Meu nome é professor/a: sobre aprender a docência e identidades

Autores

  • Helena Amaral da FONTOURA helenaf@uerj.br
    Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

10.29286/rep.v28i68.8391

Palavras-chave:

Identidade docente. Didática.Formação de professores.

Resumo

Este trabalho traz indagações sobre como nos constituímos professores e professoras a partir da assunção de nossa identidade. Propomos questões no campo da formação docente com objetivo de pensar a apropriação do lugar docente. Nossa reflexão se pauta na pesquisa de cunho qualitativo, que entende o sujeito como parte integrante do processo da pesquisa. Para discutir o conceito de identidade docente contamos com as contribuições de Marcelo e Nóvoa. Acreditamos contribuir para a reflexão sobre uma formação de professores democrática atribuindo outra dimensão às questões atravessadas no debate da Didática pela teoria e prática e ensino e aprendizagem.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Amaral da FONTOURA, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pós Doutora em Educação Universidade Federal de Mato Grosso (2017). Líder do Grupo de Pesquisa Formação de Professores, Processos e Práticas Pedagógicas (CNPq). Pesquisadora 2 CNPq. Cientista do Nosso Estado FAPERJ. Bolsista do Programa Prociência da UERJ desde 2006. E-mail: helenaf@uerj.br

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para

a formação continuada. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, seção 1, n. 124, p. 8-12, 02 de julho de 2015.

CANDAU, V. M. F. (Org.) Novos rumos da licenciatura. Brasília: INEP, 1988.

CANDAU, V. M. F (Org.). A Didática em questão. Petrópolis: Vozes, 1983.

CRUZ, G.B. et al. A Didática e o aprendizado da docência no processo de constituição identitária de futuros professores. In CRUZ, G.B.;OLIVEIRA, A.T.C.; NASCIMENTO, M.G.A. (Orgs.) Ensino de Didática: entre ressignificações e possibilidades. Curitiba: CRV, 2017. p.23-47.

CUNHA, M. I. Lugares de formação: tensões entre a academia e o trabalho docente. In DALBEN, A., EITERER, C. (Orgs.) Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p.129- 149.

DIAS DA SILVA, M. H. G. F. Política de formação de professores no Brasil: as ciladas da reestruturação das licenciaturas. Perspectiva. Florianópolis, v. 23, n. 02, p. 381-406, jul./dez. 2005.

FERRAREZI Jr., Celso. Livres Pensares. Porto Velho/ RO: EDUFRO, 2003.

FONTOURA, HA.; TAVARES, M.T.G. (Orgs.) Trabalho docente: experiências formativas e inserção profissional. Niterói: Intertexto/FAPERJ, 2013.

FONTOURA, H. A. Tecendo Práticas de Ensino na Faculdade de Formação de Professores da UERJ e nas escolas de São Gonçalo: nossa formação e nossas práticas. Relatório de Pesquisa. UERJ/FAPERJ, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação, S. Paulo: UNESP, 2000.

______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

LARROSA, Jorge Bondía. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 19, 2002. p.20-28.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática: velhos e novos temas. Goiânia: Editora do Autor, 2002.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LÜDKE, M. Avaliação institucional: formação de docentes para o ensino fundamental e médio (as licenciaturas). Série: Cadernos CRUB, v. 1, n. 4, 1994.

MARCELO, Carlos. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Sísifo- Revista de Ciências da Educação, n.08, p.7-22, 2009a.

MARCELO, Carlos. A identidade docente: constantes e desafios. Tradução: Cristina Antunes. Form. Doc., Belo Horizonte, v. 01, n. 01, p. 109-131, ago./ dez. 2009b. Disponível em http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br.

Acesso em março 2013.

MARCELO GARCIA, Carlos. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

MARIA, L. S. S.; FONTOURA, H. A. A potência das narrativas de formação para o processo de tessituras identitárias docentes. Temas em Educação (UFPB), v.24, 2015, p.106 – 121.

MARTINS, Angela Maria. Trajetória de formação de alunos do curso de pedagogia: uma contribuição ao debate sobre identidade docente. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 90, nº 225, p.352-366, maio/ ago. 2009.

MARTINS, Pura Lúcia O.; ROMANOWSKI, Joana P. A. Didática na formação pedagógica de professores. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 205-212, set./ dez. 2010. Disponível em http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/

faced/article/viewFile/8077/5724. Acesso em agosto 2014.

MARTINS, Pura Lúcia O.; ROMANOWSKI, Joana P. Pesquisa em educação: o estado da arte na área de didática. In: QUARTIERO, Elisa Maria; SOMMER, Henrique Luís. Pesquisa, Educação e inserção social: olhares da região Sul. Canoas-RS. Canoas: Editora da ULBRA, 2008. p. 147-155

.

MONTEIRO, FMA; FONTOURA, H. A. Narrativas de professores e processos de formação: Cuiabá (MT) e São Gonçalo (RJ) em diálogo. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, v.1, p.535 - 551, 2016.

NÓVOA, Antonio. “Diz-me como ensinas, dir-te-ei quem és e viceversa”. In: FAZENDA, I. (Org.). A pesquisa em Educação e as transformações do conhecimento. 2.ed. Campinas: Papirus, 1997. p. 29-41.

NÓVOA, A. (org.) Vidas de professores. Porto: Porto Ed., 1992.

NÓVOA. Antonio. Para o estudo sócio-histórico da gênese e desenvolvimento da profissão docente. Teoria e Educação. Porto Alegre, n.4, p.109-139, 1991.

PASSMORE, John. O conceito de ensino. Disponível em http://www.educ.

fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/cadernos/ensinar/passmore.pdf. Acessado em 2 de

abril de 2010.

PIMENTA, Selma G. A Didática como mediação na construção da identidade

do professor - uma experiência de ensino e pesquisa na licenciatura. IN: ANDRÉ,

Marli e OLIVEIRA, Maria Rita (Org.). Alternativas do ensino de Didática.

Campinas, São Paulo: Papirus, 1997.

PIMENTA, S.G.; LIMA, M.S.L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

SHULMAN, Lee S. Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva

reforma. Profesorado: revista de currículum y formación del profesorado,

v. 9, n. 2, 2005. Disponível em http://www.ugr.es/~recfpro/rev92ART1.pdf.

Acesso em março 2011.

Downloads

Publicado

2019-05-20

Como Citar

FONTOURA, H. A. da. Meu nome é professor/a: sobre aprender a docência e identidades. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 28, n. 68, p. 297–310, 2019. DOI: 10.29286/rep.v28i68.8391. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/8391. Acesso em: 24 jul. 2024.