“UMA LUTA CONTRA MOINHOS DE VENTO”: CONCEPÇÕES DE JOGO EM 8 PROPOSTAS CURRICULARES BRASILEIRAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA PÓS LDB/1996

Autores

  • Rogério de Melo Grillo Unicamp
  • Eloisa Rosotti Navarro UFSCAR
  • Gilson Santos Rodrigues Unicamp

Palavras-chave:

Educação Física, Jogo, Lúdico, Didática, Revisão Narrativa, BNCC

Resumo

Ainda que visto como um “conteúdo clássico”, o Jogo como tema ou conteúdo não é levado “a sério” na Educação Física escolar. O objetivo da pesquisa foi analisar as concepções de Jogo em oito propostas curriculares de Educação Física brasileira, pós LDB. Trata-se de pesquisa qualitativa do tipo revisão narrativa. As fontes foram 8 propostas curriculares de Educação Física (Federais e estaduais). A análise interpretativa embasou as leituras e os insights que consubstanciaram as interpretações. Os documentos trazem contribuições ao conceber o Jogo como atividade fundamental ao desenvolvimento e aprendizagem, elemento de cultura lúdica ou estratégia didática e tratá-lo como conteúdo, metodologia e avaliação. Porém, há insuficiências quanto à indistinção entre Jogo e Lúdico e a ausência de uma didática para o Jogo. Por fim, o estudo contribui apontando indícios de uma didática para o Jogo e reafirmando que é necessário levar o Jogo “a sério” na Educação Física escolar.

Biografia do Autor

Rogério de Melo Grillo, Unicamp

Doutor em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2014). Possui Mestrado em Educação pela Universidade São Francisco (2012), campus Itatiba/SP. Licenciatura Plena em Educação Física (2005) e Especialização em Educação Física Escolar (2007) pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais/SP. Graduação em Pedagogia pela FAFIBE (MG). É Assessor Pedagógico de Educação Física na Editora Positivo (Curitiba, PR). É também pesquisador na UNICAMP, sendo membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Física Escolar (EscolaR - UNICAMP) e membro do Centro de Estudo sobre Ludicidade e Lazer (CELULA - UFC). Foi membro da "The Association for the Study of Play (TASP)" por três anos (2015-2017). Fez estágio doutoral (Edital Cooperação Mundial) na Argentina, sob a orientação da profa. Dra. Carolina Duek (UBA/Conicet). É membro do Conselho Editorial da Editora Científica. Realiza pesquisas na área de Educação, com ênfase em Jogo, Brinquedo, Didática, Lúdico e Psicologia Histórico-Cultural. Atualmente, realiza estágio pós-doutoral em Educação Científica e Tecnológica na UFSC, sob orientação da Dra. Regina Célia Grando. 

Referências

ABRAHÃO, Ana Lúcia e colaboradores. O pesquisador IN-MUNDO e o processo de produção de outras formas de investigação em saúde. In: GOMES, Maria Paula Cerqueira; MERHY, Emerson Elias (Orgs.). Pesquisadores IN-MUNDO: um estudo da produção do acesso e barreira em saúde mental. Porto Alegre, RS: Rede Unida, 2014.

BERNARDI, Veridiana Desordi. Jogos tradicionais nas aulas de educação física infantil: possibilidades pedagógicas. 2017. 60f. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS: 2017.

BRACHT, Valter. Cultura corporal, cultura de movimento ou cultura corporal de movimento? In: SOUZA JÚNIOR, Marcílio de. Educação física escolar: teoria e política curricular, saberes escolares e proposta pedagógica. Recife, PE: EDUPE, 2005.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/Leis/L9394.htm> Acesso em: 27 de ago. 2018.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: educação física. Ensino de primeira à quarta série. Brasília, DF: Secretaria de Educação Fundamental, Ministério da Educação, 1997.

BRASIL. Base nacional comum curricular: educação é a base. Brasília, DF: Secretaria de Educação Fundamental, Ministério da Educação, 2018.

CAILLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa, Portugal: Cotovia, 1990.

CARNEIRO, Kleber Tüxen. O jogo na educação física escolar: uma análise sobre as concepções atuais dos professores. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar). Universidade Estadual Paulista, Araraquara, SP, 2009.

CÁSSIO, Fernando; CASTELLI JÚNIOR, Roberto. Educação é a base? 23 educadores discutem a BNCC. São Paulo, SP: Ação Educativa, 2019.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação física no Brasil: a história que não se conta. 2. ed. Campinas, SP: Papirus, 1991.

CASTELANNI FILHO e colaboradores. Metodologia do ensino de educação física. 2. ed. rev. São Paulo, SP: Cortez, 2009.

CERVANTES, Miguel. O engenhoso fidalgo D. Quixote de La Mancha. São Paulo: Abril Coleções, 2010.

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. São Paulo: Summus, 1987.

CORDEIRO, Alexander Magno e colaboradores. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 34, n. 6, p. 428-431, 2007.

CUNHA JÚNIOR., Carlos Fernando Ferreira. Organização e cotidiano escolar da “Gymnastica” uma história no Imperial Collegio de Pedro Segundo. Perspectiva, v. 22, n. esp., p. 163-195, 2004.

