A Base Nacional Comum Curricular como norma regulatória das infâncias

Autores

  • Edna Carvalho da Silva UFPR/Mestranda
  • Eli Bruno do Prado Rocha Rosa UFPR/MESTRANDO
  • Luiz Miguel Portella UFPR/MESTRANDO
  • Marcos Vinicius Tavares UFPR/MESTRANDO
  • Megg Rayara Gomes de Oliveira UFPR/DOCENTE https://orcid.org/0000-0002-9733-7202

Resumo

A partir da conceituação de infâncias em dissidências no contexto escolar da educação infantil e das experiências de mundo dos pesquisadores-autores, o presente estudo pretende analisar a imposição de normas de conduta cis heteronormativas e racistas desde a nova Base Nacional Curricular Comum (BNCC), correlacionando estes documentos com o desenvolvimento da criança inserida numa sociedade normativa desde antes do contexto escolar e reforçado por este. Em que pese, o estudo irá trazer contribuições de autoras e autores pós-estruturalistas e decoloniais quando abordamos os recortes de gênero e raça respectivamente.

Biografia do Autor

Edna Carvalho da Silva, UFPR/Mestranda

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Paraná - Linha Diversidade, Diferença e Desigualdade Social em Educação.

Eli Bruno do Prado Rocha Rosa, UFPR/MESTRANDO

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Paraná – Linha Diversidade, Diferença e Desigualdade Social em Educação.

Luiz Miguel Portella, UFPR/MESTRANDO

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Paraná – Linha Diversidade, Diferença e Desigualdade Social em Educação.

Marcos Vinicius Tavares, UFPR/MESTRANDO

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Paraná – Linha Diversidade, Diferença e Desigualdade Social em Educação.

Megg Rayara Gomes de Oliveira, UFPR/DOCENTE

Doutora em educação, professora adjunta e professora credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal do Paraná – Linha Diversidade, Diferença e Desigualdade Social em Educação.

Downloads

Publicado

2021-10-25

Edição

Seção

Dossiê "Interseccionalizando em educação: lutas sociais e direito à diferença"