PROCESSOS DE SOCIALIZAÇÃO E SUBJETIVAÇÃO

CORPORAÇÕES DEFININDO POLÍTICAS E SUJEITOS

Autores

DOI:

10.56267/rdtps.v8i15.14448

Palavras-chave:

Escola, Socialização, Políticas Educacionais, Corporativismo

Resumo

O presente ensaio apresenta reflexões sobre a relação do papel do Estado e a instituição escolar na formação de sujeitos, identificando de que modo as políticas adotadas nas reformas recentes da Educação Nacional têm sido formuladas com a participação de atores não estatais. A mobilização de capital econômico e simbólico, influenciam a formulação das políticas educacionais, contribuindo na formação de sujeitos alinhados à perspectiva de formação do homo-economicus, baseada na self made man. O ideal do sujeito empreendedor, atuando como empresário de si mesmo e o modus operandi da escola basear-se nas lógicas corporativas empresariais, difundem princípios e norteiam ações das instituições de educação buscando formar subjetividades alinhavadas a perspectivas economicistas. Conclui-se que a escola enquanto campo de luta, de significados e contradições, mostra-se espaço potente e fundamental para a formação de um ethos social, que pode ser colocada a serviço da formação utilitarista e pragmática, formando para a perspectiva economicista. No entanto, é preciso reconhecer as diferentes vozes e o pluralismo de ideias, de modo a buscar consensos e identificar o que se pretende, quais os objetivos e o papel da escola do nosso tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Crístian Andrei Tisatto, UNISINOS

Doutorando em Ciências Sociais - bolsista CAPES/UNISINOS. Mestre em Ciências Sociais - CAPES/UNISINOS. Especialista em Gestão Escolar - Supervisão e Orientação Educacional e Metodologia de Ensino de Sociologia. Graduado em Ciências Sociais/UNISINOS, Geografia - Licenciatura/Uniasselvi e Pedagogia/UNINTER. Além disso, tem formação em nível médio de Magistério e Curso Técnico em Multimeios Didáticos - IFSUL. É professor adjunto de Ciência Política, no Centro Universitário FTEC. Atua como professor da Rede Municipal de Ensino de Ivoti e professor de Sociologia na Educação de Jovens e Adultos -EJA, no Colégio Marista São Marcelino Champagnat. Foi professor da área de Ciências Humanas no ensino fundamental e médio, na rede estadual de ensino/RS. No município de Campo Bom foi servidor efetivo da Secretaria de Desenvolvimento Social, atuando na área de políticas sociais. Atuou na área de educação como professor de anos iniciais e Informática Educativa. Também trabalhou na coordenação do Programa de Esporte e Lazer - PELC/NH. Possui publicações em periódicos e revistas de Educação e Ciências Sociais, além de formações complementares nestas áreas. Tem interesses de pesquisa na área de Sociologia, Sociologia da Educação de Pierre Bourdieu, Educação, Direitos Humanos e Políticas Públicas.

Referências

AGUIAR, Márcia Angela da S.; DOURADO, Luiz Fernandes (org.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife: Anpae, 2018. Resenha de: FELIZARDO, Clayton Tôrres. Educação Pública, [s. l.], v. 20, n. 21, 9 de junho de 2020.

BARTHO, Viviane Dinês de Oliveira Ribeiro; AZEREDO, Luciana Aparecida Silva de. Entre a disciplina, o controle e a governamentalidade neoliberal: a constituição discursiva da BNCC – Ensino Médio. Currículo sem Fronteiras, [s. l.], v. 21, n. 3, p. 1586-1613, set./dez. 2021. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol21iss3articles/bartho- azeredo.pdf. Acesso em: 13 jan. 2022.

BOURDIEU, Pierre. 2004. A produção da crença: contribuição para uma teoria dos bens simbólicos. São Paulo, Zouk.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

BOWE, Richard; BALL, Stephen J.; GOLD, Anne. Reforming education and changing schools: case studies in policy sociology. Londres: Routledge, 1992.

BRANDÃO, C. R. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 1981.

CAETANO, Maria Raquel. A Base Nacional Comum Curricular e os sujeitos que direcionam a política educacional brasileira. Revista Contrapontos, Itajaí, v. 19, n. 2, p. 132-141, 2019.

CAMPOS, P. H. F.; LIMA, R. de C. P. Capital simbólico, representações sociais, grupos e o campo do reconhecimento. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 48, n. 167, p. 100–127, 2021. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/index.php/cp/article/view/4283. Acesso em: 15 fev. 2022.

CATTANI, Antonio David; KIELING, Francisco dos Santos. A escolarização das classes abastadas. Sociologias, Porto Alegre, v. 9, n. 18, p. 170-187, jun./dez. 2007. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/868/86819553009.pdf. Acesso em: 10 fev. 2022.

CAVALCANTE, Pedro. Gestão pública contemporânea: do movimento gerencialista ao pós-NPM. Brasília, DF: Ipea, 2017. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8027/1/td_2319.pdf. Acesso em: 10 fev. 2022.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016. Disponível em: http://www.afoiceeomartelo.com.br/posfsa/Autores/Dardot,%20Pierre/A%20nova%20razao% 20do%20mundo%20-%20Dardot,%20Pierre.pdf. Acesso em: 23 dez. 2021.

DURKHEIM, Émile. Éducation et sociologie. Paris: PUF: Quadrige, 1989.

