Representações Sociais dos idosos sobre a experiência vivida nas transformações ambientais

Franciely Ribeiro dos SANTOS, Ademir José ROSSO

Resumo


Este artigo analisa as representações sociais (RS) dos idosos sobre as transformações socioambientais do município de Ponta Grossa-PR nos últimos 50 anos. Tem como objetivo identificar e compreender as representações de homens e mulheres idosos com o espaço vivido. A coleta de informações ocorreu mediante entrevistas abertas, recorrentes e de caráter narrativo. As informações foram analisadas pelo software ALCESTE. Duas categorias foram delimitadas quanto à representação do espaço, as quais se objetivam com o predomínio do sexo feminino acerca do micro e do mesoambiente, e do sexo masculino relacionado ao meso e ao macroambiente.

 

Palavras-chave: Idosos. Representações Sociais. Identidade. Educação Ambiental.


Palavras-chave


Idosos. Representações sociais. Identidade. Educação ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1972.

ARRUDA, A. Teoria das Representações Sociais e teoria de gênero. Cadernos de pesquisa, n. 117, nov. 2002, p. 127-147.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2002.

BORSA, J. C.; FEIL, C. F. O papel da mulher no contexto familiar: uma breve reflexão. O portal dos Psicólogos, v. 185, 2008, p. 1-12.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças dos velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

_______. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

CAMARGO, B. V. ALCESTE: Um programa informático de análise quantitativa de dados textuais. In: MOREIRA, A. S. P.; JESUINO, J. C. e CAMARGO, B. V. (Orgs.). Perspectivas teórico-metodológicas em representações sociais. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, v. 1, 2005, p. 511-539.

CARVALHO, C. D.; TOZONI-REIS, M. F. C. Coletivizando saberes: (re)construção da memória ambiental de moradores de Botucatu. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 4, n.1, 2009, p. 111-135.

CARVALHO, I. C. M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

CAVALCANTE, S.; ELIAS, T. F. Apropriação. In : CAVALCANTE, Sylvia. e ELALI, Gleice Azambuja. (Orgs.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, p. 208-216.

Adult Learning, Education, and the

Environment

Darlene E. Clover, Robert Hill

CLOVER, D. E. ; HILL, R. Adult Learning, Education, and the Environment. New Directions for Adult and Continuing Education, vol. 10, 2013, p. 1-28.

COZER, L. S. Género y Cambio Climático. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v.2, n.1, jan./jul., 2011, p. 12-26.

CRUZ, T. A. Mulheres da floresta do Vale do Guaporé e suas interações com o meio ambiente. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, n. 13, set./dez., 2010, p.913-925.

DI CIOMMO, R. C. Ecofeminismo e educação ambiental. São Paulo: Cone Sul, UNIUBE, 1999.

________________. Relações de gênero, meio ambiente e a teoria da complexidade. Estudos Feministas, Florianópolis, vol. 11, n.2, jul/dez, 2003, p. 423-443.

DUVEEN, G. Introdução: O poder das ideias. In: MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: Investigações em Psicologia Social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, p. 7-28.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio De Janeiro: Paz E Terra, 2005.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As Representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2002, p.17-44.

___________. Experiência e representações sociais. In: MENIN, M. S. S.; SHIMIZU, A. M. (Orgs.). Experiência e representações sociais: questões teóricas e metodológicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005.

KAWASAKI, C. S.; CARVALHO, L. M. Tendências da pesquisa em Educação Ambiental. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 3, dez. 2009, p. 143-157.

KUHNEN, A. Lagoa da Conceição: meio ambiente e modos de vida em transformação. Florianópolis: Cidade Futura, 2002.

___________. Percepção ambiental. In CAVALCANTE, S. e ELALI, G. (Orgs.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, p. 250-266.

LAYRARGUES, P. P. Muito além da natureza: EA e reprodução social. In: LOUREIRO, Carlos Frederico B.; LAYRARGUES, Philippe Pomier.; CASTRO, Ronaldo Souza. (Orgs.). Pensamento complexo, dialética e Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2006, p. 72-103.

LEFF, E. Aventuras da epistemologia ambiental: da articulação das ciências ao diálogo dos saberes. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

_______. Racionalidade ambiental: a reapropriação natural da natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental e movimentos sociais na construção da cidadania ecológica e planetária. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. (Orgs.). Educação Ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2005, p. 69-98.

_________________. Trajetórias e fundamentos da educação ambiental. São Paulo: Cortez, 2006.

LÖWY, I. Universalidade da ciência e conhecimentos “situados”. Cadernos Pagu, n. 15, 2000, p.15-38.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

MOURÃO, A. R. T.; CAVALCANTE, S. Identidade de lugar. In : CAVALCANTE, Sylvia. e ELALI, Gleice Azambuja. (Orgs.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ : Vozes, , 2011, p. 208-216.

NASCIMENTO, A. R. A.; MENANDRO, P. R. M. Análise lexical e análise de conteúdo: uma proposta de utilização conjugada. Estudos e pesquisas em psicologia. Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, jul./dez. 2006, p. 72-88.

MOSER, G. Psicologia Ambiental. Estudos de Psicologia, v. 3, n. 1, 1998, p. 121-130.

_________. A Psicologia Ambiental: competência e Contornos de uma disciplina. Comentários a partir das contribuições. Psicologia USP, v. 16, (1/2), 2005, p. 279-294.

PINHEIRO, J. Q. Experiência “ambiental” de ambientes representados. In: GÜNTHER, Hartmut; PINHEIRO, José Queiroz; GUZZO, Raquel Souza Lobo. (Org.). Psicologia ambiental: entendendo as relações do homem com seu ambiente. Campinas, SP. Editora Alínea, 2006, p. 167-180.

RINK, J.; MEGID NETO, J. Tendências dos artigos apresentados nos encontros de pesquisa em educação ambiental (EPEA). Educação em Revista. Belo Horizonte, v.25, n.03, dez. 2009, p.235-263.

ROSSO, A. J.; SANTOS, F. R. Terceira idade, natalidade e educação ambiental numa perspectiva intergeracional e arendtiana. Revista Contrapontos - Eletrônica, vol. 10, n. 2, mai/ago, 2010, p. 166-176.

SANTOS, B. S. O Estado e o Direito na transição pós-moderna: para um novo senso comum sobre o Poder e o Direito. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 30, junho, 1990, p. 13-43.

SANDÍN ESTEBAN, M. P. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: AMGH, 2010.

SOUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em educação ambiental. In : SATO, M.; CARVALHO, I. C. M (Orgs.). Educação ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artemed, 2005.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1990.

VALA, J. Representações sociais e psicologia social do conhecimento quotidiano. In: VALA, J.; MONTEIRO, M. B. (Coord.) Psicologia Social. Fundação Calouste Gulbenkian, 2010, p. 457-501.




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v26i61.2184

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica