ANÁLISE DAS RESPOSTAS CARDIOVASCULARES AGUDAS NOS EXERCÍCIOS SUPINO RETO E SUPINO VERTICAL

Autores

Resumo

A prática de exercícios físicos é considerada um importante fator para a redução dos riscos associados às doenças cardiovasculares. O objetivo do estudo foi verificar as respostas cardiovasculares Pressão Arterial Sistólica, Pressão Arterial Distólica e Frequência Cardíaca nos exercícios supino reto e supino vertical em adultos saudáveis praticantes de musculação. A amostra foi composta por 30 indivíduos do sexo masculino praticantes de musculação por no mínimo seis meses frequentes, com idade entre 20 e 30 anos (25,9±3,1). Um grupo realizou o exercício supino reto (GSR) (n=15), o outro realizou o exercício supino vertical (GSV) (n=15), realizando 03 séries de 10 repetições sem alteração da carga, com intervalo de 2 minutos entre séries, e as variáveis aferidas antes e após a execução dos exercícios. Os resultados indicaram que não houve diferenças significativas das variáveis analisadas da pré para a pós-execução dos exercícios, ao serem comparados individualmente e entre os dois grupos.

Biografia do Autor

Weuller Aisler Moreira Teixeira, Faculdade Presbiteriana Gammon (FAGAMMON) - Lavras - MG; Secretaria Regional do Estado de Minas Gerais (SRE - Varginha) - Varginha - MG.

Possui graduação em Educação Física "Licenciatura Plena" pela Faculdade Presbiteriana Gammon- FAGAMMON-Lavras-MG (2011). É Pós Graduado em Treinamento Desportivo pelo Instituto ENAF - Lavras - MG, Pós Graduado em Fisiologia do Exercício e Atividade Física para Grupos especiais pelo Instituto ENAF - Lavras - MG, Pós Graduado em Esporte e Atividade Física inclusiva para pessoas com Deficiência pela Universidade Federal de Juiz de Fora- UFJF. Atualmente é professor da Escola Estadual Coronel Joaquim Ribeiro (Nepomuceno-MG), professor da Academia Personalizada Ritmo (Nepomuceno - MG). No momento suas atividades principais são Educação Física Escolar (Professor da Educação Básica do 5º ao 9º ano), Avaliador Físico e Prescrição de Programa de Treinamento (Musculação). 

Laryssa Boson de Castro Kersul, Universidade Federal de Lavras (UFLA) - Lavras - MG.

Possui Graduação em Educação Física Licenciatura Plena pela Universidade Federal de Lavras - UFLA - Lavras-MG, é Pós Graduada em Esporte e Atividades Física Inclusivas pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF. É professora de Educação física da Escola Estadual da Fazenda Vela Vista, Nepomuceno-MG. Atua como professora de Dança e Treinamento Funcional no Studio Fênix Fitness, Nepomuceno-MG, Professora de Natação na Academia Corpo Livre, Nepomuceno-MG.

Giuliano Roberto da Silva, Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS) - Alfenas - MG; Faculdade Presbiteriana Gammon (FAGAMMON) - Lavras - MG; Centro Mineiro de Ensino Superior (CEMES) – Campo Belo – MG; Secretaria Regional do Estado de Minas Gerais (SRE - Varginha) - Varginha - MG.