ELKONIN, Daniil B. Psicologia do jogo. 2. ed. São Paulo, SP: WMF Martins Fontes, 2009.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. São Paulo: Scipione, 1989.

______. O jogo: entre o riso e o choro. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

GRILLO, Rogério de Melo; PRODÓCIMO, Elaine; GOIS JÚNIOR, Edivaldo. O jogo e a “Escola Nova” no contexto da sala de aula: Maceió, 1927-1931. Educação em revista, v. 32, n. 4, p. 345-364, 2016.

GRILLO, Rogério de Melo. 2018. 356f. Mediação semiótica e jogo na perspectiva histórico-cultural em educação física escolar. Tese (Doutorado em Educação Física). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2018.

GROOS, Karl. The play of animals. Translated by Elizabeth L. Baldwin, New York: D Aplleton and Company, 1898.

______. The play of man. Translated by Elizabeth L. Baldwin, New York and London: D. Appleton and Company, 1912.

HATCH, J. Amos. Doing qualitative research in education settings. Albany, NY: State University of New York Press, 2002.

HUIZINGA, Johan. De lo lúdico y lo serio: acerca de los límites entre lo lúdico y lo serio en la cultura. Traducción Goedele De Sterck, 2. ed. Madrid, Espanha: Casimiro Libros, 2018.

______. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2019.

LARROSA, Jorge Bondia. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação & realidade, v. 28, n. 2, p. 101-115, 2003.

LEIF, Joseph; BRUNELLE, Lucien. O jogo pelo jogo: a atividade lúdica na educação de crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

MACHADO, Thiago da Silva; BRACHT, Valter. O impacto do movimento renovador da educação física nas identidades docentes: uma leitura a partir da “teoria do reconhecimento” de Axel Honneth. Movimento, v. 22, n. 3, p. 849-860, jul./ set., 2016.

MELO, Marcelo Soares Tavares de. O ensino do jogo na escola: uma abordagem metodológica para a prática pedagógica dos professores de educação física. 1994. 152f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Pernambuco. Recife, PE: 1994.

MICHELET, André. El maestro y el juego. Perspectivas, v. 16, n. 1, p. 117-126, 1986.

OLIVEIRA, Rogerio Massarotto de. A organização do trabalho educativo com o jogo na formação de professores de educação física. 2017. 260f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2017.

PASSOS, Kátia Cristina Montenegro. O lúdico essencial e o lúdico instrumental: o jogo nas aulas de educação física escolar. 1995. 147f. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Universidade Gama Filho, Rio de Janeiro, 1995.

RETONDAR, Jefferson José Moebus. 1995. 204f. Alguns sentidos do ato de jogar. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro, 1995.

ROTHER, Edna Terezinha. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta paulista de enfermagem, v. 20, n. 2, p. v-vi, 2007.

SCAGLIA, Alcides José. 2003. 178f. O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes. Tese (Doutorado em Educação Física). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2003.

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS. Conteúdo Básico Comum (CBC): Educação Física: Educação Básica: Ensino Fundamental e Médio. Belo Horizonte, MG: SEE/MG, 2007.

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO. Orientações teórico metodológicas: Educação Física: Ensino Fundamental e Médio. Recife, PE: SEE/PE, 2010.

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL. Referenciais curriculares do estado do Rio Grande do Sul: Linguagens, códigos e suas tecnologias (Lições do Rio Grande), v. 2. Porto Alegre, RS: SE/DP, 2009.

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Proposta curricular do estado de São Paulo: Educação Física (Ensino Fundamental e Médio). São Paulo: SEE/SP, 2008.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Orientações curriculares para o ensino de educação física do estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: SEE/RJ, 2016.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Currículo base da Rede Estadual de Espírito Santo. Vitória, ES: SEDU/ES, 2017.

SOARES, Carmen Lúcia. Educação física escolar: conhecimento e especificidade. Revista paulista de educação física, n. supl. 2, p. 6-12, dez., 1996.

SOARES, Carmen Lúcia e colaboradores. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo, SP: Cortez, 1992.

SOARES, Marta Genú. Três décadas de movimento renovador na educação física: alcançamos a maioridade epistemológica? Conexões, v. 8, n. 3, p. 24-34, set./ dez., 2010.

SOARES, Vinicius Nagy. Estudos de revisão. In: FERNANDES, Paula Teixeira (Org.). Manual para pesquisa científica na educação física. Itapetininga, SP: Edições Hipótese, 2019.

UNESCO, El Correo de la. El juego. año XLIV, mayo, 1991.

VIAL, Jean. Jogo e educação: as ludotecas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

Downloads

Publicado

2020-07-23

Como Citar

Grillo, R. de M., Navarro, E. R., & Santos Rodrigues, G. (2020). “UMA LUTA CONTRA MOINHOS DE VENTO”: CONCEPÇÕES DE JOGO EM 8 PROPOSTAS CURRICULARES BRASILEIRAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA PÓS LDB/1996. Corpoconsciência, 24(2), 118-132. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10775

Edição

Seção

Seção Temática - IMPLICAÇÕES EPISTEMOLÓGICAS DO JOGO (BRINQUEDO E BRINCADEIRA) NAS PRÁTICAS CORPORAIS