Revista Diálogos https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia <p>A RevDia (ISSN 2319-0825 - QUALIS A3) é um periódico dos Grupos de Pesquisa REBAK (Relendo Bakhtin) e REBAK SENTIDOS, constituindo-se como um veículo de divulgação das pesquisas realizadas pelos membros dos grupos de pesquisa referenciados acima, bem como da comunidade externa aos grupos e a UFMT.</p> <p> </p> pt-BR Revista Diálogos 2319-0825 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p><p>1) Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p><p>2) Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p><p>3) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</p> Expediente https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/17575 Revista Diálogos (RevDia) Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 1 5 Descrição textual https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/17024 <p>Este trabalho pretende identificar regularidades na construção dos tipos discursivos da ordem do expor presentes em um texto exemplar do gênero entrevista em Libras com especialista. O referencial teórico está representado por contribuições do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), mais especificamente pela noção de discurso como segmento de formas linguísticas específicas, que, conforme as regularidades, pode ser classificado em quatro mundos discursivos. O contexto de geração de dados é o da produção de uma entrevista com especialista em Educação Física para alunos surdos. Os resultados da análise mostram que a ocorrência da ordem do expor está associada ao tema central e ao objetivo do texto sinalizado - apresentar informações científicas dos conteúdos tematizados, bem como a características linguísticas que marcam o discurso teórico autônomo e o discurso interativo implicado. Essa configuração pode subsidiar a construção de um modelo de descrição com vista a sua didatização no ensino de Libras para aprendizes ouvintes.</p> Girlaine Felisberto de Caldas Aguiar Maria Augusta Gonçalves de Macedo Reinaldo Shirley Barbosa das Neves Porto Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 6 21 Descrição paremológica da Libras https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/17099 <p>O presente artigo tem como intenção apresentar um método que possibilite o registro de dados linguísticos da língua de sinais por meio da escrita de sinais, o recurso gráfico que permite a fácil manipulação dos dados no texto e a verossimilhança na descrição linguística, pois preserva a forma espaço-visual da língua de sinais. A partir de estudos que tiveram como foco a dupla articulação da língua de sinais e, a&nbsp;<em>posteriori</em>, o registro dos dados linguísticos obtidos no processo de articulação da língua por meio da escrita de sinais, foi desenvolvido um método para a articulação da língua de sinais e o registro gráfico dos dados obtidos. Benassi e Santos (2021) publicaram um artigo em que comunicam os passos necessários para esse registro. Por meio do presente trabalho, reapresentamos estes passos com algumas inovações metodológicas para o processo de registro de dados linguísticos da língua de sinais.</p> Claudio Alves Benassi Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 22 43 Panorama das principais estruturas formacionais da Língua Brasileira de Sinais https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/17030 <p>Assiste-se, na última década, a um rápido crescimento na área de Libras, tanto no que tange à formação de profissionais de nível superior para docência ou interpretação/tradução desse idioma, quanto para pesquisas referentes ao ensino, à descrição linguística ou às manifestações estéticas e culturais nessa língua. Em sintonia com esse movimento, o presente trabalho desenvolve uma revisão bibliográfica cujo objetivo é apresentar um panorama das principais estruturas de formação dos itens lexicais na Língua Brasileira de Sinais (Libras), seus cinco parâmetros formacionais: Configuração de mão, Locação, Movimento, Orientação da palma e Expressões não manuais, entre outros recursos linguísticos. Com base nos estudos de Quadros e Karnopp (2004), Faria-Nascimento (2009), Ferreira-Brito (1995) e Capovilla et al (2017), discute-se o papel desses recursos tanto na fonologia quanto na morfologia desta língua de modalidade visuo-espacial. A partir dessas descrições, ratifica-se o status linguístico da Libras como língua natural e humana e sistematizam-se elementos chaves de sua descrição estrutural.