O olhar do aluno sobre o contexto do estudo da química e a possibilidade de transformação

Autores

  • Dayana Fernandes LEÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
  • Thyego Mychell Moreira SANTOS
  • Rita Rodrigues de SOUZA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

DOI:

10.29286/rep.v29ijan/dez.4198

Palavras-chave:

Disciplina de química, Aluno, Ensino e aprendizagem, Educação

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo compreender a inconsistência entre o ensino e a aprendizagem na disciplina de química, levando em consideração a experiência de aprendizagem e as dificuldades expressas pelos alunos do terceiro ano do Ensino Médio. Este estudo foi orientado pela abordagem qualitativa, seguindo os pressupostos da Teoria da Complexidade e da Teoria Fundamentada nos Dados. Para coleta de dados, utilizou-se um questionário estruturado que possibilitou evidenciar, na visão do aluno, a química como uma disciplina complexa, porém, indispensável para compreender a vida, sendo essencial que os conteúdos sejam substanciados em seu cotidiano como meio de facilitar o seu entendimento.

Biografia do Autor

Dayana Fernandes LEÃO, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Pós-Graduada no Ensino de Ciências e Matemática pelo Instituto Federal de Goiás – Câmpus Jataí/GO.

Thyego Mychell Moreira SANTOS

Doutor em Enfermagem. Professor do Centro Universitário do Vale do Araguaia - Barra do Garças/MT.

Rita Rodrigues de SOUZA, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual Paulista - São José do Rio Preto. Professora do  Instituto Federal de Goiás - Câmpus Jataí/GO.

Referências

BATISTON, W. P.; SILVA, C. F. N. da; KIOURANIS, N. M. M. Compreensão da Linguagem Química Simbólica por Alunos de Ensino Médio. In: XVI ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (XVI ENEQ); X ENCONTRO DE EDUCAÇÃO QUÍMICA DA BAHIA (X EDUQUI). Anais [...]. Salvador, BA, Brasil, 17 a 20 de julho de 2012. Disponível em: http://www.eneq2012.qui.ufba.br/modulos/submissao/Upload/43599.pdf. Acesso em: 14 abr. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ciências Matemáticas e da Natureza e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, v. 3, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). PCN + Ensino médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Educação Básica (SEC). Orientações Curriculares para o Ensino Médio - Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/ SEC, v.2, p.135, 2006.

CARDOSO, S. P; COLINVAUX, D. Explorando a Motivação para Estudar Química. Química Nova, Ijuí, Unijuí, v. 23, n. 3, p. 401-404, 2000.

CHASSOT, A. A Educação no Ensino de Química. Ijuí: Unijuí, 1990.

CLEMENTINA, C. M. A Importância do Ensino da Química no Cotidiano dos Alunos do Colégio Estadual São Carlos do Ivaí de São Carlos o Ivaí-PR. 2011. Monografia apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Licenciado em Química no Programa Especial de Formações de Docentes da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza – FGF, p. 1-49, 2011. Disponível em: http://www.nead.fgf.edu.br/novo/material/monografias_quimica/carla_marli_clementina.pdf. Acesso em: 2 jun. 2016.

CUNHA, M. B. Jogos no ensino de química: considerações teóricas para a sua utilização na sala de aula. Química Nova na Escola, v. 34, n. 2, p. 92-98, 2012.

FREITAS, L. P. da S. R. de et al. A Compreensão no Uso de Simbologias no Estudo de Conceitos Químicos Por Estudantes da Educação Básica em Química. In: XIII JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX 2013. Anais [...]. Recife, 09 a 13 de dezembro de 2013. Disponível em: http://www.eventosufrpe.com.br/2013/cd/resumos/R1211-1.pdf. Acesso em: 5 abr. 2016.

GLASER B. G.; STRAUSS A. L. The discovery of grounded theory. New York (USA): Aldine, 1967.

HABERMAS, J. Consciência moral e o agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989. Disponível em: https://marcosfabionuva.files.wordpress.com/2011/08/consciencia-moral-e-agir-comunicativo.pdf. Acesso em: 14 abr. 2016.

HOLMAN, J.; HUNT, A. What does it mean to be chemically literate? Chemistry education, v. 39, n. 1, p. 12-14, 2002.

KALINKE, C.; POLLA, P. T. B. Elaboração de jogos lúdicos de química com aplicação no ensino médio. Pato Branco. Trabalho de Conclusão de Curso – Licenciatura em Química. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 2011. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/300. Acesso em: 14 abr. 2016.

