DIDÁTICA DOS SIGNOS: SOBRE A PREDISPOSIÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

Autores

DOI:

10.29286/rep.v33ijan/dez.13764

Palavras-chave:

Didática dos signos, Ensino de matemática, Predisposição docente

Resumo

Imbuído por um esforço tradutor, o artigo vislumbra o ensino de matemática como um movimento de uma Didática dos Signos. Entre distrações, atenções e explicações percebemos brechas nas aulas.  O propósito é ver algo novo no que já está ali, mantê-lo em sua consistência e fazê-lo ressurgir na própria complexidade. Em seu ofício, os professores cansados, esgotados e contemporâneos ressurgem em exemplos conceituais, ajudando-nos a compreender uma predisposição docente aos encontros com os signos do aprender. Com Deleuze, oferecemos sugestões para realizar associações entre movimentos docentes: um modo de olhar uma verdade com as próprias lentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Dummer CAMARGO, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Licenciado em Matemática e Mestre em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor de Matemática da Escola Estadual de Ensino Médio Professora Margot Terezinha Noal Giacomazzi, em Canoas, Rio Grande do Sul. Pesquisador em Educação sob a perspectiva da Filosofia da Diferença. Autor e estudioso de obras de ficção que exploram a escrita criativa.

Lisete Regina BAMPI, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Professora Titular do Departamento de Ensino e Currículo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Licenciada em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestre e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Coordenou o PIBID-Matemática de 2013-2017. Tem experiência na área de Educação, desenvolvendo temas que se relacionam com o aprender, a experiência, o pensamento e a expressão.

Referências

AGAMBEN, G. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Argos: 2009.

AGAMBEN, G. Ideia da prosa. Autêntica: 2013.

AGAMBEN, G. A potência do pensamento: ensaios e conferências. Autêntica: 2015.

AQUINO, J. G.; RAMOS do Ó, J. Em direção a uma ética do existir: Foucault e a experiência da escrita. Educação e Filosofia, v.28, n. 55, p.199-231, 2014.

BAMPI, L. R.; CAMARGO, G. D. Didática dos Signos: ressonâncias da Educação Matemática contemporânea. Bolema, v.30, n.56, p. 954-971, 2016.

BAMPI, L. R.; TOURRUCÔO, F. G.; CAMARGO, G. D. Entre confinamentos e signos amorosos: exercitações de encenações e recriações docentes. HYBRIS, v. 12, p. 1-23, 2021.

BARTHES, R. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Nova Fronteira: 2012.

BELLO, S. E. L.; ZORDAN, P.; MARQUES, D. Signos e interpretação: entre aprendizagens e criações. Cadernos de educação, 52, p.1-19, 2015.

BENJAMIN, W. A tarefa do tradutor. In L. C. Branco (Org.), A tarefa do tradutor de Walter Benjamin: quatro traduções para o português, p. 25-49. UFMG: FAME, 2008.

BORBA, M. de C.; ALMEIDA, H. R. F. L. de, & GRACIAS, T. A. de S. Pesquisa em ensino e sala de aula: diferentes vozes em uma investigação. Autêntica: 2020.

CAMARGO, G. D. O ato da explicação e o aprender: experiências com o ensino de matemática. Licenciatura em Matemática (Trabalho de conclusão de curso) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011.

CAMARGO, G. D. Arquivo de um aprender: a didática dos signos e as aulas de matemática. Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática (Dissertação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2022.

CAMARGO, G. D.; BAMPI, L. A maratona dos poliedros: o professor cansado e a diferença do igual. In: MOELLWALD, Francisco E.; BAMPI, Lisete. Iniciação à docência em matemática: experiências e outros escritos. Oikos, 2011, p.19-34.

CAMARGO, G. D.; BAMPI, L. O que acontece no meio? Educação, v.36, n.3, p.385-392, 2013.

CARVALHO, M. C.; KOHAN, W. O. Da árvore e do rizoma: pensar para além do método o encontro da filosofia com a infância. Educação e Filosofia, v.32, n.65, p.527-564, 2018.

COMÉNIO, J. A. Didáctica magna. Tradução e notas de Joaquim Ferreira Gomes. Fundação Calouste Gulbenkian, 1957.

CORAZZA, S. M. Didaticário de criação: aula cheia. Doisa: UFRGS, 2012.

CORAZZA, S. M. O que se transcria em educação? Doisa: UFRGS: 2013.

CORAZZA, S. M. Currículo e didática da tradução: vontade, criação e crítica. In S. M. Corazza (Org), Docência-pesquisa da diferença: poética de arquivo-mar, p. 111-133. Doisa; UFRGS, 2017.

CORAZZA, S. M. Metodosofia: contrato de tradução. In S. M. Corazza (Org.), Métodos de transcriação: pesquisa em educação da diferença, p. 13-33. Oikos: 2020.

CUNHA, C. M. Em que se pode reconhecer uma pesquisa rizoma? Notas sobre o que pode vir a ser. In S. M. Corazza (Org.), Métodos de transcriação: pesquisa em educação da diferença, p. 59-85. Oikos: 2020.

DELEUZE, G. Foucault. Brasiliense, 2005.

DELEUZE, G. Diferença e Repetição. Graal: 2006.

DELEUZE, G. Proust e os signos. Forense Universitária, 2003.

DELEUZE, G. Sobre o teatro: um manifesto de menos; O esgotado. Jorge Zahar: 2010.

DELEUZE, G. Lógica do sentido. Perspectiva, 2011.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O que é a Filosofia? Ed. 34: 1992.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Forense Universitária: 2007.

GALLO, S. O Aprender em Múltiplas Dimensões. Perspectivas da Educação Matemática –INMA/UFMS, v.10, n. 22, p.103-114, 2017.

GUEDJ, D. El império de los números. Blume: 2011.

JACOTOT, J. Enseñaza universal. Lengua materna. Cactus: 2008.

JAKOBSON, R. Aspectos linguísticos da tradução. In R. Jakobson, Linguística e Comunicação. Cultrix: 2007.

KOHAN, W. O mestre inventor. Relatos de um viajante educador. Autêntica: 2013.

LARROSA, J. Tremores: Escritos sobre experiência. Autêntica: 2014.

LARROSA, J. Esperando não se sabe o quê: Sobre o ofício de professor. Autêntica: 2018.

NIETZSCHE, F. A Gaia Ciência. Escala, 2013.

OLEGÁRIO, F. Jogo com arquivos: procedimentos didáticos tradutórios. [Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul], 2018. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/182461.

PAZ, O. Tradução: literatura e literalidade. FALE: UFMG, 2009.

RANCIÈRE, J. O mestre ignorante. Autêntica: 2007.

SPINOZA, B. Ética. Tradução Tomaz Tadeu. Autêntica: 2007.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Vozes: 2014.

THOREAU, H. D. Walden. L&PM: 2011.

Downloads

Publicado

2024-03-23

Como Citar

CAMARGO, G. D.; BAMPI, L. R. DIDÁTICA DOS SIGNOS: SOBRE A PREDISPOSIÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 33, n. jan/dez, p. 52–77, 2024. DOI: 10.29286/rep.v33ijan/dez.13764. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/13764. Acesso em: 21 jun. 2024.