, 4 dez. 1918, ano XVI, n. 334. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

BERTOLLI FILHO, C. Epidemia e sociedade: a gripe espanhola no município de São Paulo, SP. 1986. Dissertação (mestrado em História Social) — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

BERTUCCI-MARTINS, L. M. “Conselhos ao povo”: educação contra a influenza de 1918. Cad. CEDES, Campinas, v. 23, n. 59, p. 103–18, abr. 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Como se proteger? Confira medidas não farmacológicas de prevenção e controle da pandemia do novo coronavírus. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/coronavirus/como-se-proteger#:~:text=Evitar%20tocar%20olhos%2C%20nariz%20e,beijos%20e%20apertos%20de%20m%C3%A3os. Acesso em: 19 de setembro de 2022.

BRASIL. Decreto nº 3.603, 11 de dezembro de 1918. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-3603-11-dezembro-1918-572586-publicacaooriginal-95783-pl.html#:~:text=Declara%20promovidos%20ao%20anno%20ou,equiparados%20ou%20sujeitos%20a%20fiscaliza%C3%A7%C3%A3o. Acesso em: 15 ago. 2022.

CORREIO DA MANHÃ. Rio de Janeiro, RJ, 15 out. 1918, ano XXVIII, n. 7.172. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

CORREIO DO ESTADO. Cuiabá, MT, 1921, n.56. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

CORONAVÍRUS-BRASIL. Painel Coronavírus. 2022. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em: 19 de setembro de 2022.

COSTA, M. A. (2020). A gripe espanhola em Mato Grosso e suas lições em tempos de pandemia da COVID-19. Vigil Sanit Debate, Rio De Janeiro, 8(3), 26–33. Disponível em: https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1665. Acesso em: 19 de setembro de 2020.

ELIAS, N. A solidão dos moribundos, seguido de envelhecer e morrer. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

GAZETA DE NOTÍCIAS. Rio de Janeiro, RJ, 15 out. 1918, ano XLIII, n. 286. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

GOULART, A. C.: Revisitando a espanhola: a gripe pandêmica de 1918 no Rio de Janeiro. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12, n. 1, p. 101-42, jan.-abr. 2005.

JORNAL DO COMMERCIO. Rio de Janeiro, RJ, ano 91, 8 nov. 1918. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

LAGUNA, T. F. S.; HERMANNS, T.; SILVA, A. C. P.; RODRIGUES, L. N.; ABAID, J. L.W. Educação remota: desafios de pais ensinantes na pandemia. Rev. Brasileira Saúde Materna. Infantil., Recife, 21 (Supl. 2): S403-S412, maio., 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbsmi/a/PGF37qhRQP9HYFH5TSv89zR/?lang=pt. Acesso em: 19 de setembro de 2022.

LEMES, F. Ainda sobre Influenza. O Matto Grosso, Cuiabá, MT, 1918, n. 1.529.

MATO GROSSO. Mensagem do Presidente do estado, Francisco de Aquino Corrêa, 1919. Disponível em: http://ddsnext.crl.edu/titles/170#?c=0&m=92&s=0&cv=0&r=0&xywh=825%2C389%2C3296%2C3111. Acesso em: 19 de setembro de 2022.

MEYER, C. L.; TEIXEIRA, J. R. A grippe epidemica no Brazil e especialmente em São Paulo. São Paulo: Casa Duprat, 1920.

NAVA, P. Chão de Ferro. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editores, 1976.

O COMBATE. São Paulo, SP, 1911, n. 1025. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

O ESTADO DE SÃO PAULO. São Paulo, SP, 1918, n. 14.341. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

O MATTO GROSSO. Cuiabá, MT, 1918, n. 1.519. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

O MATTO GROSSO. Cuiabá, MT, 1921, n. 1761. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

O MATTO GROSSO. Cuiabá,MT, 1922, N.1800. Hemeroteca da Biblioteca Nacional.

PAIVA, H. B. Memórias, histórias e crônicas tijucanas. Uberlândia: ed. UFU, 2018.

PASSOS. A. V. Parar as aulas, não o aprendizado! Prefeitura Municipal de Cuiabá, 2020. Disponível em: www.cuiaba.mt.gov.br/educação/parar-as-aulas-não-o-aprendizado/21271. Acesso em: 28 de março de 2021.

SENADO NOTÍCIAS. Pesquisas apontam que 400 mil mortes poderiam ser evitadas. 2021. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2021/06/24/pesquisas-apontam-que-400-mil-mortes-poderiam-ser-evitadas-governistas-questionam. Acesso em 19 de setembro de 2022.

TAUBENBERGER, J. K.; MORENS, D. M. 1918 Influenza: the mother of all pandemics. Emerging Infectious Diseases, v. 12, n. 1, p. 15–22, jan. 2006. doi:10.3201/eid1201.050979.

TV CIDADE VERDE. Youtube. Em pronunciamento Bolsonaro diz que coronavírus é gripezinha. 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=b7KAP31EqTU, Acesso em: 19 de setembro de 2022.

Downloads

Publicado

2024-03-23

Como Citar

SÁ, E. F.; RIBEIRO, B. de O. L. .; FERREIRA, A. G. GRIPE ESPANHOLA E COVID-19: RELAÇÕES POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO EM TEMPOS DE PANDEMIA NO BRASIL. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 33, n. jan/dez, p. 143–160, 2024. DOI: 10.29286/rep.v33ijan/dez.14748. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/14748. Acesso em: 23 jun. 2024.