Profissionalidade do professor de educação básica nas Representações Sociais de estudantes de Pedagogia

Autores

DOI:

10.29286/rep.v29ijan/dez.9029

Palavras-chave:

Representações sociais. Profissionalidade docente. Educação básica.

Resumo

O objetivo deste estudo foi o de analisar os elementos de profissionalidade presentes nas representações sociais de estudantes concluintes do curso de pedagogia para a docência na educação básica.  A opção por um estudo qualitativo referendado na Teoria das Representações Sociais e articulado à Teoria do Núcleo Central, em um viés plurimetodológico, possibilitou a análise prototípica com os dados produzidos pelas evocações de 165 participantes, confirmada pela Análise de Similitude. A profissionalidade constituída priorizou duas das cinco disposições indicadas por Nóvoa (2009): “tato pedagógico” e “conhecimento”, requerendo uma (re)adequação ao espaço/tempo histórico e assegurar o exercício profissional docente.

Biografia do Autor

Sueli Pereira DONATO, Centro Universitário Internacional UNINTER

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR (2017). Mestre em Educação pela PUCPR (2013). Graduada em Pedagogia pela PUCPR. Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias – PPGENT, Stricto Sensu do Centro Universitário Internacional UNINTER, Curitiba/PR. Pesquisadora da Fundação Wilson Picler de Amparo a Educação, Ciência e Tecnologia – FAMPECT. Coeditora da Revista Intersaberes e Membro do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos (UNINTER).  Integra o Grupo de Pesquisa Políticas, Formação do Professor e Representações Sociais (POFORS) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).  Desenvolve pesquisas na área da Educação com ênfase nas políticas educacionais, formação de professores, profissionalidade, cidades educadoras e representação social.

Romilda Teodora ENS, Pontifícia Universidade Católica do Paraná-PUCPR

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. Pós Doutora pela Universidade do Porto/Portugal. Mestre em Educação e graduada em Pedagogia e Direito pela Universidade Federal do Paraná – UFPR. Pesquisadora Produtividade pela Fundação Araucária – Paraná. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação, Mestrado e Doutorado, na linha História e Políticas da Educação, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Pesquisadora Associada da Fundação Carlos Chagas, participando do Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais, Subjetividade – Educação (CIERS-ed). Membro do Núcleo de Pesquisa Internacional em Representações Sociais (NEARS) – PUC-SP. Integrante da Red de Estudios Teóricos y Epistemológicos en Política Educativa (ReLePe). Lidera o grupo de pesquisa Políticas, Formação de Professores, Trabalho Docente e Representações Sociais (POFORS) na PUCPR, que integra a Cádetra da UNESCO sobre Profissionalização Docente, coordenada pelo CIERS-ed/FCC.

Elsa Maria Mendes Pessoa PULLIN, Universidade Estadual de Londrina - UEL/PR

Graduada em Pedagogia pela Faculdade Estadual de Filosofia Ciências e Letras de Londrina, com mestrado e doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Professora aposentada na Universidade Estadual de Londrina (PR). Atuou em cursos de licenciatura e no mes­trado em Educação. Membro do Grupo de Pesquisa Políticas, Formação do professor e Representações Sociais (POFORS-PUCPR). Conta com vasta experiência acadêmica e admi­nistrativa junto a cursos de graduação e pós nas áreas de Psicologia e Educação. Temáticas de pesquisa: linguagem e educação; representa­ções sociais e educação; leitura: estratégias e práticas de leitura.

Referências

ABRIC, J-C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A.S.P.; OLIVEIRA, D.C. (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB, 2000. p. 27-38.

ABRIC, J-C. Las representaciones sociales: aspectos teóricos. In: ABRIC, J-C. (Org.). Prácticas sociales y representaciones. México: Ediciones Coyoacán; Ambassade de France-IFAL, 2001. p. 11-32.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações da identidade docente: uma contribuição para a formulação de políticas. Ensaio: avaliação políticas públicas Educação, Rio de Janeiro, v. 15, n. 57, p. 579-594, out./dez. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v15n57/a08v5715.pdf. Acesso em: 14 maio 2019.

ANDRÉ, M. E. A. de. Políticas e programas de apoio aos professores iniciantes no Brasil. Cadernos de Pesquisa [online], São Paulo, v. 42, n. 145, p. 112-129, jan./abr. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v42n145/en_08.pdf. Acesso em: 13 abr. 2019.

ARRUDA, A. Representações sociais: dinâmicas e redes. In: Souza, C. P. et.al. (Org.). Angela Arruda e as Representações Sociais: estudos selecionados. Curitiba: PUCPress; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2014. p.117-146.

BRASIL.Presidência da República. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun.2014 - Edição extra. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm. Acesso em: 14 nov. 2018.

FLAMENT, C. L' analyse de similitude: une technique pour les recherche essur les représentations sociales. Cahiers de Psychologie Cognitive, Marseille, v. 1, n. 4, p. 357-396. 1981.

GATTI, B. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília, DF: Líber Livro, 2005.

GATTI, B. Formação de professores, complexidade e trabalho docente. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v.17, n. 53, p. 721-737, 2017. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/viewFile/8429/17739. Acesso em: 10 jun. 2019.

GATTI, B. et al. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GIMENO SACRISTÁN, J. Consciência e acção sobre a prática como liberação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. Portugal: Porto Editora, 1995. p. 63-92.

IMBERNÓN, F. M. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2002.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Tradução Lilian Ulup. Rio de Janeiro: Ed. EDUERJ, 2001. p. 17-44.

JODELET, D. Representações sociais e mundos de viva. Curitiba: PUCPRress; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, 2017.

MARCELO GARCIA, C. Formação de professores: para uma mudança educativa. [Coleção Ciências da Educação: século XXI]. Portugal: Porto Editora, 1999.

MOSCOVICI, S. Das representações coletivas às representações sociais: elementos para uma história. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001. p. 17-44.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Tradução Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar Editores,1978.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa, Portugal: Educa, 2009.

NÓVOA, A. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de pesquisa [online], São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1106.pdf. Acesso em: 22 ago. 2019.

OLIVEIRA, D. C. et al. Análise das evocações livres: uma técnica de análise estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P. et al. (Org.). Perspectivas teórico-metodológicas em representações sociais. João Pessoa: UFPB Editora Universitária, 2005. p. 573-603.

RATINAUD, P. IRAMUTEQ: Interface de R pour les analyses multidimensionnelles de textes et de questionnaires [software], 2009. Disponível em: http://www.iramuteq.org. Acesso em: 04 maio 2019.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. 2. ed. rev. Petrópolis, RJ: Vozes. 2002.

VAILLANT, D., MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba, PR: Ed. UTFPR, 2012.

VERGES, P. L’evocation de I’argent: une méthode pour la définition du noyau central d’une représentation. Bulletin de Psycologie, Paris, v. 45, n. 405, p. 203-209, 1992.

WACHELKE, J.F.R.; WOLTER, R. Critérios de construção e relato da análise prototípica para representações sociais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, DF, v. 27, n. 4, 2011, p. 521-526, out./dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v27n4/17.pdf. Acesso em: 15 maio 2019.

Downloads

Publicado

2020-11-17 — Atualizado em 2020-11-17

Versões

Como Citar

DONATO, S. P., ENS, R. T., & PULLIN, E. M. M. P. (2020). Profissionalidade do professor de educação básica nas Representações Sociais de estudantes de Pedagogia. Revista De Educação Pública, 29(jan/dez), 1-17. https://doi.org/10.29286/rep.v29ijan/dez.9029