O ensino de leitura e a noção bakhtiniana de arquitetônica

a BNCC em questão

Autores

Palavras-chave:

Base Nacional Comum Curricular, Leitura, Arquitetônica.

Resumo

Neste artigo, temos como objetivo analisar o componente de Língua Portuguesa na seção destinada ao Ensino Fundamental II da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), tendo como foco o eixo leitura. A análise, feita de forma dialógica e indiciária (GINZBURG, 1986), é baseada na noção bakhtiniana de arquitetônica (BAKHTIN [1919] 2011; [1920-24] 2010; [1924-27] 2011; [1924] 2014). Essa noção nos fez compreender as proposições do documento relacionando-as a um todo social e histórico que envolveu a sua produção, o que permitiu um entendimento mais crítico acerca das propostas inseridas em um projeto de políticas de educação do Estado brasileiro.

Biografia do Autor

Isadora Cássia Lúcio da Rocha, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduada em Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Espírito Santo, é mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma universidade. Desenvolveu pesquisas de Iniciação Científica na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada. Participa do Gebakh - Grupo de Estudos Bakhtinianos, também na Universidade Federal do Espírito Santo.

Luciano Novaes Vidon, Universidade Federal do Espírito Santo

Formado em Letras-Português pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), possui Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado em Linguística Aplicada, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), e também Pós-Doutorado em Estudos da Linguagem, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Desde 2006 é professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), atuando junto ao Departamento de Línguas e Letras e ao Programa de Pós-Graduação em Linguística. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes campos: Linguística aplicada ao ensino de língua materna, com ênfase em aquisição e desenvolvimento da escrita, e Estudos de texto e discurso, com base na filosofia dialógica da linguagem do Círculo de Bakhtin. É coordenador do GEBAKH - Grupo de Estudos Bakhtinianos - e publicou, em 2013, pela Pedro&João Editores, "Em(n)Torno de Bakhtin: questões e análises", juntamente com Raquel Salek Fiad, e em 2019, pela Editora Pontes, "Língua, discurso e política: desafios contemporâneos", com Kyria Finardi e Marta Scherre. Desde 2018, é Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGEL), da UFES.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e Estética (A Teoria do Romance). Tradução de Aurora Fornoni Bernadini et al. 7.ed. São Paulo: UNESP, 2014.

______. Estética da Criação Verbal. Trad. de Paulo Bezerra, São Paulo: Martins Fontes, 2011.

______. Arte e responsabilidade. In:_____. Estética da criação verbal. Trad. do russo de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011. p. XXXIII-XXXIV.

______. O problema do conteúdo, do material e da forma ([1923-1924/1975]). In: Questões de Literatura e Estética (A Teoria do Romance). Tradução de Aurora Fornoni Bernadini et al. 7.ed. São Paulo: UNESP, 2014, p. 13-70.

______. Para uma filosofia do ato responsável. Trad. de Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018.

CAVALCANTE FILHO, Urbano. A arquitetura da arquitetônica bakhtiniana. Anais do 12th International Congress of the Brazilian Studies Association (BRASA). King’s College – London – UK, aug. 2014.

CLARK, Katerina; HOLQUIST, Michael. A arquitetônica da Responsabilidade. In: _____. Mikhail Bakhtin. São Paulo: Perspectiva, 1998. P. 89-116.

FREITAS, Luiz Carlos de. BNCC: uma base para o gerencialismo-populista, São Paulo, 7 de abril de 2017. Disponível em: <https://avaliacaoeducacional.com/2017/04/07/bncc-uma-base-para-o-gerencialismo-populista/>. Acesso em 12 de maio de 2020.

GINZBURG, Carlo. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In:_____. Mitos, emblemas, sinais: Morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. p.143-180.

GALVÃO, Ana Carolina et alii. Foi golpe!: o Brasil de 2016 em análise. São Paulo: Pontes, 2019. 1ª ed.

SOUZA, G.T. 1999. Introdução à teoria do enunciado concreto de Bakhtin/ Voloshinov/Medvedev. São Paulo: Humanitas.

MEDVIEDEV, P. N.; BAKHTIN, M. [1928]2012. O método formal nos estudos literários: Introdução crítica a uma poética sociológica. Trad. Sheila Grillo. Ekaterina Volkova Americo. São Paulo: Contexto.

MELO, Rosineide; ROJO, Roxane Helena Rodrigues. Letramentos Contemporâneos e a Arquitetônica Bakhtiniana. Revista D.E.L.T.A. São Paulo, V. 33, n. 4, 2017.

NETO, João Cabral de. Poesias Completas. 4ª ed. Rio de Janeiro, José Olympio, 1986.

ROJO, Roxane. Letramento e capacidades de leitura para a cidadania. São Paulo: Rede do Saber/CENP_SEE-SP, 2004.

SOBRAL, Adail. A filosofia primeira de Bakhtin: roteiro de leitura comentado. Mercado de Letras: São Paulo, 2019.

TÍLIO, Rogério. A Base Nacional Comum Curricular e o contexto brasileiro. In: AMORIM, Marcel; GERHARDT, Ana Flávia Lopes Magela (Orgs.). A BNCC e o ensino de línguas e literaturas. São Paulo: Pontes Editores, 2019. p. 7-17.

PADILHA, Simone de Jesus. A arquitetônica dos dizeres: em todas as direções. Em: Revista diálogos: linguagens em movimento. Ano III, N. I, jan.-jun., 2015.

_______ ARQUITETÔNICA: investigando a produtividade do conceito de arquitetônica em enunciados de diferentes esferas de atividade humana. Relatório de licença capacitação. Vitória-ES: PPGEL/UFES, 2018.

VOLOSHÍNOV, V. (Círculo de Bakhtin). Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Editora 34, 2018.

Downloads

Publicado

2020-11-13

Edição

Seção

Artigo de Convidado