VULNERABILIDADES E COVID-19

O CENÁRIO DA PANDEMIA NAS FAVELAS BRASILEIRAS

Autores

DOI:

10.56267/rdtps.v8i14.13264

Palavras-chave:

COVID-19, Vulnerabilidade em Saúde, Áreas de Pobreza

Resumo

Este trabalho analisa a situação da pandemia de COVID-19 nas favelas brasileiras, tendo como objetivo evidenciar o cenário de vulnerabilidades sociais existentes nestas localidades. Foi realizada revisão de literatura baseada em busca de textos científicos, demonstrando que grande parcela desta população é excluída de direitos e serviços básicos, competindo ao Estado provê-los de forma adequada e universal. As desigualdades vão além da discussão sobre renda, não podendo ser ignorada a necessidade de superação da assimetria de acesso a bens e serviços. Há décadas, sabe-se que as favelas são locais onde há grande vulnerabilidade social, marcadas por grande desigualdade em saúde e pela segregação socioespacial. Com a pandemia, as desigualdades sociais existentes no país ficaram evidenciadas, com as populações já vulnerabilizadas sendo afetadas negativamente neste contexto de exposição ao vírus. Desta forma, observou-se que o risco da contaminação e do acometimento pelo SARS-CoV-2 não ocorria da mesma maneira para todas as pessoas, afetando de maneira distinta e desproporcional indivíduos e coletividades de estratos mais e menos privilegiados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Ribeiro Alves, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutor em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. Professor Substituto e Pós-Doutorando do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Marina Atanaka, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutora em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. Professora Associada do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Referências

ALVES, M. R.; SOUZA, R. A. G.; CALÓ, R. S. Poor sanitation and transmission of COVID-19 in Brazil. São Paulo Medical Journal, v. 139, n. 1, p. 72-76, 2021. doi: https://doi.org/10.1590/1516-3180.2020.0442.R1.18112020.

BARCELLOS, C. et al. Inter-relacionamento de dados ambientais e de saúde: análise de risco à saúde aplicada ao abastecimento de água no Rio de Janeiro utilizando Sistemas de Informações Geográficas. Cadernos de Saúde Pública, v. 14, n. 3, p. 597-605, 1998. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1998000300016.

BORJA, P. C. Política pública de saneamento básico: uma análise da recente experiência brasileira. Saúde e Sociedade, v. 23, n. 2, p. 432-447, 2014. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000200007.

BUENO, F. T. C.; SOUTO, E. P.; MATTA, G. C. Notas sobre a trajetória da Covid-19 no Brasil. In: MATTA, G. C. et al. (Org.). Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e resposta à pandemia. Editora FIOCRUZ, 2021. doi: https://doi.org/10.7476/9786557080320.

BUSS, P. M.; PELLEGRINI-FILHO, A. A saúde e seus Determinantes Sociais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 17, n. 1, p. 77-93, 2007. doi: https://doi.org/10.1590/S0103-73312007000100006.

CAMPELLO, T. et al. Faces da desigualdade no Brasil: um olhar sobre os que ficam para trás. Saúde em Debate, v. 42, N. Esp. 3, p. 54-66, 2018. doi: https://doi.org/10.1590/0103-11042018s305.

COMISSÃO NACIONAL SOBRE DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE. As causas sociais das iniquidades em saúde no Brasil. Editora FIOCRUZ, 2008. doi: https://doi.org/10.7476/9788575415917.

COSTA, S. S. Pandemia e desemprego no Brasil. Revista de Administração Pública, v. 54, n. 4, p. 969-978, 2020. doi: https://doi.org/10.1590/0034-761220200170.

FREITAS, C. M.; SILVA, I. V. M.; CIDADE, N. C. COVID-19 as a global disaster: challenges to risk governance and social vulnerability in Brazil. Ambiente & Sociedade, v. 23, p. 1-12, 2020. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422asoc20200115vu2020L3ID.

