Desafios de pesquisar contextos familiares e o protagonismo das crianças

Simone Santos de ALBUQUERQUE

Resumo


Este artigo tem como eixo o estudo com crianças em seus contextos familiares. Destaco os desafios de experiências de pesquisa qualitativa realizadas ao considerar como as crianças expressam, interferem, autorizam e estabelecem relações como sujeitos protagonistas, mediando relações numa ampla teia de interdependências em que vivem em seus contextos familiares. A socialização é compreendida como um processo complexo, assim sendo, o texto problematiza os modos como as crianças são sujeitos socializadores dos adultos, produzindo uma socialização às avessas (MONTANDON, 1997). Conclui-se que é preciso desconstruir a perspectiva adulto cêntrica sobre a criança, que a considera numa visão vertical na pesquisa com famílias; ao contrário, é preciso reconhecê-la numa compreensão horizontal.

Palavras-chave: Crianças. Contextos Familiares. Educação. Socialização.


Palavras-chave


crianças; socialização; contextos familiares; educação infantil

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Simone Santos de. Para além do “Isto” ou “Aquilo”:os sentidos da educação das crianças pequenas a partir das lógicas de seus contextos familiares. Tese (Doutorado em Educação)-Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, 2009.

ALDERSON, Priscilla. As crianças como pesquisadoras: Os efeitos dos direitos de participação sobre a metodologia de pesquisa. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n.91, p. 419-442, maio/ago. 2005.

BERGER, Peter; BERGER, Brigitte. Socialização: como ser um membro da sociedade. In: FORACCHI, Marialice M.; SOUZA MARTINS, José (Org.). Sociologia e sociedade: leituras de introdução à Sociologia. 24 ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 2006. p.169-181.

BERGER, Peter, LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. Petrópolis:Vozes, 1976. BRASIL. Ministério da Educação. Relatório 3, Volume 4, Região Sul. Pesquisa Nacional Caracterização das Práticas Educativas com crianças de 0 a 6 anos residentes em área rural. Mapeamento e análise das realidades investigadas na região sul. Brasília, DF: MEC/SEB/COEDI/UFRGS,2012. Disponível em: . Acesso em: 6 abr. 2014. CASTRO, Lúcia Rabello de (Org.). Crianças e jovens na construção da cultura. Rio de Janeiro: Nau/Faperj, 2001.

CHAMBOREDON, Jean-Claude; PRÉVOT, Jean. O “ofício de criança”: Definição social da primeira infância e funções diferenciadas da escola maternal. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 59, p. 32-56, nov. 1986.

CORSARO, William A. The Sociology of Childhood. Califórnia: Pine Forge Press, 1997.

GOMES, Jerusa Vieira. Socialização Primária: Tarefa familiar? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 91, p. 54-61, nov. 1994. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento.Pesquisa Mensal de Emprego 20032012. Disponível em: . Acesso em: 6 abr. 2014.

JAMES, Allison; PROUT, Alan. A new paradigm for the Sociology of Childhood? Provenance, promise and problems. In: JAMES, Allison; PROUT, Alan. Constructing and reconstructing childhood. London: Falmer Press, 1997. JENKS, Chris. Constituindo a Criança. Educação, Sociedade & Culturas. Porto: Afrontamento, n. 17, p. 185-216, 2002. MONTANDON, Cléopâtre. L’éducation du point de vue des enfants: un peu blessés au fond du cœur. Paris: Editions L’Harmattan, 1997.

______. As práticas educativas parentais e a experiência das crianças. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 91, p. 485-507, maio/ago. 2005.

______. Sociologia da infância: balanço dos trabalhos em língua inglesa. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 33-60, mar. 2001.

MONTANDON, Cléopâtre; KELLERHALS, Jean. Les stratégies éducatives des familles: Milieu social, dynamique familiale et éducation des préadolescents. Neuchâtel: Delachaux et Niestlé, 1991.

PLAISANCE, Eric. Para uma sociologia da pequena infância. Educação e Sociedade, Campinas, n. 86, p. 221-241, abril, 2004.

PEREIRA, Rita Marisa Ribes; MACEDO, Nélia Mara Rezende (Org.). Infância em Pesquisa. Rio de Janeiro: Nau, 2012.

ROSSETTI-FERREIRA, Maria Clotilde; AMORIM, Kátia de Souza; VITÓRIA, Telma. A creche enquanto contexto possível de desenvolvimento da criança pequena. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 35-40, 1994.

SARMENTO, Manuel Jacinto; CERISARA, Ana Beatriz. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: ASA, 2004.

______. Gerações e alteridade: interrogações a partir da Sociologia da Infância. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 91, p. 361-378, maio/ago. 2005.

______. Culturas Infantis e Interculturalidade. In: DORNELLES, Leni Vieira (Org.). Produzindo Pedagogias Interculturais na Infância. Petrópolis: Vozes, 2007.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Lógicas de acção nas escolas. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 2000.

______ . O Estudo de Caso Etnográfico em Educação. In: ZAGO, Nadir; CARVALHO, Marilia Pinto de; VILELA, Rita Amélia Teixeira (Org.). Itinerários de Pesquisa: perspectivas qualitativas em Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 137-179.

SEABRA, Teresa. Educação das Crianças nas famílias: o que dizemos pais e as crianças. In: Congresso Internacional “Os Mundos Sociais e Culturas da Infância”, v. III, 2000, Braga. Actas...Universidade do Minho, Braga, 2000. p. 395-401.

SIROTA, Régine. Emergência de uma sociologia da infância: evolução do objeto e do olhar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 7-31, mar. 2001.

THIN, Daniel. Quartiers populaires: L’école et les familles=Bairros populares: a escola e as famílias. Tese (Doutorado)-Lyon, Universidade de Lyon II,1998. Tradução Livre dos Capítulos 3, 4, 5 e 6 por Ramon Correa de Abreu, FaE/ UFMG, 2000/2001.

______ . Para uma análise das relações entre famílias populares e escola: confrontação entre lógicas socializadoras. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 32, p. 211-225, maio/ago. 2006. UFRGS. Relatório Pesquisa de Campo realizada no município 4 da Região Sul. Pesquisa Nacional “Caracterização das práticas educativas com crianças de 0 a 6 anos de idade residentes em área rural”. Porto Alegre, junho, 2012. (inédito).




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v26i61.3139

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica