“Era vez nenhuma!” ou os descabidos contos de fadas de uma professora sem modos e uma criança desbocada

Autores

Resumo

Essa escrita aposta na ampliação da existência dos corpos, entrelaçando a vida cotidiana de uma escola e as forças fabulatórias. Apresenta, de início, uma escola que, com certas lentes, era quase saída do Era uma vez, totalmente afeita ao pulcro. E justamente a partir dessa escola e de pedagogias demasiadamente certinhas, o texto fabula uma professora que ameaça com sua estrangeiridade. Afrontando as pedagogias dos mortos e a lógica dos contos de fadas que essas pedagogias criam, a professora expõe, nesses ditos de educação, o real dos espaços escolares. A professora carrega em seu corpo-estrangeiro perguntas que as pedagogias dos mortos descartam de antemão. Como ver e viver as vidas escolares menos pela lógica da explicação e mais por suas potências? Como desalinhar os caminhos e fazê-los voar aos ventos como um dente de leão soprado por crianças e professoras? Certo dia, a professora foi interpelada por uma criança desbocada que vê nela uma existência travesti. Ambos se afetam imediatamente. Há tempos as escolas têm agradado o sistema cisheteronormativos. Quando fabulam, as pedagogias travestis expõem os rabos da educação. Por querer dançar com os corpos cabíveis e incabíveis, a professora-travesti reinventa os contos de fadas e, a cada vírgula, empurra os limites da existência com as fabulações das crianças.

Biografia do Autor

Steferson Zanoni Roseiro, UFES

Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo e professoda Educação Básica na Rede Municipal de Cariacica-ES.

Alexsandro Rodrigues, UFES

Pós-Doutor em Psicologia e Professor do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional da Universidade Federal do Espírito Santo.

Marcio Caetano, UFPel

Pós-Doutor em Currículo e Narrativas Audiovisuais e professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas.

Downloads

Publicado

2021-10-25

Edição

Seção

Dossiê "Interseccionalizando em educação: lutas sociais e direito à diferença"