MALDANER, O. A.; PIEDADE, M. C. T. Repensando a química. Química Nova na Escola, p. 15–19, 1995.

MASATS, D.; DOOLY, M. Rethinking the use of video in teacher education: A holistic approach. Teaching and Teacher Education, n. 27, v. 7, p. 1151–1162, 2011.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. Revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho. 2. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000. Disponível em: http://bioetica.catedraunesco.unb.br/wp-content/uploads/2016/04/Edgar-Morin.-Sete-Saberes.pdf. Acesso em: 18 abr. 2016.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2006.

MORTIMER, E. F.; MIRANDA, L. C. Transformações: concepções dos estudantes sobre reações químicas. Química Nova na Escola, p. 2-23, 1995. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc02/aluno.pdf. Acessado em: 16 jun. 2016.

PATERSON, B. L.; THORNE, S. E.; CANAN C; JILLINGS C. Meta-study of qualitative health research: a practical guide to meta-analysis and meta-synthesis. London: Sage, 2001. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=en&lr=&id=CAW-g4DrVgwC&oi=fnd&pg=PR9&dq=qualitative+meta-analysis&ots=DEMeYpcjqE&sig=YbYS5Lcz65gDfJYS0WT2xX4eMoo&redir_esc=y#v=onepage&q=qualitative%20meta-analysis&f=false. Acesso em: 16 jun. 2016.

PIAGET, J. O julgamento moral na criança. São Paulo: Mestre Jou, 1977.

ROQUE, N. F.; SILVA, J. L. P. B. A Linguagem Química e o Ensino da Química Orgânica. Quim. Nova, v. 31, n. 4, p. 921-923, 2008.

SÁ, L. P.; GARRITZ, A. Análise de uma sequência didática sobre ligações químicas produzida por estudantes de química brasileiros em Formação Inicial. Educação de Química, v. 25, n. 4, p. 470–477, 2014.

SANTANA, E. M. de. A Influência de Atividades Lúdicas na Aprendizagem de Conceitos Químicos. Universidade de São Paulo, Instituto de Física - Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências-2006. São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.senept.cefetmg.br/galerias/Arquivos_senept/anais/terca_tema1/TerxaTema1Artigo4.pdf. Acesso em: 17 ago. 2016.

SCHROEDER, C. A importância da física nas quatro primeiras séries do ensino fundamental. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 29, n. 1, p. 89-94, 2007.

SILVA, J. M. da et al. O Falado e o Entendido: Um Estudo da Linguagem Química da Sala de Aula e da Percepção dos Professores de Sua Importância Para a Aprendizagem dos Alunos. In: IV ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 2003. Anais [...]. Disponível em: http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/ivenpec/Arquivos/Orais/ORAL114.pdf. Acesso em: 4 ago. 2016.

SILVA O. G.; NAVARRO EC. A Relação Professor-Aluno no Processo Ensino-Aprendizagem. Interdisciplinar: Revista Eletrônica da Univar, n. 8, v. 3, p. 95-100, 2012.

SILVEIRA, H. E.; CICILLINI, G.A. Modelos Atômicos e representações no ensino de química. Enseñanza de las ciências, número extra, p. 5, 2005. Disponível em: https://ddd.uab.cat/pub/edlc/edlc_a2005nEXTRA/edlc_a2005nEXTRAp156modado.pdf. Acesso em: 8 maio 2016.

SPARTA, M.; GOMES, W. B. Importância atribuída ao ingresso na educação superior por alunos do ensino médio. Revista brasileira de orientação profissional, v. 6, n. 2, p. 45-53, 2005. Disponível em: http://www.ufrgs.br/museupsi/lafec/16.pdf. Acesso em: 8 maio 2016.

ZHANG, M.; LUNDEBERG, M.; KOEHLER, M. J.; EBERHARDT, J. Understanding affordances and challenges of three types of video for teacher professional development. Teaching and Teacher Education, n. 27, v. 2, p. 454–462, 2011.

Downloads

Publicado

2020-03-02

Como Citar

LEÃO, D. F., SANTOS, T. M. M., & SOUZA, R. R. de. (2020). O olhar do aluno sobre o contexto do estudo da química e a possibilidade de transformação. Revista De Educação Pública, 29(jan/dez). https://doi.org/10.29286/rep.v29ijan/dez.4198