Território, Direitos Humanos e Educação do/no campo na Amazônia

Ricardo Gilson da Costa SILVA, Josélia Gomes NEVES

Resumo


Na Amazônia brasileira as forças do agronegócio expressam objetivamente uma visão e materialização de projeto de território que afeta frontalmente à população rural e suas formas de organização social na busca de sentidos e significados aos seus modos de vida. Nesse sentido, o texto articula leitura teórica do território e experiências de campo com os processos modeladores do espaço rural. A articulação aponta como as ações do agronegócio produzem impactos na educação do campo, que por sua vez, responde a estas investidas com mecanismos de resistência inscritas em seus modelos de escolarização que devem ser adequados aos seus contextos e interesses. Dado a evidente desproporcionalidade nestas relações, a exigência dos direitos humanos constitui imperativo urgente e inadiável.

 

Palavras-Chave: Território. Direitos Humanos. Educação do Campo. Amazônia


Palavras-chave


Território. Direitos Humanos. Educação do Campo. Amazônia

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, M.; FERNANDES, B. M. A educação básica e o movimento social no campo. Brasília, DF: Articulação nacional por uma educação básica do campo, 1999. (Coleção Por uma educação básica no campo. v. 2.)

BIAZATTI, S. C. Migrações rurais: um estudo do sentido das migrações no campo e suas implicações nas comunidades atendidas pela escola Irineu Antonio Dresh. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) - Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2012. 35 p.

BUAINAIN, A. M. et. al. (Ed.). O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. Brasília, DF: Embrapa, 2014.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 1988.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei n. 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Brasília, DF, 2001.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 12.960, de 27 de março de 2014. Dispõe sobre o sistema de ensino para o fechamento de escolas do campo, indígenas e quilombolas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, 28 mar. 2014, Seção 1.

CALDART, R. S. Concepção de Educação do Campo. In: Centro Vianei de Educação Popular. Projeto Educação do Campo: Novas Práticas. Lages: Editora Inês, 2010.

CIMI – CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO. Relatório Violência contra os povos indígenas no Brasil – Dados de 2016. Brasília, DF: CNBB, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2017.

CPT - COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. Caderno Conflitos no Campo – Brasil 2016. Goiânia: CPT, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2017.

FARIA, R. Educação e municipalidade no Brasil: impactos e contradições das políticas públicas federais nos sistemas públicos municipais de ensino: o caso do município de Trajano de Moraes. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 23.; CONGRESSO LUSO-BRASILEIRO DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 5.; COLÓQUIO IBERO-AMERICANO DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO, 1., 2007, Porto Alegre. Cadernos ANPAE n. 4... Porto Alegre: 11-14 nov. 2007. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2017.

FERNANDES, B. M. Entrando nos territórios do território. In: PAULINO, E. T.; FABRINI, J. E. (Org.). Campesinato e territórios em disputa. São Paulo: Expressão Popular, 2008. p. 273-301.

FREIRE, P. Direitos humanos e educação libertadora. In: FREIRE, Ana Maria Araújo (Org.). Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: UNESP, 2001.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas. 1999.

GOTTMANN, J. A evolução do conceito de território. Boletim Campineiro de Geografia, v. 2, n. 3, p. 523-545, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2017.

HAESBAERT, R. Viver no limite: território e multi/transterritorialidade em tempos de in-segurança e contenção. 1. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

HEREDIA, B.; PALMEIRA, M.; LEITE, S. Sociedade e economia do agronegócio no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 25, n. 74, p. 159-176, out. 2010.

LEITE, S. P.; MEDEIROS, L. S. Agronegócio. In: CALDART, R. S. et. al. (Org.). Dicionário da Educação do Campo. 1. ed. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; São Paulo: Expressão Popular, 2012. 788 p. Verbete: Agronegócio, p. 81-87.

LOCKS, G. A; GRAUPE, M. E; PEREIRA, J. A. Educação do campo e direitos humanos: uma conquista, muitos desafios. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, v. 20, n. especial, p. 131-154, 2015.

MOLINA, M. C; FREITAS, H. C. A. Avanços e desafios na construção da educação do campo. Em Aberto, Brasília, DF, v. 24, n. 85, p. 17-31, abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 8 jul. 2014.

NASCIMENTO, C. G. Educação do campo e políticas públicas para além do capital: hegemonias em disputas. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2009.

RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do poder. Tradução de Maria Cecília França. São Paulo: Ática, 1993.

RONDÔNIA. Relatório do Encontro Estadual de Educação em Direitos Humanos. Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos de Rondônia. Porto Velho/RO -15 set. 2005. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2018.

SANTOS, B. de S; ARAÚJO, S; BAUMGARTEN, M. As Epistemologias do Sul num mundo fora do mapa. Sociologias, Porto Alegre, ano 18, n. 43, p. 14-23, set/dez 2016.

SANTOS, M. O dinheiro e o território. GEOgraphia, Rio de Janeiro, ano. 1, n. 1, p. 7-13, 1999. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2016.

SAQUET, M. A. As diferentes abordagens do território e a apreensão do movimento e da (i)materialidade. Geosul, Florianópolis, v. 22, n. 43, p. 55-76, jan./jun. 2007.

SILVA, B. G. A Marcha das Margaridas: resistências e permanências. Sociedade e Estado, Brasília, DF, v. 23, n. 2, p. 487-498, maio/ago. 2008.

SILVA JÚNIOR, A. F.; BORGES NETTO, M. Por uma educação do campo: percursos históricos e possibilidades. Entrelaçando - Revista Eletrônica de Culturas e Educação, Caderno temático: Cultura e Educação do Campo, Cruz das Almas, Ano 2, n. 3 p. 45-60, nov. 2011.

SILVA, M. Enera tem o desafio de criar um novo espaço de articulação entre os trabalhadores da educação, MST, 15 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 jan. 2016.

SILVA, R. G. C. Amazônia globalizada: da fronteira agrícola ao território do agronegócio – o exemplo de Rondônia. Confins – Revista franco brasileira de Geografia, Paris, v. 23, p. 1-30, 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2016.

SILVA, R. G. C. Da apropriação da terra ao domínio do território: as estratégias do agronegócio na Amazônia brasileira. International Journal of Development Research, v. 7, n. 12, p. 17699-17707, dez. 2017.

SILVA, R. G. C.; CONCEICAO, F. S. Agronegócio e campesinato na Amazônia brasileira: transformações geográficas em duas regiões nos estados de Rondônia e Pará. GEOgraphia, Rio de Janeiro, v. 19, p. 54-72, 2017.

SOUZA, M. S.; MARCOCCIA, P. C. de P. Educação do Campo, escolas, ruralidades e o projeto do PNE, Salvador, v. 20, p. 191-204, jul./dez. 2011.

SUAVE, M. P. O ensino da Geografia: uma perspectiva crítica para abordar o agrário no Estado de Rondônia. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, 8., SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA (SINGA) 9., 2017, Curitiba. Anais... Curitiba: 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v27i65/2.6887

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica