A Teoria da Acessibilidade e suas implicações para a leitura do texto antigo

Autores

  • Luiz Eleildo Pereira Alves Universidade Estadual do Ceará

Palavras-chave:

Filologia Textual, Texto, Teoria da Acessibilidade,

Resumo

Neste artigo, retomamos as discussões que vimos desenvolvendo a respeito de uma interface teórica entre Filologia e Linguística de Texto. Ainda argumentando em favor de uma Filologia textual (autor, 2016), procuraremos analisar a dinâmica da textualização em 4 documentos setecentistas do Ceará, considerando a noção de texto como evento (BEAUGRANDE, 1997) com ênfase na investigação dos processos referenciais à Luz da Teoria da Acessibilidade, desenvolvida por Ariel (1996) e discutida por Costa (2007a; 2007b). Em nossa análise, tentamos demonstrar que o processo referencial é um jogo que se dá nos deslizamentos entre linguagem pensamento e realidade (SALOMÃO, 1999). Para os estudos filológicos, as questões aqui encetadas desvelam um campo profícuo para reflexão, especialmente, a respeito do trabalho de leitura do texto antigo.

Biografia do Autor

Luiz Eleildo Pereira Alves, Universidade Estadual do Ceará

Professor do Curso de Letras da Universidade Estadual do Ceará; Doutorando em Linguística Aplicada PosLA/UECE; Membro do grupo PRAETECE e do grupo GEENTE.

Referências

Referências

Alves LEP. Filologia textual e linguística textual: estudo de textos setecentistas à luz da teoria da acessibilidade [dissertação]. Fortaleza: Centro de Humanidades, Universidade Estadual do Ceará; 2016.

ALVES, L. E.; XIMENES, E. Uma revisão do conceito de texto e suas implicações para os estudos filológicos. Filologia e Linguística Portuguesa, v. 21, n. 1, p. 25-42, 25 ago. 2019.

ARIEL, M. Linguistic marking of physical givenness. In: Second Colloquium on Deixis. Nancy, 1996. Disponível em: http://www.loria.fr/~romary/Deixis/PapersDeixis. Acesso: 15mai2020.

______. Acessibility theory: an overview. In: SANDERS T; SCHILPEROORD, J. e SPOOREN, W. Text representation: linguistics and psycholinguistics aspects. Amsterdam/Philladelphia:Benjamins, 2001, p. 29-89.

______. Acessibility Theory. In: BROWN, K. Encyclopedia of Language e Linguístics. 2ª Ed. Elsevier, 2006.

BEAUGRANDE, R.D. New foundations for a science of text and discourse.Freedom of access toknowledge and society through Discourse. Norwood: Ablex, 1997.

BELLOTTO, H. L. Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, Imprensa Oficial do Estado, 2002.

CAMBRAIA, C. N. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CEZARIO, L. F. A Estrutura Jurídica no Brasil Colonial: Criação, Ordenação e Implementação. Âmbito Jurídico, v. 72, p. on-line, 2010. Disponível em: http://www.ambitojuridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=7088 . Axesso em: 20Nov2016.

COSTA, M. H. A. Acessibilidade de referentes: um convite à reflexão. Fortaleza, 2007. 176p. Tese (Doutorado em Linguística). Programa de Pós-graduação em Linguística, Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007a.

______. Ariel e a noção de acessibilidade referencial: ampliando os limites do discurso. In: CAVALCANTE, M. M. et. al. Texto e discurso sob múltiplos olhares: referenciação e outros domínios discursivos – Vol 2- Rio de Janeiro: Lucerna, 2007b. p. 40-73.

HANKS, W. F. Língua como prática social: das relações entre língua, cultura e sociedade a partir de Bourdieu e Bakhtin. São Paulo: Cortez, 2008.

MARCUSCHI, L. A. Cognição, linguagem e práticas interacionais. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007, 176p, 2007.

______. A coerência no hipertexto. In: COSCARELLI, C. V.; RIBEIRO, A. E. (Org.). Letramento Digital: Aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. 1ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 185-208.

MONDADA, L.; DUBOIS, D. Construção dos objetos de discurso e categorização: uma abordagem dos processos de referenciação. (Tradução de Mônica Magalhães Cavalcante). In: CAVALCANTE, M. C., RODRIGUES, B. B. e CIULLA, A. (orgas.). Referenciação. São Paulo: Contexto. p. 17-52, 2003.

PARENTE, I. C. Teoria da Acessibilidade e processos referenciais: a construção conjunta de objetos de discurso por alunos de ensino fundamental na produção de textos para o jornal escolar. Dissertação de Mestrado. Mestrado Acadêmico em Linguística Aplicada – Universidade Estadual do Ceará, 2016.

SALOMÃO, M. M. M. A questão da construção do sentido e a revisão da agenda dos estudos da linguagem. Veredas: revista de estudos linguísticos, Juiz de Fora, v. 3, n. 1, p. 61-79, 1999.

______. Realismo e verdade: o que nos ensina o estudo sociognitivo da referência. Caderno de Estudos Linguísticos. Campinas, (44):71-84, Jan./Jun. 2003.

SOARES, J. P. M.; F., C. (Orgs.). Memória Colonial do Ceará. vol. 5 (1744-1746): tomo 1 (1744-1746) e tomo 2 (1746). Introdução metodológica, coordenação técnica, estabelecimento do texto, comentários e notas de José Pereira da Silva. [Teresópolis – RJ]: Kapa Editorial, 2011-2012.

VOLOCHÍNOV, V. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico das ciências da linguagem. 2a. Ed. São. Paulo: Editora 34, 2018.

Downloads

Publicado

2020-10-01