SUITABILITY FOR AGRICULTURAL AND FORESTRY MECHANIZATION OF THE URUÇUÍ-PRETO RIVER HYDROGRAPHIC BASIN, PIAUÍ, BRAZIL

Autores

  • Luciano Cavalcante de Jesus França lucianodejesus@florestal.eng.br
    Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina, Minas Gerais, Brasil.
  • Gerson dos Santos Lisboa gerson.lisboa@gmail.com
    Departamento de Engenharias, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Campus Jorge Amado, Itabuna, Bahia, Brasil.
  • João Batista Lopes da Silva silvajbl@yahoo.com.br
    Professor na Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Paulo Freire (Teixeira de Freitas).
  • Francisco Rodolfo Junior fcorodolfojunior@hotmail.com
    Universidade Federal do Piauí
  • Vicente Toledo Machado de Morais Junior gerson.lisboa@gmail.com
    Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, Minas Gerais, Brasil.
  • Clebson Lima Cerqueira clebsonlima10@hotmail.com
    Universidade Federal de Meto Grosso (UFMT)

DOI:

10.31413/nativa.v4i4.3433

Resumo

APTIDÃO À MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA E FLORESTAL NA BACIA HIDROGRAFICA RIO URUÇUÍ-PRETO, PIAUