Criatividade na pós-graduação stricto sensu: uma presença possível e necessária

Autores

  • Zélia Maria Freire de OLIVEIRA zeliafreire@gmail.com
    Universidade de Brasília http://www.ufmt.br
  • Eunice Maria Lima Soriano de ALENCAR eunices.alencar@gmail.com

DOI:

10.29286/rep.v23i52.1424

Palavras-chave:

Criatividade. Pós- Graduação. Professores. Estudantes.

Resumo

Foram investigadas concepções de criatividade e procedimentos pedagógicos criativos, por meio de entrevistas com 20 estudantes e 20 professores de pós-graduação stricto sensu e os dados foram submetidos à análise de conteúdo. Os entrevistados ressaltaram a importância da criatividade e apresentaram concepções relacionadas à inovação, quebra de padrões, vencer limites, solução de problemas e características de indivíduos criativos. Foram indicados vários procedimentos pedagógicos promotores da criatividade, embora também fossem apontadas diversas barreiras à criatividade no contexto universitário. Espera-se ter contribuído para o avanço do conhecimento sobre criatividade e ampliado o nível de conscientização da necessidade de sua presença na universidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zélia Maria Freire de OLIVEIRA, Universidade de Brasília

Doutora em Educação pela Universidade Católica de Brasília. Foi tutora de ensino a distância na Universidade de Brasília e atualmente, dedica-se à pesquisa e à escrita de artigos. SHIS QI 13, Conjunto13, casa 03, Lago Sul, Brasília-DF. CEP: 71635-130. E-mail:

Eunice Maria Lima Soriano de ALENCAR

Ph.D. em Psicologia Educacional pela Purdue University. Foi professora da Universidade Católica de Brasília (1997-2012). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento Humano e Psicologia Escolar e Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: criatividade, professor, ensino, altas habilidades e superdotado. Participa do conselho editorial de periódicos científicos de distintos países. SHIS QL 10, Conjunto 6, casa 14, Lago Sul, Brasília-DF. CEP: 71630-065. Fone: (61)-3248-5539.

Referências

ALENCAR, E. M. L. S. de. O perfil do professor facilitador e do professor inibidor da criatividade segundo estudantes de pós-graduação. Boletim da Academia Paulista de Psicologia, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 84-94, jan. 2000.

______. O estímulo à criatividade em programas de pós-graduação segundo seus estudantes. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 63-70, 2002.

______. Como desenvolver o potencial criador - orientação a professores. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO CENTRO DE FORMAÇÃO E PESQUISA, 6., 2007, Olinda. Anais... Olinda: Centro de Formação e Pesquisa, 1 a 3 jun., 2007. p. 17-22.

ALENCAR, E. M. L. S. de. Criatividade pessoal: fatores facilitadores e inibidores segundo estudantes de Engenharia. Magis. Revista Internacional de Investigación en Educación, Bogotá, Colombia, v. 1, n. 1, p. 113-126, 2008.

______. Criatividade: múltiplas perspectivas. 3. ed. Brasília, DF: Universidade de Brasília, 2009.

______. Criatividade na educação superior - fatores inibidores. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 15, n. 2, p. 201-206, jul. 2010.

ALENCAR, E. M. L. S. de; FLEITH, D. de S. Creativity in university courses: perceptions of professors and students. Gifted and Talent International, Califórnia, EUA, v. 19, n. 1, p. 24-28, 2004.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2004.

BIANCHETTI, Lucídio; JANTSCH, Ari Paulo. Interdisciplinaridade e práxis pedagógica emancipadora. SEMINÁRIO INTERNACIONAL – EDUCAÇÃO INTERCULTURAL, GÊNERO E MOVIMENTOS SOCIAIS, IDENTIDADE, DIFERENÇA, MEDIAÇÕES. 2., Núcleo Mover-UFSC. Oficina 09, Sessão

Temática 1. Anais... Florianópolis: 8 a 11 abr. 2003.p. 01-12 (CD ROM). Disponível

em: <http://www.rizoma.ufsc.br/pdfs/658-of9-st1.pdf>. Acesso em: 9 mar. 2010.

CAPES. Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. Banco de Teses.<http://www1.capes.gov.br/estudos/dados/2003/41001010/038/2003_038_41001010015P7_Prod_Bib.pdf>. Acesso em: 17 jan. 2009.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e culturas. A sociedade em rede. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003. v. 1.

______. A era da informação: economia, sociedade e culturas. Fim de milênio. 3 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999. v. 3.

CRAFT, A. Creativity in schools. In: JACKSON, N. et al. (Org.). Developing creativity in higher education: an imaginative curriculum. New York, USA: Routledge, 2007. p. 19-28.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Handbookof qualitative research. London, UK: Sage, 2000.

DE LA TORRE, S. Criatividade aplicada: recursos para uma formação criativa. São Paulo: Madras, 2008.

FLEITH, D. de S.; ALENCAR, E. M. L. S. de. Escala sobre o clima para criatividade em sala de aula. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, DF, v. 21, n. 1, jan./abr., p. 85-91, 2005.

GIBSON, R. The ‘art’of creative teaching: implications for higher education. Teaching in Higher Education, York, v. 15,n. 5, p.607-613, 2010.

GIDDENS, A. Sociologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2008.

GOERGEN, P. Pós-modernidade, ética e educação. Campinas: Autores Associados, 2005.

HENDERSON, S. J. Inventors: the ordinary genius next door.

In: STERNBERG, R. J.; GRIGORENKO, E. L.; SINGER, J.L.

(Ed.).Creativity: from potential to realization, Washington, USA: American Psychological Association,2006. p. 103-125.

HOSSEINI, A. S. University student`s evaluation of creative education inuniversities and their impact on their learning. Procedia - Social and Behavioral Sciences, Philadelphia, v. 15, p. 1806-1812, 2011.

HOWKINS, J. The creative economy: how people make money from ideas. London, UK: Penguin Books, 2007.

JACKSON, N. Imagining a different world. In: JACKSON, N. et al. (Org.). Developing creativity in higher education: an imaginative curriculum. New York, USA: Routledge, 2007a. p. 1-9.

______. Making sense of creativity in higher education. In: JACKSON, N. et al. (Org.). Developing creativity in higher education: an imaginative curriculum. New York, USA: Routledge, 2007b. p. 197-215.

JASKYTE, K.; TAYLOR, H.; SMARIG, R. Student and faculty perceptions of innovative teaching. Creative Research Journal, Philadelphia, v. 21, n. 1, p. 111-116, 2009.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências profissionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998.

MORESI, E. (Org.). Metodologia de pesquisa. Brasília, DF: UCB, 2003.

MORIN, E. Da necessidade de um pensamento complexo. In: MARTINS, F. M.; SILVA, J. M. da S. (Org.). Para navegar no século XXI. Porto Alegre: Sulina, 2000. p. 19-42.

______. Educação e Complexidade: os setes saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2002.

______. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2007.

NAKANO, T. de C.; WECHSLER, S. M. Criatividade: características da produção científica brasileira. Avaliação Psicológica, Campinas, v. 6, n. 2, p. 261-270, 2007.

NICOLESCU, B. The transdisciplinary evolution of learning. Jupiter, FL, USA: Learning Development Institute, 2005. Disponível em: . Acesso em: 7 mar. 2012.

OHLY S.; FRITZ C. Work characteristics, challenge appraisal, creativity, and

proactive behavior: a multi-level study. Journal of Organizational Behavior, Frankfurt, v. 31, n. 4, p. 543-565, 2010.

OLIVEIRA, E. L. L. Criatividade e escola: uma articulação necessária. Limites

e possibilidades segundo gestores e orientadores educacionais. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade Católica de Brasília. Brasília, DF, 2007.

OLIVEIRA, Z. M. F.; ALENCAR, E. M. L. S. Criatividade na formação e atuação do professor do curso de Letras. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas,

v. 11, n. 2, p. 22-23, 2007.

ORRÚ, S. E. O compromisso institucional da universidade com a formação de professores. Revista Iberoamericana de Educación, OEI, Madri, Espanha, n. 35/52005. Disponível em: .

Acesso em: 30 jun. 2005.

PETOCZ, P.; REID, A.; TAYLOR, P. Thinking outside the square: business students conceptions of creativity. Creativity Research Journal, Philadelphia, USA, v. 21, n. 4, p. 409-416, 2009.

SANTOS, B. de S. A universidade no século XXI. São Paulo: Cortez, 2005.

SCHMITT, V. et al. Interdisciplinaridade e Pós-Graduação. Revista de Biologia e Ciências da Terra, Campina Grande, v. 6, n. 2, p. 295-304, 2006.

SILVA, E. F. da. Nove aulas inovadoras na universidade. Campinas: Papirus, 2011.

STERNBERG, R. J.; GRIGORENKO, E. L. Inteligência plena: ensinando e incentivando a aprendizagem e a realização dos alunos. São Paulo: Artmed, 2000.

STERNBERG, R. J.; LUBART, T. L. Investing in creativity. American Psychologist, Washington, v. 51, p. 677-688, 1996.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2003.

TEIXEIRA, G. Reflexões sobre as deficiências do ensino de pós-graduação. Ser professor universitário, 28.03.2005. Disponível em: . Acesso em:

mar. 2010.

TOFFLER, A.; TOFFLER, H. A riqueza revolucionária. São Paulo: Futura, 2007.

WECHSLER, S. M. A educação criativa: possibilidade para descobertas. In:

CASTANHO, S.; CASTANHO, M. E. (Org.). Temas e textos em metodologia do ensino superior. Campinas: Papirus, 2001. p. 165-170.

______. Criatividade: descobrindo e encorajando. Contribuições teóricas e práticas para as mais diversas áreas. Campinas: Livro Pleno, 2002.

WEISBERG, R. Creativity beyond the myth of genius. New York, USA: E. H. Freeman and Company, 1993.

ZANELLA, A. V.; TITON, A. P. Análise da produção científica sobre criatividade em programas brasileiros de pós-graduação em Psicologia (1994 - 2001). Psicologia em Estudo, Maringá, v. 10, n. 2, p. 305-316, maio/ago. 2005.

Downloads

Publicado

2014-01-30

Como Citar

OLIVEIRA, Z. M. F. de; ALENCAR, E. M. L. S. de. Criatividade na pós-graduação stricto sensu: uma presença possível e necessária. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 23, n. 52, p. 53–75, 2014. DOI: 10.29286/rep.v23i52.1424. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/1424. Acesso em: 21 maio. 2024.