GAILLE, M.; TERRAL, P. Uma contribuição da pesquisa francesa em Ciências Humanas e Sociais para a análise internacional da pandemia de Covid-19. In: MATTA, G. C. et al. (Org.). Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e resposta à pandemia. Editora FIOCRUZ, 2021. doi: https://doi.org/10.7476/9786557080320.

GALHARDI, C. P. et al. Fato ou fake? Uma análise da desinformação frente à pandemia da Covid-19 no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, Supl. 2, p. 4201-4210, 2020. doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320202510.2.28922020.

GALVÃO JUNIOR, A. C.; PAGANINI, W. S. Aspectos conceituais da regulação dos serviços de água e esgoto no Brasil. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 14, n. 1, p. 79-88, 2009. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-41522009000100009.

GOES, E. F.; RAMOS, D. O.; FERREIRA, A. J. F. Desigualdades raciais em saúde e a pandemia da Covid-19. Trabalho, Educação e Saúde, v. 18, n. 3, e00278110, p. 1-7, 2020. doi: https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00278.

GUIMARÃES, R. B.; CATÃO, R. C.; MARTINUCI, O. S.; PUGLIESI, E. A.; MATSUMOTO, P. S. S. O raciocínio geográfico e as chaves de leitura da Covid-19 no território brasileiro. Estudos Avançados, v. 34, n. 99, p. 119-139, 2020. doi: https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.3499.008.

HANDAM, N. B. et al. Drinking water quality in Brazilian urban slums. Revista Ambiente e Água, v. 15, n. 3, e2532, p. 1-11, 2020. doi: https://doi.org/10.4136/ambi-agua.2532.

JULIANO, E. F. G. A.; MALHEIROS, T. F.; MARQUES, R. C. Lideranças comunitárias e o cuidado com a saúde, o meio ambiente e o saneamento nas áreas de vulnerabilidade social. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 3, p. 789-796, 2016. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232015213.21862015.

KEN, S. A saúde e o meio ambiente: relação de condições de saneamento habitacional e parasitoses. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 5, n. 1, p. 81-92, 1971. doi: https://doi.org/10.1590/0080-6234197100500100081.

LEITE, R. A. F. et al. Acesso à informação em saúde e cuidado integral: percepção de usuários de um serviço público. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 18, n. 51, p. 661-671, 2014. doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0653.

LIMA, A. L. S. et al. Covid-19 nas favelas: cartografia das desigualdades. In: MATTA, G. C. et al. (Org.). Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e resposta à pandemia. Editora FIOCRUZ, 2021. doi: https://doi.org/10.7476/9786557080320.

LIMA, N. T.; BUSS, P. M.; PAES-SOUSA, R. A pandemia da COVID-19: uma crise sanitária e humanitária. In: BUSS, P. M. e FONSECA, L. E (Org.). Diplomacia da saúde e COVID-19: reflexões a meio caminho. Editora FIOCRUZ, 2020. doi: https://doi.org/10.7476/9786557080290.

MACIEL, E. L. N. et al. Condições de vida, soro prevalência e sintomas de Covid-19 em favelas da Região Metropolitana de Vitória (Espírito Santo). Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 24, E210048, p. 1-13, 2021. doi: https://doi.org/10.1590/1980-549720210048.

MORENO, A. B; MATTA, G. C. Covid-19 e o dia em que o Brasil tirou o bloco da rua: acerca das narrativas de vulnerabilizados e grupos de risco. In: MATTA, G. C. et al. (Org.). Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e resposta à pandemia. Editora FIOCRUZ, 2021. doi: https://doi.org/10.7476/9786557080320.

PANDEY, D. et al. SARS-CoV-2 in wastewater: Challenges for developing countries. International Journal of Hygiene and Environmental Health, v. 231, p. 1-7, 2021. doi: https://doi.org/10.1016/j.ijheh.2020.113634.

PEREIRA, A. A. et al. Levantamento das condições de habitação e saúde da comunidade da Favela do Borel, Tijuca. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 6, n. 2, p. 73-78, 1972. doi: https://doi.org/10.1590/S0037-86821972000200003.