</p> Fábio Vieira de Souza Júnior Vinícius Carvalho Pereira Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 44 67 Lei das fake news, ataques em escolas no Brasil e o enfrentamento da postura colonial das Big Techs https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/16252 <p>Este artigo aborda o Projeto de Lei (PL) 2.630/ 2020 como uma estratégia de conter crimes, cujos indícios são veiculados em plataformas digitais. Por meio de pesquisa documental e bibliográfica, é trazido o entendimento de que a disseminação dos discursos de ódio e do pânico moral, está relacionada à efetuação de crimes, como os ataques a vítimas em escolas, cada vez mais frequentes no Brasil. Este estudo apresenta ainda, um episódio de postura de colonialidade do Poder, do Ser e do Saber, envolvendo representantes de "<em>Big Techs</em>" no país e o comportamento de pedagogia decolonial do Ministro da Justiça brasileiro, que reforça a importância da soberania nacional e a proteção da vida acima de quaisquer regras internas empresariais, como seus termos de uso.</p> Antonio Henrique Coutelo de Moraes Elaine Silva Alegre Solange Maria de Barros Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 68 87 Os nipônicos flutuantes na Amazônia manauara de Hatoum https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/16760 <p>O objetivo deste artigo é apresentar personagens de origem nipônica, a partir do recorte de duas obras do escritor manauara Milton Hatoum e os processos de construções identitárias das mesmas no espaço representativo de desterritorialização e reterritorialização amazônico, com o intuito de perceber como a cultura japonesa se fez presente na cidade flutuante de Manaus, confluindo com culturas diversas, como a de expressão mítica peculiar da Amazônia. Para tanto, esta investigação adotou como procedimento metodológico a revisão bibliográfica de algumas literaturas, com base nas análises interpretativas que serviram de aportes teóricos para justificar o comportamento multicultural das personagens hatounianas selecionadas para a pesquisa.&nbsp; &nbsp;</p> Cristiane de Mesquita Alves José Guilherme de Oliveira Castro Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 88 101 Teoria da Determinação Nominal e marcas de posse no português brasileiro (PB): https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/17121 <p>Este artigo tem o objetivo de analisar as marcas de posse do português brasileiro, com base na teoria da determinação nominal comparada a duas gramáticas normativas de língua portuguesa. Partimos dos estudos de Culioli (1975, 1976) e das gramáticas de Lima (2012) e Cunha; Cintra (2008). Como procedimento metodológico, foi feito um estudo bibliográfico de abordagem qualitativa, em que manipulamos ou desconstruímos alguns exemplos de enunciados apresentados. A análise dos exemplos foi embasada na teoria de Determinação Nominal. Como resultado, observamos que nenhuma categoria linguística é um dado natural ou imutável, mas sim constructos teóricos passíveis de revisão, reformulação ou explicação a partir de outros postulados teóricos, como acontece com a noção de posse no PB, ainda restrita aos pronomes.</p> Marli Ferreira de carvalho Damasceno Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 102 122 Cooficializações de línguas no Brasil em análise https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/16201 <p>O objetivo deste artigo é analisar um documento legislativo da cooficialização da língua Talian. Trata-se de um estudo de caso cujo objeto de análise é Ata nº 04/2009 da audiência pública para sua cooficialização em Serafina Corrêa-RS em 2009, a qual foi colocada em perspectiva sob a ótica teórico-metodológica da Análise de Conteúdo (AC), com análise e discussão de dados posterior sob Análise de Discurso (AD). A escolha desta ata como <em>corpus</em> se deve ao fato de terem sido identificados poucos estudos analíticos sobre documentos oficiais que constituem o processo de cooficialização de uma língua brasileira. Enquanto resultados, por meio da AC, chegamos a categorias que representavam os principais tópicos voltados para questões de manutenção da cultura italiana, cooficialização do Talian e força política. Já em um segundo momento, por meio da interpretação discursiva e ideológica, sugere-se que sociedade, língua e política são os elementos centrais que sustentaram a argumentação discursiva para/pela cooficialização do Talian.