DESLOCAMENTOS URBANOS E O ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS

Autores

DOI:

10.56267/rdtps.v8i15.13681

Palavras-chave:

Deslocamento urbano, Acesso a serviços públicos, Mobilidade urbana, Acessibilidade, Direito à cidade.

Resumo

Com a pandemia da Covid-19, o direito a ter condições de deslocamento de forma segura, eficiente e acessível tem ganhado espaço no debate público e acadêmico. Este trabalho tem como objetivo conhecer os elementos presentes nos estudos sobre deslocamentos urbanos e acesso a serviços públicos. A metodologia utilizada foi a revisão sistemática de 29 artigos disponíveis na base de dados SciELO. Os resultados demonstram a prevalência de estudos realizados no Brasil, com destaque nas regiões Sul e Sudeste do país. Foram instrumentos de coleta: dados primários (entrevistas) e publicações realizadas em periódicos nacionais. O foco dos estudos está no deslocamento para o acesso a serviços de saúde. Os participantes são, na maioria, usuários de serviços de saúde acima de 18 anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Maria Cunha, Unesp Franca – SP

Doutoranda em Serviço Social pelo Programa de Pós-Graduação da UNESP de Franca, mestre em Serviço Social pela mesma Instituição e graduada em Serviço Social pela Faculdade de Serviço Social de Bauru - ITE. Atualmente é coordenadora da Seccional de Bauru do Conselho Regional de Serviço Social de São Paulo (Gestão ECUSS - 2020 a 2023). Professora do Curso de Serviço Social da Faculdade Gran Tietê. Membra titular do Conselho Municipal de Direitos Humanos de Bauru e do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Bauru. Como pesquisadora estuda principalmente os seguintes temas: Habitação de Interesse Social, Serviço Social, Direito à Cidade, Mobilidade Urbana e Assistência Social. Integrante do grupo de estudos e pesquisa DEMUS - Direito e Mudança Social.

Agnaldo de Sousa Barbosa, Unesp Franca – SP

Livre-Docente em Sociologia pela UNESP. Atualmente é Professor Associado III (MS5-3) do Departamento de Educação, Ciências Sociais e Políticas Públicas da Universidade Estadual Paulista - UNESP/Câmpus de Franca, instituição na qual ingressou em setembro de 2009. É docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Análise de Políticas Públicas, do qual foi coordenador de out/2013 a jul/2021, e também do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. Foi pesquisador visitante do Centro de Estudos Sociais-CES da Universidade de Coimbra em 2018/2019, com bolsa BEP/FAPESP. Desde junho de 2014 coordena o DeMuS - Grupo de Estudos e Pesquisa em Direito e Mudança Social. Em pesquisa possui atuação multidisciplinar, orientando trabalhos de diversas áreas das Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, da iniciação científica ao pós-doutorado. Em suas publicações destacam-se temas pertinentes à Sociologia do Direito, Sociologia do Desenvolvimento, Sociologia Política e Políticas Públicas. Entre 2005 e 2007 foi bolsista do Programa Jovem Pesquisador da FAPESP, agência de fomento da qual também é assessor ad-hoc.

Referências

AIKES, S.; RIZZOTTO, M. L. F. Integração regional em cidades gêmeas do Paraná, Brasil, no âmbito da saúde. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 34, n. 8, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00182117. Acesso em: 17 mar. 2022.

ALMEIDA, A. P. S. C. et al. Falta de acesso e trajetória de utilização de serviços de saúde por idosos brasileiros. In: Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro v. 25, n. 6, pp. 2213-2226, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232020256.27792018. Acesso em: 20 mar. 2022.

ALMEIDA, W. S. de; SZWARCWALD, C. L. Mortalidade infantil e acesso geográfico ao parto nos municípios brasileiros. In: Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 68-76, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-89102012005000003. Acesso em: 18 mar. 2022

AQUINO, R. C. A. et al. Acesso e itinerário terapêutico aos serviços de saúde nos casos de óbitos por câncer de boca. In: Revista CEFAC, Campinas, v. 20, n. 5, p. 595-603, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-0216201820515017. Acesso em: 18 mar. 2022.

AS Universidades brasileiras no mundo em 2020. Métricas.edu. Disponível em: https://metricas.usp.br/as-universidades-brasileiras-no-mundo-em-2020/. Acesso em: 10 dez. 2021.

BRANDT, D. B. Mobilidade urbana, transporte e saúde na cidade do Rio de Janeiro. In: SER Social, Brasília, v. 19, n. 41, p. 439-458, jul.-dez./2017. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/SER_Social/article/view/14950/13268. Acesso em: 10 dez. 2021.

BRASIL. Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm. Acesso em: 14 nov. 2021.

BRASIL. MDS. Orientações Técnicas: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), 2011. Disponível em: https://aplicacoes.mds.gov.br/snas/documentos/04-caderno-creas-final-dez..pdf. Acesso em: 10 dez. 2021.

