PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA: UMA ANÁLISE DO RETRATO CENSITÁRIO EM CUIABÁ NO ANO DE 2017

Autores

  • Juliano Batista dos Santos Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT & Instituto Federal de Mato Grosso - IFMT. http://www.ufmt.br/ecco/site/
  • Juliana Abonizio Universidade Federal de Mato Grosso

Palavras-chave:

Retrato censitário. Moradores de rua, Cuiabá, Vulnerabilidade social,

Resumo

O presente artigo se propõe a apresentar o perfil das pessoas em situação de rua em Cuiabá-MT. Para tanto, é realizada uma análise do Projeto e do Relatório Quero Te Conhecer da Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano da Prefeitura da capital com o intuito de, primeiramente, compreendermos o que a nova gestão do governo municipal, para a administração pública de 2017 a 2020, pensa e planeja para a população de rua durante os próximos quatro anos, para, em seguida, apresentarmos, a partir de informações recolhidas in loco nos pontos da cidade com maior concentração de moradores de rua, os resultados quantitativos e qualitativos sobre suas características sociodemográficas e econômicas, as trajetórias na rua, os vínculos familiares, trabalho e renda, posse de documentos e, por fim, saúde.

Biografia do Autor

Juliano Batista dos Santos, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT & Instituto Federal de Mato Grosso - IFMT.

Doutorando em Estudos de Cultura Contemporânea na Universidade Federal de Mato Grosso. Mestre em Estudos de Cultura Contemporânea na Universidade Federal de Mato Grosso. Especialista em Educação do Campo pelo Instituto Federal de Mato Grosso. Bacharel e licenciado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia. Professor de Filosofia no Instituto Federal de Mato Grosso, Campus Cuiabá. Membro do Grupo de Estudos Artes Híbridas: intersecções, contaminações e transversalidades.

Juliana Abonizio, Universidade Federal de Mato Grosso

Docente do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporanea da Universidade Federal de Mato Grosso. 

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Liquid Modernity. 1ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BOTTI, Nadja Cristiane L. et al. Avaliação da ocorrência de transtornos mentais comuns entre a população de rua de Belo Horizonte. Revista Barbarói, Santa Cruz do Sul, n. 33, p. 178-193, 2010. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/ 1583/1318 >. Acesso em: 09 jun. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 25 maio 2017.

______. Decreto nº 7.053, de 23 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências. Brasília, DF, 24 dez. 2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d7053.htm>. Acesso em: 25 maio 2017.

______. Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Brasília, DF, 7 dez. 1993. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8742.htm>. Acesso em: 25 maio 2017.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Conselho Nacional de Assistência Social. Resolução nº 145, de 15 outubro de 2004. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 out. 2004. Disponível em: <https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id =101000>. Acesso em: 25 maio 2017.

CUIABÁ. Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano. Projeto: Quero Te Conhecer. Cuiabá: SMASDH, [2017a].
 
______. Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano. Relatório do serviço de abordagem social. Cuiabá: SMASDH, [2017b].

DORNELLES, Aline Espindola et al. O retrato censitário da população adulta em situação de rua em Porto Alegre. In: DORNELLES, Aline E.; OBST, Júlia; SILVA, Marta B. (Org.). A Rua em Movimento: debates acerca da população adulta em situação de rua na cidade de Porto Alegre. Belo Horizonte: Didática Editora do Brasil, 2012, p. 43-57. Disponível em: <http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/fasc/usu_doc/a_rua_em_movimento.pdf>. Acesso em: 01 jun. 2017.

FRANGELLA, Simone Miziara. Corpos urbanos errantes: uma etnografia da corporalidade de moradores de rua em São Paulo. São Paulo: Annablume, FAPESP, 2009.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Trad. Maria Célia Santos Raposo. 8ª ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

MONTIEL, José Maria et al. Avaliação de transtornos da personalidade em moradores de rua. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 35, n. 2, p. 488-502, 2015. Disponível em: <http://www.redalyc.org/html/2820/282039481016/>. Acesso em: 16 jun. 2017.

REIS, Marcela. Número de pessoas em situação de rua só cresce no Brasil. Observatório da Sociedade Civil, São Paulo, 24 mar. 2016. Disponível em: < http://periodicos.ufes.br/temporalis/article/download/17908/pdf_1>. Acesso em: 29 maio 2017.

ROZENDO, Suzana; MONTIPÓ, Criselli. Fora de foco: uma análise da cobertura midiática sobre as pessoas em situação de rua. Revista Ação Midiática – Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 1-16, 2012. Disponível em: <http://revistas.ufpr.br/acaomidiatica/article/view/27789>. Acesso em: 15 jun. 2017.

SANTANA, Carmen Lúcia A.; ROSA, Anderson da Silva (Org.). Saúde mental das pessoas em situação de rua: conceitos e práticas para profissionais da assistência social. São Paulo: Epidaurus Medicina e Arte, 2016. Disponível em: <http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/desenvolvimento_urbano/saude_mental_pop_rua.pdf>. Acesso em: 09 jun. 2017.

SANTOS, Hermílio. Ação, relevância e interpretação subjetiva. Estudos de Sociologia, Recife, v. 1, n. 18, 2013. Disponível em: <http://www.revista.ufpe.br/revsocio/index.php/ revista/article/view/53>. Acesso em: 08 maio 2017.

Downloads

Publicado

2019-01-02