Fenomenologia merleau-pontyana: mulheres Xavante e os processos metodológicos da pesquisa

Autores

  • Maria Aparecida REZENDE rezemelo@gmail.com
    Universidade Federal de Mato Grosso

DOI:

10.29286/rep.v25i60.4099

Palavras-chave:

Metodologia Fenomenológica. Mulheres Xavante. Educação

Resumo

Este texto resulta de uma investigação científica, realizada com mulheres da etnia Xavante do âmbito da aldeia Pimentel Barbosa, em Mato Grosso. Objetiva-se, por meio desse recorte, desdobrar um diálogo acerca da fenomenologia merleau-pontyana e os processos metodológicos utilizados no decurso da pesquisa. Focaliza questões interligadas à educação das mulheres Xavante, detalhando, na prática, a metodologia desenhada junto a elas. Os fundamentos teóricos das análises se pautam em autores basilares como Merleau-Ponty, Geertz, Souza Santos, Capalbo entre outros. Os resultados apontam o entrecruzamento da construção metodológica, pelas mulheres Xavante, com a concepção de metodologia merleau-pontyana.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida REZENDE, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutora em Educação. Professora do Departamento de Teorias e Fundamentos da Educação/IE, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Área:- Educação sob o enfoque em Educação Indígena; Educação Escolar Indígena; EaD; PIBID em EaD. Disciplinas ministradas: Antropologia, Relações Etnicos Raciais; Currículo; Didática e Educação Escolar Indígena. Grupo de Pesquisa em Movimentos Sociais e Educação do Programa de Pós-Graduação da UFMT. Endereço: Av. Fernando Corrêa da Costa, 2.365, Boa Esperança, Cuiabá, MT. CEP. 78.060-900. Tel.: (65) 3615-8431. Email: <rezemelo@gmail.com>.

 

Referências

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em

educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Editora Porto, 1994.

BONI, Paulo César; MORESCHI, Bruna Maria. Fotoetnografia: a importância da fotografia para o resgate etnográfico. Revista Digital de Cinema Documentário, Net, dez. 2007. Disponível em: <http://migre.me/csjfK>. Acesso em: 27 set. 2012.

CANEVACCI. Massimo. A luta antimanicomial como uma luta cultural. Revista IHU Online, Net, n. 391, ano 12. abr. 2012. Disponível em: <http://migre.me/aWKlx>. Acesso em: 27 set. 2012.

CAPALBO, Creusa. Fenomenologia e Ciências Humanas. São Paulo: Idéias e Letras, 2008.

______. A Subjetividade e a experiência do outro: Maurice Merleau-Ponty e

Edmund Husserl. Revista da Abordagem Gestáltica, ano 13, n. 1, p. 25-50,

jan./jun, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 29. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra,

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

______. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. 9. ed.

Petrópolis: Vozes, 2007.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Signos. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

______. Fenomenologia da percepção. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

______.O visível e o invisível. Tradução de José Artur Gianotti e Armando

Mora D’Oliveira. São Paulo: Perspectiva, 2009.

SANTANA, Emanuel. A linguagem e Alfabetização audiovisuais. Conexões:

movimento social, educação popular e cinema. A experiência do Movimento dos Atingidos por Barragens de Chapada dos Guimarães - MT e o Cinema Circulante. Dissertação (Mestrado em Educação)– Programa de Pós-Graduação em Educação, Grupo de Pesquisa Movimentos Sociais e Educação, UniversidadeFederal de Mato Grosso, Cuiabá, 2008.

SILVA, Claudinei Aparecido de Freitas da. A carnalidade da reflexão: ipseidade e alteridade em Merleau-Ponty. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2009.

SANTOS, Boaventura de Souza. Descolonizar el saber, reinventar el poder.

Montevideo: EdicionesTrilce, 2010.

TIBALLI, Elianda Fiqueiredo Arantes; JORGE, Luiz Eduardo. A etnofotografia

como meio de conhecimento no campo da educação. Habitus, Goiânia, v. 5, n. 1, p. 63-76, jan./jun, 2007. Disponível em: <http://migre.me/aX9pU>. Acesso em: 27 set. 2012.

Downloads

Publicado

2016-09-01

Como Citar

REZENDE, M. A. Fenomenologia merleau-pontyana: mulheres Xavante e os processos metodológicos da pesquisa. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 25, n. 60, p. 749–765, 2016. DOI: 10.29286/rep.v25i60.4099. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/4099. Acesso em: 18 jul. 2024.