FLEURY, S. Seguridade social: um novo patamar civilizatório. In: DANTAS, Bruno (coord.).

Constituição de 1988: o Brasil 20 anos depois. Brasília, DF: Senado Federal, 2008.

FREITAS, Luis Carlos de. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FOUCAULT, M. 2008. O Nascimento da biopolítica. Curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo, Martins Fontes, 474p.

LAHIRE, B. A fabricação social dos indivíduos: quadros, modalidades, tempos e efeitos de socialização. Educação e Pesquisa, [s. l.], n. 41, p. 1393-1404, 2015.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Tradução de Maria Luíza M. de Carvalho e Silva. Londrina: Editora Planta, 2004.

LIBÂNEO, José Carlos. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n.1, p.13-28, out. 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022011005000001. Acesso em: 24 nov. 2021.

MICHETTI, Migueli. Entre a legitimação e a crítica: as disputas acerca da Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 35, n. 102, fev. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102- 69092020000100507&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 12 dez. 2021.

MICHETTI, Miqueli. A vida como projeto: a pedagogia do homo economicus e as iniciativas de fomento ao “espírito do capitalismo” via educação pública. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 55, n. 3, p. 302-314, 2019. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/ciencias_sociais/article/view/csu.2019.55.3.01. Acesso em: 24 jan. 2022.

MICHETTI, Miqueli. Atuação de elites empresariais na definição dos rumos da educação pública no Brasil contemporâneo. In: encontro anual da anpocs, 42., 2018, Caxambu. Anais eletrônicos [...]. Caxambu: Anpocs, 2018. p. 1-27. Disponível em: https://www.anpocs.com/index.php/papers-40-encontro-3/gt-31/gt10-25/11195-a-atuacao-de- elites-empresariais-na-definicao-dos-rumos-da-educacao-publica-no-brasil- contemporaneo/file. Acesso em: 11 dez. 2021.

PERONI, V. M. V.; CAETANO, M. R. O público e o privado na educação: projetos em disputa? Retratos da Escola, [s. l.], v. 9, n. 17, p. 337–352, 2015.

PERONI, V. M. V.; CAETANO, M. R. Redes dentro de redes e as novas alianças entre estado e mercado. Educere et Educare, [s. l.], v. 15, n. 37, 15 fev. 2020.

PERONI, V. M. V.; CAETANO, M. R.; ARELARO, L. R. G. BNCC: disputa pela qualidade ou submissão da educação? RBPAE, [s. l.], v. 35, n. 1, p. 35-56, jan./abr. 2019.

PINHO, Carlos Eduardo Santos. O planejamento governamental no nacional desenvolvimentismo autoritário (1946-1985): a construção institucional de capacidades estatais. In: WORKSHOP ESTADO, POLÍTICA E DESENVOLVIMENTO: PARA UMA AGENDA DE PESQUISA, 1., 2016, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos [...]. Rio de Janeiro: ALACIP, 2016. p. 25-72. Disponível em: http://alacip.org/wp- content/uploads/2017/11/Workshop-GIEID.pdf. Acesso em: 13 jan. 2022.

ROCHA, Natália F. Egito; PEREIRA, Maria Z. da Costa. A prosopopeia da base nacional comum curricular e a participação docente. Horizontes, Itatiba, v. 36, n. 1, p. 49-63, jan./abr. 2018. Disponível em: https://revistahorizontes.usf.edu.br/horizontes/article/view/575/259. Acesso em: 23 jan. 2022.

SAFATLE, Vladimir; SILVA JÚNIOR, Nelson da; DUNKER, Christian. Introdução. In: SAFATLE, Vladimir, SILVA JÚNIOR, Nelson da; DUNKER, Christian. (org.). Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

TARLAU, R.; MOELLER, K. O consenso por filantropia: como uma fundação privada estabeleceu a BNCC no Brasil. Currículo sem Fronteiras, [s. l.], v. 20, n. 2, p. 553-603, maio/ago. 2020. Disponível em: http://curriculosemfronteiras.org/vol20iss2articles/tarlau- moeller.pdf. Acesso em: 09 jan. 2022.

TARLAU, R.; MOELLER, K. O consenso por filantropia: como uma fundação privada estabeleceu a BNCC no Brasil. Currículo sem Fronteiras, [s. l.], v. 20, n. 2, p. 553-603, maio/ago. 2020. Disponível em: http://curriculosemfronteiras.org/vol20iss2articles/tarlau- moeller.pdf. Acesso em: 09 jan. 2022.

TISATTO, Cristian Andrei; BENTO, Juliane Santana. Atores e disputas: a quem interessam as políticas públicas do campo educacional? Revista Germinal - Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 13, n. 2, ago. 2021b.

TISATTO, Cristian Andrei; BENTO, Juliane Santana. Cidadania e neoliberalismo: o capital importa nas políticas públicas de educação? Textura - Revista de Educação e Letras, Canoas, v. 23, n. 53, p. 359-383, 2021a.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

TISATTO, C. A. . PROCESSOS DE SOCIALIZAÇÃO E SUBJETIVAÇÃO: CORPORAÇÕES DEFININDO POLÍTICAS E SUJEITOS. REVISTA DIREITOS, TRABALHO E POLÍTICA SOCIAL, [S. l.], v. 8, n. 15, p. 13-47, 2022. DOI: 10.56267/rdtps.v8i15.14448. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/rdtps/article/view/14448. Acesso em: 27 jan. 2023.