ANÁLISE DOS INDICADORES DE ÁLGEBRA NA PROVA SAEB DOS ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

DOI:

10.29286/rep.v33ijan/dez.14172

Palavras-chave:

Álgebra, Proficiência, Ensino fundamental, Habilidades

Resumo

Esta pesquisa visa analisar os indicadores de aprendizagem do conteúdo de álgebra dos alunos do ensino fundamental. Para essa investigação, a análise será por meio de dados do relatório do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) de 2019 (INEP, 2021) e do boletim de uma escola pública municipal. A problemática partiu da seguinte questão: O que revelam os dados sobre a aprendizagem dos estudantes do 7º ano do ensino fundamental no que diz respeito ao nível de proficiência em álgebra, segundo o Saeb? A pesquisa é de natureza qualitativa e será realizada de acordo com os pressupostos teóricos de análise documental de Gil (2008). Os dados mostram uma deficiência na aprendizagem de álgebra dos estudantes que realizaram essa avaliação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Igor Vaz de CAMARGO, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)

Graduado em Matemática pela UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná). Pós Graduado em Neuropsicopedagogia pela Faculdade São Braz, com ênfase em Deficiência Intelectual. Mestre pelo Programa de Pós -Graduação em Educação da UENP - Mestrado Profissional em Educação Básica na linha de concentração Práticas Docentes para a Educação Básica. Atuou como Professor de Matemática no Estado de São Paulo e como Agente de Organização Escolar na Escola Estadual Professora Orizena de Souza Elena. Atuou como Mediador no Programa Novo Mais Educação do Governo Federal, com orientações em matemática. Atuou como professor titular de cargo efetivo na Prefeitura Municipal de Canitar, local em que foi designado para Coordenação Pedagógica. Atuou como professor na Rede SESI-SP, com aulas para o Ensino Médio. Atualmente contratado para a função de Coordenador Pedagógico da Rede SESI-SP em Boituva.

Jonis jecks NERVIS, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)

Possui graduação em Matemática pela Universidade Federal Tecnológica do Paraná (2004). Especialização em Estatística pela UEL. Mestre em Engenharia de Produção pela Unesp de Bauru. Doutorado pela Unesp de Botucatu - Energia na Agricultura. É professor do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPEd/UENP). Coordenador do subprojeto Matemática do PIBID. Atua em cursos de formação inicial e continuada de professores com ensino de Matemática. Orientou projetos de intervenção na Educação Básica por meio do Programa de Desenvolvimento Educacional do Estado do Paraná (PDE). Desenvolve pesquisas na área de Educação Matemática. É líder do Grupo de Pesquisa em Matemática e Ensino de Ciências - Gpmec da UENP. Leciona na Universidade Estadual do Norte do Paraná. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Estatística e Educação Matemática. 

George Francisco Santiago MARTIN, Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP)

Possui graduação em Física pela Universidade Estadual de Londrina (2002), mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina (2005) e doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina (2016). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Estadual do Norte do Paraná e professor do Programa de pós-graduação em Educação - PPEd. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Ensino de Física e Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: tendências da educação matemática, saberes docentes e formação de professores. Coordenou a implantação do projeto Parfor/UENP. Cargos exercidos: coordenador institucional do projeto PARFOR/UENP de 2011a 2013; coordenador do curso de Licenciatura em Matemática Modalidade Parfor. Foi coordenador de Estagio de 2016 até 2020. É professor orientador do programa Residência Pedagógica em Matemática desde 2018.

Referências

ABREU, R. O processo de aprendizagem da Matemática na Educação Básica: raízes de suas dificuldades e mecanismos para sua superação. Cadernos do IME-Série Matemática, n. 16, 2004.

ANDRÉ, M.; PRINCEPE, L. O lugar da pesquisa no Mestrado Profissional em Educação. Educar em Revista, p. 103-117, 2017.

BASSO, F. V. Uso dos resultados do Saeb/Prova Brasil na formulação de políticas educacionais estaduais. Dissertação (mestrado em administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de Brasília. Brasília, 2017.

BONAMINO, A. A evolução do Saeb: desafios para o futuro. Em aberto, v. 29, n. 96, 2016.

BRASIL, MEC. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, 2018.

CARRAHER, T. N.; CARRAHER, D. W.; SCHLIEMANN, A. D. Na vida dez, na escola zero. São Paulo: Cortez, 1988.

GATTI, B. A. Estudos quantitativos em educação. Educação e pesquisa, v. 30, n. 1, p. 11-30, 2004.

GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos: coleção pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HEINSFELD, B. D.; SILVA, M. P. R. N. As versões da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o papel das tecnologias digitais: conhecimento da técnica versus compreensão dos sentidos. Currículo sem Fronteiras, v. 18, n. 2, p. 668-690, 2018.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed Editora, 2010.

INEP/MEC. Relatório SAEB. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2021. 248p.

KLEIN, R. Uma solução para a divergência de diferentes padrões no SAEB. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 27, p. 229-249, 2019.

LINS, R. C.; GIMENEZ, J. Perspectivas em Aritmética e Álgebra para o século XXI. 5. ed. Campinas: Papirus, 2005.

MAGINA, S.; OLIVEIRA, C. F. S.; MERLINI, V. O Raciocínio Algébrico no Ensino Fundamental: o debate a partir da visão de quatro estudos. Revista de Educação Matemática e Tecnologia Iberoamericana, v. 9, n. 1, p. 1-23, 2018.

MASOLA, W.; ALLEVATO, N. Dificuldades de aprendizagem matemática: algumas reflexões. Educação Matemática Debate, v. 3, n. 7, p. 52-67, 2019.

MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S. F.; GOMES, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes Limitada, 2002.

ONUCHIC, L. L. R.; ALLEVATO, N. S. G. Pesquisa em Resolução de Problemas: caminhos, avanços e novas perspectivas. Bolema – Boletim de Educação Matemática, p. 73-98, 2011.

PCN. Parâmetros Curriculares Nacionais. Matemática. Secretária de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

PEREZ, M. C. A. Infância e escolarização: discutindo a relação família, escola e as especificidades da infância na escola. Práxis Educacional, v. 8, n. 12, p. 11-25, 2012.

POLYA, G. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático. Tradução e adaptação Heitor Lisboa de Araújo. 2 reimpr. Rio de Janeiro: Interciência, 1995.

ROEDIGER, H. L.; MARSH, E. J. The positive and negative consequences of multiple-choice testing. Journal of Experimental Psychology: Learning, Memory, and Cognition, v. 31, n. 5, p. 1155, 2005.

SOUZA, D. S.; SILVA, T. H. I.; GOMES, V. M. S.; BEZERRA, F. J. B. Concepções de Álgebra presentes nas macroavaliações: os casos da Prova Brasil e do ENEM de 2011. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 8, n. 1, p. 46-66, 7 abr. 2017.

Downloads

Publicado

2024-03-23

Como Citar

CAMARGO, I. V. de; NERVIS, J. jecks; MARTIN, G. F. S. . ANÁLISE DOS INDICADORES DE ÁLGEBRA NA PROVA SAEB DOS ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 33, n. jan/dez, p. 103–120, 2024. DOI: 10.29286/rep.v33ijan/dez.14172. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/14172. Acesso em: 23 jun. 2024.