Fenomenologia e Infância: o direito da criança a ser o que ela é

Autores

DOI:

10.29286/rep.v22i49/1.913

Palavras-chave:

Verdadeiro Self, Falso Self. Relação Adulto-Criança. Capacidade de Estar Só.

Resumo

Esta reflexão conversa com as ideias do psicanalista D. W. Winnicott sobre o verdadeiro self e as correlaciona com a noção de infância do filósofo Merleau-Ponty, de modo a reafirmar a importância da autenticidade na primeira infância e alertar sobre o prejuízo da inautenticidade, atitude artificial que fortaleceria na criança o falso self. A autora comenta a enorme dificuldade dos adultos na contemporaneidade para se entregarem ao momento vivido da convivência na primeira infância de seus filhos, dificuldade revelada no uso exagerado de intermediações e intermediadores: técnicas, objetos da cultura, manuais e especialistas que tudo sabem.

Palavras-chave: Verdadeiro self, Falso self. Relação adulto-criança. Capacidade de estar só.

Abstract

This reflection considers psychoanalyst D. W. Winnicott’s ideas of the true self and correlates them with philosopher Merleau-Ponty’s notions of childhood, in order to reaffirm the importance of authenticity in early childhood and warn about the dangers of inauthenticity, an artificial approach that would strengthen the child’s false self. The author discusses the difficulty contemporary adults have in immersing themselves in the shared moment during the child’s early infancy; their difficulty is revealed by the excessive use of intermediaries and brokers, techniques, cultural objects, books, and experts who know it all.

Keywords: True self, false self. Adult-child relationship. The capacity to be alone.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Marcondes MACHADO, Universidade Federal de Minas Gerais

Docente na graduação em Licenciatura em Teatro da UFMG, pesquisadora das relações entre infância e
cena contemporânea, artista-professora e formadora de professores de teatro. É mestre em Artes (ECA/
USP), doutora em Psicologia da Educação (PUC/SP) com pós-doutorado em Pedagogia do Teatro
(ECA/USP) e autora de diversos artigos e quatro livros sobre infância, arte e cotidiano. Av. Antonio
Carlos, 6627 / Escola de Belas Artes, CEP: 31270-901. Belo Horizonte-MG. Tel. (31) 3409-6135.
Website: <www.agachamento.com>.

Referências

BENJAMIN, Walter. A criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus Editorial, 1984.

BOFF, Leonardo. A águia e a galinha. Petrópolis: Vozes, 1997.

DAVIS, Madeleine; WALLBRIDGE, David. Limite e espaço. Uma introdução à obra de D. W. Winnicott. Rio de Janeiro: Imago, 1982.

ELIOT, T. S. Poesia. Rio de Janeiro:Editora Nova Fronteira, 1981.

GIL, Gilberto. Doces Bárbaros. São Paulo: Universal, 1976.

GUIMARÃES LOPES, Raul. Clínica Psicopedagógica. Perspectiva da Antropologia Fenomenológica e Existencial. Porto: Hospital Conde Ferreira, 1993.

KOHAN, Walter Omar. Vida e Morte da Infância, entre o Humano e o Inumano. Educação & Realidade, Porto Alegre, UFRS, v. 35, p. 125-138, set./dez. 2010.

LISPECTOR, Clarice. A legião estrangeira. Contos e crônicas. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1964.

LYOTARD, Jean-François. O inumano. Considerações sobre o tempo. Lisboa: Editoria Estampa, 1989.

MACHADO, Marina Marcondes. A poética do brincar. São Paulo:Edições Loyola, 1998.

______. Merleau-Ponty & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2010a.

______. A Criança é Performer. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 2, p. 115-137, maio/ago. 2010b.

MACHADO, 2011. Agachamento. Disponível em: <http://www.agachamento. com>. Acesso em: 11 maio 2012.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Merleau-Ponty na Sorbonne. Resumo de Cursos / Filosofia e Linguagem. Campinas: Papirus, 1990a.

______. Merleau-Ponty na Sorbonne. Resumo de Cursos / Psicossociologia e Filosofia. Campinas: Papirus, 1990b.

______. A fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

______. O visível e o invisível. São Paulo: Perspectiva, 2003.

R. Educ. Públ. Cuiabá, v. 22, n. 49/1, p. 249-264, maio/ago. 2013.

WINNICOTT, D. W. The maturacional process and the facilitating

environment. Londres: Karnac Books, 1990.

______. Playing and reality. Londres/Nova Iorque: Tavistock/Routledge, 1994.

______. Tudo começa em casa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Downloads

Publicado

2013-07-03

Como Citar

MACHADO, M. M. Fenomenologia e Infância: o direito da criança a ser o que ela é. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 22, n. 49/1, p. 249-264, 2013. DOI: 10.29286/rep.v22i49/1.913. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/913. Acesso em: 24 set. 2021.