A universidade pública e o Future-se: a valorização do capital como centro das relações acadêmicas

Mauro Augusto Burkert DEL PINO

Resumo


O artigo analisa o novo modelo proposto para a universidade brasileira, tomando por
base o Projeto de Lei intitulado Future-se. Trata-se de um estudo documental e
bibliográfico exploratório que investiga o referido projeto a partir das transformações
sociais, econômicas e culturais que acontecem em nível global. A partir de conceitos
como “capitalismo universitário”, “precarização do trabalho” e “privatização da gestão
escolar”, conclui-se que a reforma prevista pelo Future-se transforma a universidade
pública brasileira na instituição necessária para as novas formas de relação entre
capital e trabalho condizentes com a financeirização do capitalismo no século XXI.


Palavras-chave


Universidade Pública. Future-se. Capitalismo Universitário. Privatização do Ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo:Boitempo, 2018.

BALL, Stephen J. Educação Global S. A.: novas redes de políticas e o imaginário neoliberal. Tradução de

Janete Bridon. Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BELL, Daniel. O Advento da Sociedade Pós-Industrial. São Paulo: Cultrix, 1974.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Brasília: Presidência da República,

Disponível em: . Acesso em:

abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília: Presidência da República, 2017a. Disponível em:

. Acesso em: 4 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017. [S.l.: s.n.], 2017b. Disponível em:

. Acesso em: 4 abr. 2020.

BRASIL. Decreto nº 9.507, de 21 de setembro de 2018. Brasília: Presidência da República, 2018. Disponível

em: . Acesso em: 4 abr. 2020.

BRASIL. Projeto de Lei do Programa FUTURE-SE. Institui o Programa Institutos e Universidades

Empreendedoras e Inovadoras – FUTURE-SE, e dá outras providências. Jul. 2019. Rio de Janeiro: UFRJ, 2019.

Disponível em: .

Acesso em: 4 abr. 2020.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura. In: A Sociedade em rede. São

Paulo: Paz e Terra, 2000. v. 1.

CATINI, Carolina. Educação: revelação de mais uma face da financeirização e privatização dos direitos sociais.

Revista do Instituto Humanitas Unisinos [online], São Leopoldo, ano 19, n. 539, p. 22-28, ago. 2019.

Disponível em: . Acesso em: 4 abr. 2020.

CHESNAIS, François (Org.). A finança mundializada: raízes sociais e políticas, configuração, consequências.

São Paulo: Boitempo, 2005.

HARARI, Yuval Noah. Homo Deus: uma breve história do amanhã. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Império. Tradução de Berilo Vargas. Rio de Janeiro: Record, 2001.

HARVEY, David. A loucura da razão econômica: Marx e o capital no século XXI. Tradução de Artur Renzo.

São Paulo: Boitempo, 2018.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João F.; TOSCHI, Mirza S. Educação escolar: políticas, estrutura e

organização. São Paulo: Cortez, 2003.

LIMA, Licínio C. Privatização lato sensu e impregnação empresarial na gestão da educação pública. Currículo

sem Fronteiras, v. 18, n. 1, p. 129-144, jan./abr. 2018. Disponível em:

. Acesso em: 4 abr. 2020.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. vol. 1. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

OLIVEIRA, Dalila A; DUARTE, Alexandre W. B.; CLEMENTINO, Ana Maria. A Nova Gestão Pública no contexto

escolar e os dilemas dos(as) diretores(as). Revista Brasileira de Política e Administração em Educação, v.

, n. 3, p. 707-726, set./dez. 2017. Disponível em: . Acesso em:

abr. 2020.

RICCI, Rudá Guedes. Movimentos e mobilizações sociais no Brasil: de 2013 aos dias atuais. Saúde Debate,

Rio de Janeiro, v. 42, n. especial 3, p. 90-107, nov. 2018. Disponível em:

. Acesso em: 4 abr. 2020.

SADER, Emir (Org.). 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. São Paulo: Boitempo,

SANTOS, Boaventura de Sousa. Precisamos construir utopias para enfrentar o neoliberalismo. Belo

Horizonte: UFMG, 2019a. Disponível em:

novas-utopias-para-enfrentar-o-neoliberalismo>. Acesso em: 4 abr. 2020.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O lucrativo mercado da educação e da ciência que extermina a universidade

pública e democrática. Revista do Instituto Humanitas Unisinos [online], São Leopoldo, ano 19, n. 539, p. 29-

, ago. 2019b. Disponível em: . Acesso

em: 4 abr. 2020.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez & Moraes, 1984.

SILVA, Leandro Madureira. Considerações sobre o “Programa Institutos e Universidades

Empreendedoras e Inovadoras – FUTURE-SE”. Brasília: Mauro Menezes & Advogados, 2019. Disponível em:

. Acesso em: 4 abr. 2020.

SLEE, Tom. Uberização: a nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Editora Elefante, 2017.

STANDING, Guy. O precariado: a nova classe perigosa. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.




DOI: https://doi.org/10.29286/rep.v29ijan/dez.10489

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica