Educação Especial e Inclusão Escolar: sondando uma micropolítica que propicie práticas inclusivas

Autores

  • Rodrigo Avila COLLA Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

DOI:

10.29286/rep.v29ijan/dez.7162

Palavras-chave:

Educação Especial, Inclusão Escolar, Educação para a Diferença

Resumo

O artigo discute a Educação Especial e a inclusão escolar no contexto brasileiro. Vale-se de revisão bibliográfica que apresenta os principais avanços da legislação nas duas últimas décadas e dialoga com pesquisas recentes sobre a Educação Especial. Aborda práticas que podem favorecer os processos de ensino e aprendizagem em contextos de inclusão escolar, particularmente de educandos com necessidades especiais. Defende-se uma postura acolhedora da diferença por parte dos(as) docentes. O conceito de experiência é utilizado para fundamentar as diferenças como potências formativas. Por fim, são tecidas considerações quanto à necessidade de uma micropolítica do desejo que contribua para práticas inclusivas.

Biografia do Autor

Rodrigo Avila COLLA, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Bacharel em Comunicação Social, habilitação em Relações Públicas, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Licenciado em Pedagogia pela UFRGS. Especialista em Pedagogia da Arte pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Faculdade de Educação (FACED) da UFRGS. Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).  Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Referências

BRASIL. Decreto Federal n. 7611 de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a Educação Especial, o Atendimento Educacional Especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, 18 de novembro de 2011.

BRASIL. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999.

Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm>. Acesso em 31 de maio de 2018.

BRASIL. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm>. Acesso em 31 de maio de 2018.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm>. Acesso em 31 de maio de 2018.

BRASIL. Portaria nº 2.678, de 24 de setembro de 2002. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/grafiaport.pdf>. Acesso em 31 de maio de 2018.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DA EDUCAÇÃO. CÂMARA DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Resolução n. 04, de 02 de outubro de 2009. Diretrizes operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Diário Oficial da União, 5 de outubro de 2009.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de setembro de 2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Diário Oficial da União, 11 de setembro de 2001.

BIANCHETTI, Lucídio. Aspectos históricos da educação especial. Revista Brasileira de Educação Especial, Piracicaba, v. 2, n. 3, p. 7-19, 1995.

CARNEIRO, Maria Sylvia C. A deficiência Intelectual como produção social: Reflexões a partir da abordagem histórico-cultural. Anais. 37ª Reunião Anual da Anped. Florianópolis/SC, p. 1-16, 2015. Disponível em: <http://37reuniao.anped.org.br/wp-content/uploads/2015/02/Trabalho-GT15-4079.pdf>. Acesso em 29 de novembro de 2016.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Que é a Filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 2005.

DEWEY, John. Democracia e Educação: introdução à filosofia da educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.

FLEITH, Denise de Souza. Criatividade: novos conceitos e ideias, aplicabilidade à educação. Revista de Educação Especial (UFSM), Santa Maria, n. 17, p. 55-61, 2001.

GALVÃO FILHO, T. A.; MIRANDA, T. G. Tecnologia Assistiva e salas de recursos: análise crítica de um modelo. In: GALVÃO FILHO, T. A. (Org.); MIRANDA, T. G. (Org.). O professor e a Educação Inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia - EDUFBA, 2012, p. 247-266.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

_______________. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

_______________. Revolução Molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão Escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér; PRIETO, Rosângela Gavioli. Inclusão Escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006.

NOZI, Gislaine Semcovici; VITALIANO, Celia Regina. Saberes de professores propícios à inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais: condições para sua construção. Revista Educação Especial (UFSM), Santa Maria v. 30, n. 59, p. 589-602, set./dez, 2017.

PLAISANCE, Eric. Da educação especial à educação inclusiva: esclarecendo as palavras para definir as práticas. Educação (Porto Alegre), v. 38, n. 2, p. 230-238, Maio/Ago, 2015. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/20049>. Acesso em 29 de novembro de 2016.

ROPOLI, Edilene Aparecida. et.al. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: a escola comum inclusiva. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial; Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2010.

SOARES, Carlos Henrique Ramos. Inclusão, surdez e Ensino Médio: perspectivas e possibilidades para o atendimento educacional especializado. Anais do VIII Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sul – Anped Sul. Londrina/PR, 2010.

VIEIRA, Alexandro Braga. O currículo, as práticas pedagógicas e os processos de inclusão escolar: conexões possíveis. In: II Seminário Nacional de Educação Especial e XIII Seminário Capixaba de Educação Inclusiva, 2012, Vitória - ES. II Seminário Nacional de Educação Especial e XIII Seminário Capixaba de Educação Inclusiva. Vitória – ES. Anais. GM Gráfica e Editora, 2012. v. 01. p. 383-396.

Downloads

Publicado

2020-03-02