CARNEIRO, M. et al. Espraiamento urbano e exclusão social. Uma análise da acessibilidade dos moradores da cidade do Rio de Janeiro ao mercado de trabalho. In: EURE, Santiago, v. 45, n. 136, p. 51-70, sept. 2019. Disponível em: http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0250-71612019000300051&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 18 mar. 2022.

CARVALHO, A. W. B.; STEPHAN, I. I. C. Eficácia social do Programa Minha Casa Minha Vida: discussão conceitual e reflexões a partir de um caso empírico. In: Cadernos Metrópole. São Paulo, v. 18, n. 35, pp. 283-307, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2236-9996.2016-3513. Acesso em: 15 mar. 2022.

CASTRO, S. S. et al. Acessibilidade aos serviços de saúde por pessoas com deficiência. In: Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 45, n. 1, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-89102010005000048. Acesso em: 14 mar. 2022.

CFESS. Atuação de assistentes sociais na Política Urbana. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/CFESS-SubsidiosPoliticaUrbana-Site.pdf. Acesso em: 15 jul. 2021.

CGEE. Panorama da ciência brasileira: 2015-2020. Boletim Anual OCTI, Brasília, v.1, jun. 2021. Disponível em:

https://www.cgee.org.br/documents/10195/734063/CGEE_Pan_Cie_Bra_2015-20.pdf. Acesso em: 15 dez. 2021.

COHEN-CARNEIRO, F. et al. Oferta e utilização de serviços de saúde bucal no Amazonas, Brasil: estudo de caso em população ribeirinha do Município de Coari. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 8, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000800019. Acesso em: 18 mar 2022.

COSTA, A. B.; ZOLTOWSKI, A.P.C. Como escrever um artigo de revisão sistemática. In: KOLLER, S. H.; DE PAULA COUTO, M. C. P.; HOHENDORFF, J. V. (Org.). In: Manual de Produção Científica. Porto Alegre: Penso, 2014. Disponível em: https://www.biosanas.com.br/uploads/outros/artigos_cientificos/18/6505082c2a7c23986651c7b1f7a4a92e.pdf. Acesso em: 15 dez. 2021.

COSTA, L. P.; MORAIS, I.R.D. Espaço, iniquidade e transporte público: avaliação da acessibilidade urbana na cidade de Natal/RN por meio de indicadores de sustentabilidade. In: Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 26, n. 2, p. 237-251, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-451320140203. Acesso em: 18 mar. 2022.

DIAS, A. F. et al. O papel de mediação da densidade residencial na associação entre fatores ambientais percebidos e deslocamento ativo à escola em adolescentes brasileiros. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 5, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00067620. Acesso em: 15 mar. 2022.

FERMINO, R. C.; REIS, R. S. e CASSOU, A. C. Fatores individuais e ambientais associados ao uso de parques e praças por adultos de Curitiba-PR, Brasil. In: Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, Florianópolis, v. 14, n. 4, p. 377-389, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1980-0037.2012v14n4p377. Acesso em: 18 mar. 2022.

FIGUEIREDO, T. M. R. M. de et al. Desempenho da atenção básica no controle da tuberculose. In: Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 43, n. 5, pp. 825-831, 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-89102009005000054. Acesso em: 15 mar. 2022.

FREIRE, D. E. W. G. et al. Acesso em saúde bucal no Brasil: análise das iniquidades e não acesso na perspectiva do usuário, segundo o Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, 2014 e 2018. In: Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 30, n. 3, 2021Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1679-49742021000300016. Acesso em: 15 mar. 2022.

FREIRE JÚNIOR, R. C. et al. Estudo da acessibilidade de idosos ao centro da cidade de Caratinga, MG. In: Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, 2013, v. 16, n. 3, pp. 541-558, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1809-98232013000300012. Acesso em: 17 mar. 2022.

FREITAS, D.A.; SOUZA-SANTOS, R.; WAKIMOTO, M. D. Acesso aos serviços de saúde por pacientes com suspeita de dengue na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. In: Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 24, n. 4, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018244.11252017. Acesso em: 17 mar. 2022.

GARCIA, P. B.M; RAIA, A. A. Análise da acessibilidade a hospitais: Estudo de caso para as cidades de São Carlos (SP) e Rio Claro (SP). urbe. In: Revista Brasileira de Gestão Urbana, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 21-47, 2015. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2175-3369.007.001.AO02. Acesso em: 18 mar. 2022.

GOMIDE, Alexandre de Ávila. MOBILIDADE URBANA, INIQÜIDADE E POLÍTICAS SOCIAIS. In: IPEA. Políticas sociais acompanhamento e análise. Brasília: Ipea, 2006. Disponível em:

https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/4511/1/bps_n.12_ensaio5_alexandre12.pdf. Acesso em: 16 dez. 2022.

