Saberes e culturas populares nas contradições da culturalização da sociedade

Autores

  • Jadir de Morais PESSOA jadirpessoa@hotmail.com
    Universidade Federal de Goiás

DOI:

10.29286/rep.v26i62/2.5495

Palavras-chave:

Culturas Populares. Diversidade Cultural. Culturalização da Sociedade.

Resumo

Na segunda metade do século XX ocorreram profundas transformações nas práticas populares de cultura. Folguedos e músicas que se desenvolviam nos terreiros das casas, foram arrancados das ruas e para ser concebidos segundo a conveniência do controle e da arrecadação em megaeventos. O artigo mostra que não se trata exatamente de uma coincidência temporal, ou reconhecimento social das culturas populares, mas de uma nova estratégia na acumulação do capital, na forma de uma culturalização da economia e da sociedade, que reduz cultura à dinâmica de eventos com grande aporte de recursos públicos sob o pretexto do cultivo da diversidade cultural.

Palavras-chave: Culturas Populares. Diversidade Cultural. Culturalização da Sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jadir de Morais PESSOA, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Ciências Sociais pela UNICAMP, Professor Titular na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás. Atua na Pós-Graduação em Educação nas temáticas: movimentos sociais, cultura camponesa, cultura popular; literatura e formação humana. É folião de reis goiano, membro da Comissão Goiana de Folclore e sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás. Endereço: Faculdade de Educação: Rua Delenda Rezende de Melo, s/n, Setor Universitário, Goiânia-GO. CEP: 74.605-050. Tel.: (62) 3209-6205. E-mail: <.

Referências

ABREU SILVA, Gustavo H.; COSTA SILVA, Josué da. A música dos boisbumbás: um forte elemento na caracterização do lugar parintinense. In: KOZEL, Salete et al. (Org.). Expedição amazônica: desvendando espaço e representações dos festejos em comunidades amazônicas. “A festa do boi-bumbá: um ato de fé”. Curitiba: SK Editora, 2009. p. 97-115.

AMARAL, Rita de Cássia de M. P. Festa à brasileira: significados do festejar no país que “não é sério”. Tese (Doutorado em Antropologia)- Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo/USP, São Paulo, 1998.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasilense, 1994.

BOSI, Alfredo. Colônia, culto e cultura. In: ______. Dialética da colonização. 4. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. p. 11-63.

CALDAS, Waldenyr. Acorde na aurora: música sertaneja e indústria cultural. São Paulo: Ed. Nacional, 1977.

______. O que é música sertaneja. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Coleção Primeiros Passos).

CHAUÍ, Marilena. Conformismo e resistência. Belo Horizonte: Autêntica; São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2014. (Coleção Escritos de Marilena Chauí. v. 4. Org. Homero Santiago).

DEBORD, Guy. La société du spectacle. 3. ed. Paris: Les Éditions Galimard, 1992.

FARIAS, Edson. Ócio e negócio: festas populares e entretenimento-turismo. Curitiba: Appris, 2011.

FRAZER, James G. O ramo de ouro. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1982.

FREITAS GIL, Ana H. C.; GIL FILHO, Sylvio F. A representação do cotidiano na festa de Parintins – uma abordagem sociointeracionista. In: KOZEL, Salete et al. (Org.). Expedição amazônica: desvendando espaço e representações dos festejos em comunidades amazônicas. “A festa do boi-bumbá: um ato de fé”. Curitiba: SK Editora, 2009. p. 146-165.

LIMA, Elizabeth Christina de A. A fabricação dos sonhos: a invenção da festa junina no espaço urbano. 2. ed. Campina Grande: EDUFCG, 2008.

MARTINS, José de Souza. Capitalismo e tradicionalismo: estudos sobre as contradições da sociedade agrária no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1975.

MATTELART, Armand. Diversidade cultural e mundialização. Tradução de Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2005.

MENEZES NETO, Hugo. O balancê no arraial da capital: quadrilha e tradição no São João do Recife. Recife: Ed. do autor, 2009.

MICELI, Sérgio. A força do sentido. In: BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 1999. p. VII-LXI.

MIRA, Maria Celeste. Diversidade cultural em São Paulo: o “orgulho caipira”. In: FARIAS, Edson; MIRA, Maria Celeste (Org.). Faces Contemporâneas da cultura popular. Jundiaí: Paco Editorial, 2014. p. 75-95.

PESSOA, Jadir de M. Saberes em festa: gestos de ensinar e aprender na cultura popular. 2. ed. Goiânia: Editora UCG/Kelps, 2009.

SILVA, José M. O espetáculo do Boi-Bumbá: folclore, turismo e as múltiplas alteridades em Parintins. Goiânia: Editora da UCG, 2007.

TRIGUEIRO, Osvaldo Meira. A espetacularização das culturas populares ou produtos culturais folkmidiáticos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FOLCLORE, Metodologia da pesquisa em folclore, preservação dos bens da cultura imaterial, 11., 2004, Goiânia. Anais... Goiânia: Editora Kelps, 2004. p. 87-96.

______. Apropriações do folclore pelos meios de comunicação de massa e pelo turismo: o caso concreto do São João de Campina Grande – Paraíba, 1999. Disponível em: <http://www.bocc.uff.br/_esp/autor.php?codautor=59>. Acesso em: 28 mar. 2016.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. 2. ed. Tradução de Marie-Anne Kremer. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

Downloads

Publicado

2017-08-21

Como Citar

PESSOA, J. de M. Saberes e culturas populares nas contradições da culturalização da sociedade. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 26, n. 62/2, p. 493–508, 2017. DOI: 10.29286/rep.v26i62/2.5495. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/5495. Acesso em: 15 jun. 2024.