Doutor em Promoção de Saúde na Universidade de Franca - UNIFRAN - Franca SP (2017), Mestre em Biotecnologia em Saúde na Universidade Vale do Rio Verde - UNINCOR - Três Corações MG (2008), Especialização em Diversidade e Gênero na Escola - Universidade Federal de Lavras - UFLA - Lavras MG (2011), Especialização em Ginástica Especial Corretiva pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas - UNIFMU - São Paulo SP (2000), possui graduação "Licenciatura Plena" em Educação Física pela Faculdade Presbiteriana Gammon - FAGAMMON - Lavras MG (1998). Nas Artes Marciais possui as seguintes graduações: Professor Faixa Preta 3º DAN de TAEKWONDO - Belo Horizonte MG (2012), Professor Faixa Preta 1° DAN de NINJUTSU - Nepomuceno MG (2012). Atua nas seguintes instituições de Ensino Superior: Professor da Faculdade Presbiteriana Gammon - FAGAMMON (Lavras-MG), Professor da Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS (Alfenas-MG). Funcionário Público atua como Professor na Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais - lotado na Escola Estadual Coronel Joaquim Ribeiro (Nepomuceno-MG). Em academias atua na Espaço Saúde (Nepomuceno-MG) e Gym Center (Lavras-MG). No momento suas atividades principais são: Docência Universitária (Graduação e Pós-Graduação), Educação Física Escolar (Ensino Fundamental), Avaliador Físico, Montagem de Programa de Treinamento (Musculação) e Artes Marciais (TAEKWONDO) e (NINJUTSU). Tem experiência nas seguintes disciplinas em nível Universitário Superior de Graduação: Atletismo, Ginástica Geral, Ginástica Especial Corretiva, Psicomotricidade, Lutas e Artes Marciais, Musculação, Socorros Urgentes, Prática de Formação, Metodologia da Pesquisa e do Trabalho Científico, Estágio Supervisionado, Prescrição de Exercício para Atividade Individualizada (Personal Trainer), Motricidade Humana, Treinamento Desportivo, Atividade Física para Grupos Especiais, Esportes Complementares, Educação Física Adaptada e em nível de Pós Graduação (Latu Sensu): Atividade Física para Grupos Especiais (Hipertensos, Cardiopatas, Obesos, Dislipidemias, Problemas Posturais e Articulares, Problemas do Aparelho Respiratório (Bronquite e Asmáticos), Diabéticos, Gestantes e Terceira Idade).

Cassiano Merussi Neiva, Prof. Adjunto Livre Docente da Faculdade de Ciências da UNESP; Coordenador do Laboratório de Metabolismo e Fisiologia do Esforço (MEFE).

Livre Docente, 4 Pós Doutorados, orientador de Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado. Até agosto de 2016 publicou 116 artigos em periódicos científicos indexados em bases como Web of Science, Medline/PUBMED, Scopus, Index Copernicus, EBSCO, DOAJ, PLoS ONE, LILACS, SciELO, entre outras; Índice de Citações: Web of Science (H) = 8; Google Scholar (i10) = 7 , com 279 citações, sendo 159 delas no presente quadriênio CAPES. Em 2016 completou 25 anos de experiência na docência e pesquisa no Ensino Superior em Universidades Brasileiras e Estrangeiras, atuando como Docente e Tutor junto aos cursos de Graduação em Medicina (método tradicional e PBL), Nutrição, Educação Física, Fisioterapia, Biologia e Psicologia. Disciplinas: Fisiologia de Sistemas Humanos, Neurofisiologia e Controle Neuro-Endócrino, Bioquímica e Metabolismo, Nutrição Humana, Nutrição e Exercício, Fisiologia do Esforço, Epidemiologia e Saúde Humana, Crescimento e Desenvolvimento, Atletismo, Artes Marciais, Pesquisa Quantitativa, Clinica e Experimental em Saúde Humana. Graduado pela Universidade Estadual Paulista (UNESP -1990), Aprimoramento em Reabilitação Cardíaca (Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese - 1992), Mestrado em Ciências da Motricidade Humana (UNESP - 1995) e Doutorado em Biologia Funcional e Molecular (Fisiologia e Bioquímica) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP - 1999) com estágio sanduíche (bolsista do Programa de Doutorado com Estágio no Exterior PDEE) pela Second Medical Faculty - Charles University de Praga (CUNI - 1998-99). Possui 4 pós doutorados: Bioquímica (Metabolismo e Bioenergética) - pela Faculdade de Medicina de Botucatu, Depto. de Clínica Médica, Centro de Metabolismo e Nutrição -CEMENUTRI- (UNESP -2000); -Child Physiology Exercise- pela Charles University (CUNI - 2001); pela Universidad Politécnica de Madrid (UPM) realizou 2 pós doutorados: -Bioquímica y Fisiolgia del Esfuerzo- (2004) e -Nuevas Abordajes en Fisiología, Nutrición y Bioquimica del Esfuerzo-(2010). Foi Bolsista-Pesquisador FAPEMIG. Em 2009 obteve o título de Livre Docente pela UNESP, no conjunto de disciplinas: Nutrição Humana e Metabolismo, Bioquímica e Fisiologia do Esforço e Antropometria. Em 2000 tornou-se docente-pesquisador da UNESP - Faculdade de Ciências, onde atualmente é Professor Adjunto Livre Doncete (MS 5) e Coordenador do Laboratório de Metabolismo e Fisiologia do Esforço (MEFE). Professor Titular da Faculdade de Medicina da Universidade de Ribeirão Preto. Lnhas de pesquisa voltadas aos seguintes temas: Metabolismo, Obesidade, Diabetes, Nutrição Humana, DPOC, Câncer e Fisiologia do Esforço (esforço nos domínios intenso, pesado, severo e anaeróbios).