GONÇALVES, C. Resiliência urbana e serviços sociais de interesse geral: quem perde acessibilidade aos sistemas de saúde durante as crises? In: Saúde e Sociedade. 2021, v. 30, n. 1. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902021190867. Acesso em: 12 mar. 2022.

IPEA. Mobilidade Urbana e o acesso ao Sistema Único de Saúde para casos suspeitos e graves de Covid-19 nas vinte maiores cidades do Brasil. Brasília: Ipea, 2020. Disponível em: https://itdpbrasil.org/wp-content/uploads/2020/04/Nota-T%C3%A9cnica-Mobilidade-e-acesso-ao-SUS.pdf. Acesso em: 10 jul. 2021.

NICKELS, S.V. et al. Acesso aos cuidados de saúde mental em El Salvador: um estudo de caso de progresso em direção à descentralização. In: Rev Panam Salud Publica. Washington, v. 42, 2018. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2018.v42/e172. Acesso em: 18 mar. 2022.

OKOLI, C. Guia para realizar uma revisão sistemática da literatura. Tradução de Amado Duarte; Revisão técnica e introdução de João Mattar. In: eaD em Foco, 2019. Disponível em: https://eademfoco.cecierj.edu.br/index.php/Revista/article/view/748/359. Acesso em: 20 dez. 2021.

LUNA, I.D.O. et al. Acessibilidade ao ambiente físico em academias de ginástica para pessoas com deficiência física: uma revisão integrativa. In: Rev. Cienc. Salud, Bogotá, v. 19, n. 1, p. 53-73, Apr. 2021. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1692-72732021000100053&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 mar. 2022.

MARANDOLA JR., E.; GUEDES, G. R.; SILVA, R. B. Perfis de mobilidade nas regiões metropolitanas do interior de São Paulo. In: Pap. poblac, Toluca , v. 16, n. 66, p. 177-226, 2010. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1405-74252010000400007&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 18 mar. 2022.

MOREIRA, J. P. L.; MORAES, J.R.; LUIZ, R. R. Utilização de consulta médica e hipertensão arterial sistêmica nas áreas urbanas e rurais do Brasil, segundo dados da PNAD 2008. In: Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 9, p. 3781-3793, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011001000014. Acesso em: 12 mar. 2022.

OVIEDO-CÁCERES, M. D. P.; HERNÁNDEZ-GUIRAMA, A. Universidades e deficiência: “A estratégia básica é perseverança. In: Revista Colombiana de Educación, v. 1, n. 79, 2020. Disponível em: https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/RCE/article/view/9618. Acesso em: 18 mar. 2022.

PAGLIUCA, L.M.F. e al. Acesso de idosos às unidades de Atenção Primária à Saúde. In: REME – Rev Min Enferm. 2017. V. 21. Disponível em: http://reme.org.br/artigo/detalhes/1157. Acesso em: 12 mar. 2022.

PIRES, M. R. G. M. et al. Oferta e demanda por média complexidade/SUS: relação com atenção básica. In: Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, p. 1009-1019, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000700007. Acesso em: 18 mar 2022,

QUINTERO, M. C. F. et al. Acesso ao diagnóstico da tuberculose em município brasileiro de médio porte. In: Revista de Salud Pública, Bogotá, 2018, v. 20, n. 1, p. 103-109. Disponível em: https://doi.org/10.15446/rsap.V20n1.64177. Acesso em: 18 mar. 2022.

SALDANHA, R. F. et al. Estudo de análise de rede do fluxo de pacientes de câncer de mama no Brasil entre 2014 e 2016. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro. 2019, v. 35, n. 7, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00090918. Acesso em: 17 mar. 2022.

SILVA, A. A. P. et al. Características do ambiente no entorno de escolas, distância da residência e deslocamento ativo em adolescentes de Curitiba, Brasil. In: Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, v. 23, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-549720200065. Acesso em: 17 mar. 2022.

SILVA, A. T. et al. Distância até as academias ao ar livre, uso das estruturas e atividade física em adultos. In: Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 24, n. 02, p. 157-161, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1517-869220182402180439. Acesso em: 17 Mar. 2022.

VASCONCELLOS, E. A. Mobilidade cotidiana, segregação urbana e exclusão. In: BALBIN, Renato et. all. (orgs.). Cidade e movimento: mobilidades e interações no desenvolvimento urbano. Brasília: Ipea: ITDP, 2016. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/160905_livro_cidade_movimento.pdf. Acesso em: 04 dez. 2021.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

CUNHA, M. M. .; DE SOUSA BARBOSA, A. . DESLOCAMENTOS URBANOS E O ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS. REVISTA DIREITOS, TRABALHO E POLÍTICA SOCIAL, [S. l.], v. 8, n. 15, p. 193-213, 2022. DOI: 10.56267/rdtps.v8i15.13681. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/rdtps/article/view/13681. Acesso em: 28 jan. 2023.