PORTO, M. F. S. et al. Saúde e ambiente na favela: reflexões para uma promoção emancipatória da saúde. Serviço Social & Sociedade, n. 123, p. 523-543, 2015. doi: https://doi.org/10.1590/0101-6628.035.

REGO, S. et al. Bioética e Covid-19: vulnerabilidades e saúde pública. In: MATTA, G. C. et al. (Org.). Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e resposta à pandemia. Editora FIOCRUZ, 2021. doi: https://doi.org/10.7476/9786557080320.

RIBEIRO, M. G. Território e desigualdades de renda em Regiões Metropolitanas do Brasil. Dados – Revista de Ciências Sociais, v. 58, n. 4, p. 913-950, 2015. doi: https://doi.org/10.1590/00115258201562.

SALLA, M. R. et al. Relação entre saneamento básico e saúde pública em Bissau, Guiné-Bissau. Saúde e Sociedade, v. 28, n. 4, p. 284-296, 2019. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902019180705.

SANHUEZA-SANZANA, C. et al. Desigualdades sociais associadas com a letalidade por COVID-19 na cidade de Fortaleza, Ceará, 2020. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 30, n. 3, e2020743, p. 1-12, 2021. doi: https://doi.org/10.1590/s1679-49742021000300022.

SILVEIRA, M. R.; FELIPE JUNIOR, N. F.; COCCO, R. G.; FELÁCIO, R. M.; RODRIGUES, L. A. Novo coronavírus (Sars-CoV-2): difusão espacial e outro patamar para a socialização dos investimentos no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 22, e202024pt, 2020. doi: https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202024pt.

SOUZA, C. M. N. Gestão da água e saneamento básico: reflexões sobre a participação social. Saúde e Sociedade, v. 26, n. 4, p. 1058-1070, 2017. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902017170556.

SOUZA, D. O.; SILVA, S. E. V.; SILVA, N. O. Determinantes Sociais da Saúde: reflexões a partir das raízes da “questão social”. Saúde e Sociedade, v. 22, n. 1, p. 44-56, 2013. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902013000100006.

SZWARCWALD, C. L. et al. Inequalities in healthy life expectancy by Federated States. Revista de Saúde Pública, v. 51, Suppl. 1, p. 1s-11s, 2017. doi: https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2017051000105.

WERNECK, G. L. Cenários epidemiológicos no Brasil: tendências e impactos. In: FREITAS, C. M.; BARCELLOS, C.; VILLELA, D. A. M. (Org.). COVID-19 no Brasil: cenários epidemiológicos e vigilância em saúde. Editora Fiocruz, 2021. doi: https://doi.org/10.7476/9786557081211.

WERNECK, G. L.; CARVALHO, M. S. A pandemia de COVID-19 no Brasil: crônica de uma crise sanitária anunciada. Cadernos de Saúde Pública, v. 36, n. 5, e00068820, p. 1-4, 2020. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00068820.

WU, Y et al. Prolonged presence of SARS-CoV-2 viral RNA in faecal samples. The Lancet Gastroenterology & hepatology, v. 5, n. 5, p. 434-435, 2020. doi: https://doi.org/10.1016/S2468-1253(20)30083-2.

YEO, C; KAUSHAL, S; YEO, D. Enteric involvement of coronaviruses: is faecal-oral transmission of SARS-CoV-2 possible? The Lancet Gastroenterology & hepatology, v. 5, n. 4, p. 335-337, 2020. doi: https://doi.org/10.1016/S2468-1253(20)30048-0.

Downloads

Publicado

2022-06-15

Como Citar

RIBEIRO ALVES, M.; ATANAKA, M. VULNERABILIDADES E COVID-19: O CENÁRIO DA PANDEMIA NAS FAVELAS BRASILEIRAS. REVISTA DIREITOS, TRABALHO E POLÍTICA SOCIAL, [S. l.], v. 8, n. 14, p. 172-192, 2022. DOI: 10.56267/rdtps.v8i14.13264. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/rdtps/article/view/13264. Acesso em: 6 fev. 2023.