Daniel dos Santos, Universidade de Franca (UNIFRAN) – Franca – SP.

Bacharel (2000) e Licenciado (2003) em Educação Física pela Universidade de Franca , Mestre (2004) em Promoção de Saúde pela Universidade de Franca (2004). Doutor (2012) em Alimentos e Nutrição, área de concentração: Ciências Nutricionais- Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho(UNESP), campus de Araraquara-SP. Atualmente é docente-pesquisador do Programa de Mestrado e Doutorado em Promoção de Saúde e do curso de Educação Física- Universidade de Franca. Foi professor adjunto I do Centro Universitário de Patos de Minas , Centro Universitário Claretiano de Batatais e Fisiologista do Franca Futebol Feminino. Coordena o curso de Pós-Graduação lato sensu em Fisiologia do Exercício e Nutrição Esportiva. Ministra aulas em cursos de pós-graduação lato sensu nas seguintes instituições: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP), Universidade de Franca, Universidade de Ribeirão Preto e Escola Superior de Educação Física de Catanduva. Tem experiência nas áreas de: Fisiologia e Metabolismo, Nutrição Esportiva , Atividade Física e Promoção de Saúde e Treinamento Esportivo.

Referências

ALMEIDA, Marcos; ARAUJO, Claudio Gil; Efeitos do treinamento aeróbico sobre a frequência cardíaca. Revista brasileira medicina esporte, v. 9, n. 2, p. 104-112, 2003.

ALVAREZ, Bárbara Regina; PAVAN, André Luiz. Alturas e comprimentos. In: PETROSKI, Edio Luiz (Org.). Antropometria: técnicas e padronizações. 2. ed. Jundiaí, SP: Fontoura, 1999.

AZEVEDO, Paulo Henrique Silva Marques de e colaboradores. Efeito de 4 semanas de treinamento resistido de alta intensidade e baixo volume na força máxima, endurance muscular e composição corporal de mulheres moderadamente treinadas. Brazilian journal of biomotricity, v. 1, n. 3, p. 76-85, 2007.

BAECHLE, Thomas; EARLE, Roger. Fundamentos do treinamento de força e do condicionamento. 3. ed. Barueri, SP: Manole, 2010.

BROWN, Marybeth e colaboradores. Low-intensity exercise as a modifier of physical frailty in older adults. Arch phys med rehabil. v. 81, p. 960-5, 2000.

CAMARA, Fabiano Marques; MIRANDA, Maria Luiza de Jesus; VELARDI, Marília. Respostas cardiovasculares agudas em exercício resistido: implicações para prescrição de exercício. Movimento & percepção, v. 11, n. 16, p. 213-122, 2010.

DIAS, Raphael Mendes Ritti e colaboradores. Influência do processo de familiarização para avaliação da força muscular em testes de 1-RM. Revista brasileira medicina esporte, v. 11, n. 1, p.34-38, 2005.

FARINATTI, Paulo; ASSIS, Bruno. Estudo de frequência cardíaca, pressão arterial e duplo-produto em exercícios contra-resistência e aeróbio contínuo. Revista brasileira de atividade física e saúde, v. 5, n. 2, p. 5-16, 2000.

FIATARONE, Maria A e colaboradores. High-intensity strength training in nonagenarians. JAMA, v. 263, p. 3029-34, 1990.

