Protagonismo PaiterSuruí: práticas político-pedagógicas e suas relações com os etnoconhecimentos

Autores

  • Alceu ZOIA Faculdade de Educação e Linguagem FAEL, Sinop/MT e do PPGEdu/ UNEMAT, Cáceres /MT. http://lattes.cnpq.br/0774250501310773
  • Matilde MENDES Faculdades Integradas de Cacoal “UNESC-RO. Endereço: Rua dos Esportes, 1038, Cacoal, Ro

DOI:

10.29286/rep.v26i62/1.5002

Palavras-chave:

Palavras-chave, Indígena. PaiterSuruí. Práticas Político-pedagógicas.

Resumo

Este artigo estuda aspectos da educação escolar indígena e sua relação com os etnoconhecimentos do povo PaiterSuruí nas práticas político- -pedagógicas. Trata-se de pesquisa qualitativa, de observação participante. Os protagonistas vivem na Terra Indígena PaitereyKarah, fronteira com Rondônia e Mato Grosso. No decorrer da pesquisa procura-se compreender alguns aspectos da busca por uma educação escolar indígena: específica, diferenciada, multilíngue, intercultural e que nasça das necessidades e do diálogo comunitário, com suporte nos principais interlocutores: Brandão (2006), Beleli (et al., 2009), Pappiani e Lacerda (2016), Freire (1992) e Benjamin (1987).

 

Palavras-chave: Indígena. PaiterSuruí. Práticas Político-pedagógicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alceu ZOIA, Faculdade de Educação e Linguagem FAEL, Sinop/MT e do PPGEdu/ UNEMAT, Cáceres /MT.

Doutor em Educação. Professor da Faculdade de Educação e Linguagem FAEL, Sinop/MT e do PPGEdu/ UNEMAT, Cáceres /MT. Grupo de pesquisa: Educação e Diversidade no Contexto da Amazônia Legal Mato-grossense. Endereço: Av. dos Ingás 1001, Centro, Sinop/MT. Tel.: (66) 99999-4112.

Matilde MENDES, Faculdades Integradas de Cacoal “UNESC-RO. Endereço: Rua dos Esportes, 1038, Cacoal, Ro

Mestre em Educação pela UNEMAT e docente das Faculdades Integradas de Cacoal “UNESC-RO. Endereço: Rua dos Esportes, 1038, Cacoal, Ro. CEP: 76.965.864. Tel.: (69) 3441-4503.

Referências

ARGUELO, Carlos Alfredo. Etnoconhecimento na Escola Indígena.

In: CONGRESSO BRASILEIRO DE QUALIDADE NA EDUCAÇÃO:

formação de professores, 1., 2001, Brasília, DF. CONGRESSO BRASILEIRO DE QUALIDADE NA EDUCAÇÃO: formação de professores: educação indígena. Brasília, DF. Anais... Brasília, DF: 2002. MARFAN, Marilda Almeida (Org.). Brasília, DF: MEC, SEF, 2002. 204 p. Disponível em:<http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000497.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2016.

BELELI, Iara et al. A cultura e a escola. In: MISKOLCI, Richard (Org.). Marcas da Diferença no Ensino Escolar. São Carlos: EdUFSCar, 2009. p. 45-74.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Nhembo’e! Enquanto o encanto

permanece! Processos e práticas de escolarização nas aldeias Guarani. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005. Disponível:<https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/4509/000501989.pdf?sequence=1>. Acesso em: 5 jul. 2016.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 2006.

BRASIL. Decreto nº 6.177, de 01 de agosto de 2007, artigo 4º, inciso 8 que promulga a Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, assinada em Paris, em 20 de outubro de 2005. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 2007.

CARDOZO, Ivaneida Bandeira. Códigos e Normas PaiterSuruí. Porto Velho: Edutro, 2014.

DICIONÁRIO AURÉLIO. Disponível em <https://dicionariodoaurelio.com/intercultural>. Acesso em: 01 dez. 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. Disponível em:

<http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=110004>. Acesso em: 27 de junho de 2016.

______. Censo 2010, 2010. Disponível em: <http://indigenas.ibge.gov.br/ graficos-e-tabelas-2.html>. Acesso em: 26 de junho de 2016.

PASSOS, Luiz Augusto. Cultura: flecha humana e cósmica que aponta o caminho para os sentidos. In: GRANDO, Saléte; PASSOS, Luiz Augusto (Org.). O eu e o outro na escola: contribuições para incluir a história e a cultura dos povos indígenas na escola. Cuiabá: EdUFMT, 2010. p. 21-40.

MENDES, Matilde. A teia. Recanto das Letras, 2016. Disponível em: <http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=102221>. Acesso em: 25 mar. 2017.

ONU. Declaração das Nações Unidas sobre os direitos dos povos indígenas.Brasília, DF: Senado Federal, 2007.

PAPPIANI, Angela; LACERDA, Inimá. (Org.). Histórias do começo e do fim do mundo: o contato do povo PaiterSuruí. 1. ed. São Paulo: Ikorẽ, 2016.

SURUÍ, Chicoepab et al. O protagonismo PaiterSuruí no cenário educacional indígena: elementos para um diálogo possível de interculturalidade. Polis Revista Latinoamericana, [online], v. 13, n. 38, p. 1-20, 2014.

SURUÍ, Naraycopega. Um olhar para a história e as lutas do povo PaiterSuruí de Rondônia, P@rtes, São Paulo, n. 15, 2015. Disponível em:<http://www.partes.

com.br/2015/07/06/um-olhar-para-a-historia-e-as-lutas-do-povo-paiter-suruide-rondonia/#.WNZ6KtLyvIU>. Acesso em: 4 ago. 2016.

ZOIA, Alceu. A comunidade indígena Terena do norte do Mato Grosso: infância, identidade. Tese (Doutorado em Educação)- Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2009. Disponível em: <https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tde/1182>. Acesso em: 10 jul. 2014.

Downloads

Publicado

2017-05-01

Como Citar

ZOIA, A.; MENDES, M. Protagonismo PaiterSuruí: práticas político-pedagógicas e suas relações com os etnoconhecimentos. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 26, n. 62/1, p. 405-419, 2017. DOI: 10.29286/rep.v26i62/1.5002. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/5002. Acesso em: 25 set. 2021.