</p> Dayse Rodrigues dos Santos Milan Puh Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 123 147 Entre o sagrado e o profano no bolero Solamente una vezs https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/16094 <p>O bolero, enquanto gênero discursivo, possibilita releituras com referências múltiplas, isso porque, ao ouvi-lo, muitos apreciadores identificam-se com ele e relacionam as narrativas com suas próprias histórias e experiências. Além disso, defendemos que a música serve como base para diversas situações e representações simbólicas, de modo especial, em contexto religioso, quando a canção atua na transmissão de mensagens de amor e fé, sensibilizando o ouvinte/participante por meio das emoções. Sendo assim, o objetivo desse artigo consiste em analisar, dialogicamente, o bolero <em>Solamente una vez</em>, destacando-se os elementos de religiosidade que constituem a canção. O <em>specificum</em> de nossa investigação se fundamenta na perspectiva do pensamento de Bakhtin e o Círculo (ou da Análise Dialógica do Discurso, doravante ADD), que se pauta nos pressupostos linguístico-discursivos de Bakhtin (2006), Volóchinov (2018) e Medviédev (2019). Do ponto de vista metodológico, a presente pesquisa se caracteriza como um estudo qualitativo de base interpretativista e caráter descritivo/explanatório (DENZIN; LINCOLN, 2006), apresentando como <em>corpus </em>de análise o bolero <em>Solamente una vez</em>. Os resultados de nossa pesquisa apontaram para o fato de que, das interpretações que orbitam entre o amor carnal humano e o domínio religioso, a canção referida é construída sob a égide de dois domínios: entre o sagrado e o profano.</p> Luciano Mendes Saraiva Wilder Kleber Fernandes de Santana Pedro Farias Francelino Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 149 164 Bancos de dados sociolinguísticos e a Ciência Aberta https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/16105 <p class="Contedodoquadro" style="text-indent: 0cm; margin: 0cm .65pt .0001pt 0cm;"><span style="font-family: 'Calisto MT',serif; background: white;">Bancos de dados sociolinguísticos têm sido fonte de referência para a descrição das diferentes variedades do português brasileiro e oferecido subsídios para outras funções sociais. Contudo, o conhecimento produzido pela Sociolinguística Variacionista não tem recebido a visibilidade no cenário brasileiro, assim como argumentado por Labov (2020) acerca das contribuições da sociolinguística nos Estados Unidos. Constatamos isso por meio de exemplos mecanicistas em livros didáticos da variação de sentido no ensino da língua portuguesa, bem como a visibilidade de “linguistas da internet” que propagam o preconceito linguístico. Assim, apresentamos, neste texto, uma reflexão sobre como a adoção de alguns preceitos de Ciência Aberta podem contribuir para o fortalecimento da área frente a sociedade brasileira.</span></p> Marta Deysiane Alves Faria Sousa Raquel Meister Ko. Freitag Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 165 187 Aquisição da linguagem https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/16282 <p class="western" lang="pt-PT" align="justify"><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;">Este artigo apresenta a Aquisição da Linguagem como área de investigação dentre os estudos linguísticos. Para tanto, apresentaremos uma breve evolução histórica dos estudos da área, esclarecendo as correntes Empirista e Racionalista, ocasião em que descrevemos as principais teorias que subsidiam a Aquisição da Linguagem como campo de investigação, tais como o Behaviorismo, o Gerativismo e o Interacionismo. Discutimos ainda sobre o processo de aquisição lexical e da categoria verbal. Por fim, apresentamos as pesquisas de </span></span><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;">Borovsky e Creel (2014), Andreu </span></span><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;"><em>et al.</em></span></span> <span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;"><span lang="pt-BR">(2016) e Alves </span></span></span><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;">(2018)</span></span><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: small;"> como exemplos de estudos desenvolvidos no âmbito da aquisição da linguagem.</span></span></p> Alisson Hudson Veras-Lima Ana Paula Martins Alves Salgado Copyright (c) 2024 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-05-07 2024-05-07 12 1 188 216