Revista de Educação Pública conta com novas editoras

"Agora, com a nova gestão, que vai até 2021, inicia-se um novo ciclo. Segundo a nova editora da publicação, professora Filomena de Arruda Monteiro, que substituiu a professora Ozerina Victor de Oliveira, duas principais questões permeiam o novo ciclo: a obtenção da classificação A1 na plataforma e a internacionalização. “Para maior visibilidade no exterior, é necessário receber textos e contar com pareceristas com fluência em diversos idiomas”, ressalta. “O alto nível de qualidade da revista é atribuído à seleção criteriosa de artigos, pois o primeiro critério para publicação consiste em resultados de pesquisa, com fundamentação teórica e metodológica criteriosa. Isso faz com que os programas de pós-graduação se fortaleçam, pois são nelas que a pesquisa e a produção de conhecimento efetivamente acontecem”, observa a docente, reforçando a importância da articulação entre o programa e o periódico. Atualmente, a revista é quadrienal, sendo três edições com submissões em fluxo contínuo e uma dedicada ao Seminário de Educação (Semiedu), realizado anualmente por grupos de pesquisa do PPGE. As edições são disponibilizadas pelos meios impresso e eletrônico. Os artigos são divididos em seis seções: “Educação, Poder e Cidadania”, “Educação Ambiental”, “Educação e Psicologia”, “Cultura Escolar e Formação de Professores”, “História da Educação” e “Educação em Ciências e Matemática”. A publicação tem como editora adjunta a professora Rute Cristina Domingos de Palma, que substitui a professora Márcia Santos Ferreira. Acesse o periódico Revista de Educação Pública." (UFMT, 2017)