FORJAZ, Claudia Lúcia de Moraes e colaboradores. Sistema cardiovascular e exercícios resistidos. In: NEGRÃO, Carlos Eduardo; BARRETO, Antônio Carlos Pereira (Orgs.). Cardiologia do exercício: do atleta ao cardiopata. Barueri, SP: Manole, 2010.

FISMAN, Enrique Z. e colaboradores. Comparison of left ventricular function using isometric exercise doppler echocardiography in competitive runners and weightlifiters versus sedentary individuals. American journal of cardiology, v. 79, n.3, 355-359, 1997.

GASPAROTTO, Guilherme da Silva e colaboradores. Associação entre fatores sociodemograficos e o nível de atividade física de universitários. Revista brasileira ciência e movimento, v. 21, n. 4, p. 30-40, 2013.

HILL, James O. e colaboradores. Physical activity and energy requirements. Am J Clin Nutr, v. 62, p. 1059-66, 1995.

KARLSDOTTIR, Arna E. e colaboradores. Hemodynamic responses during aerobic and resistance exercise. Journal of cardiopulmonary rehabilitation, v.22, n.3, p.170-177, 2002.

KRINSKI, Kleverton e colaboradores. Efeitos cardiovasculares agudos do exercício resistido em idosas hipertensas. Acta scientiarum health sciences, v. 30, n. 2, p. 135-142, 2008.

MCARDLE, William D.; KATCH Frank I.; KATCH Victor L. Fisiologia do exercício: nutrição, energia e desempenho humano. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

MARTIN, Leonardo e colaboradores. Atividade física e comportamentos sedentários: evidencias e novos caminhos para nossas pesquisas. Revista brasileira de atividade física e saúde, v. 15, n. 2, p. 1-2, 2010.

MONTEIRO, Maria de Fátima; SOBRAL FILHO, Dário. Exercício físico e o controle da pressão arterial. Revista brasileira medicina esporte, v. 10, n. 6, p. 513-516, 2004.

NÓBREGA, Antônio Cláudio Lucas. Fisiologia do exercício. Revista SOCERJ, v. 13, n. 3, p. 112-119, 2000.

NOGUEIRA, Ingrid Correia e colaboradores. Efeitos do exercício físico no controle da hipertensão arterial em idosos: uma revisão sistemática. Revista brasileira geriatria gerontologia, v. 15, n. 3, p. 587-601, 2012.

NUNES, Fabio Borges; SOUSA, Eliene Nunes de. Efeito de 12 sessões de treinamento resistido na composição corporal: um estudo de caso. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 8, n. 49, p. 674-679, 2014.

POLITO, Marcos Doederlein; FARINATTI, Paulo de Tarso Veras. Considerações sobre a medida da pressão arterial. Revista brasileira medicina esporte, v. 9, n. 1, p. 25-33, 2003.

POLITO, Marcos Doederlein. Força muscular versus pressão arterial de repouso: uma revisão baseada no treinamento com pesos. Revista brasileira medicina esporte, v. 15, n. 4, p. 299-305, 2009.

REZK, Claudio e colaboradores. Post-resistance exercise hypotension, hemodynamics, and heart rate variability: influence of exercise intensity. Eur. jour. appl. physiol., v. 98, n. 1, p. 105-12, 2006.

SCHWINGSHANDL, M. S. Prescription of resistance training for health and disease. Medicine Science Sports Exercises. 1999.

SLENTZ, Cris A. e colaboradores. Inactivity, exercise, and visceral fat. STRRIDE: a randomized, controlled study of exercise intensity and amount. Journal appl physiol, v. 99, p. 1613-8, 2005.

TANAKA, Hirofumi; MONAHAN, Kevin; SEALS, Douglas. Age-predicted maximal heart rate revisited. Journal of the american college of cardiology, v. 37, n. 1, p. 153-156, 2001.

WAGNER, Débora; MOTA, Carlos; CARPES, Felipe. Efeito do percurso sobre a frequência cardíaca de um ciclista altamente treinado. Revista brasileira de fisiologia do exercício, v. 7, n. 1, p. 43-48, 2008.

Downloads

Publicado

2017-08-02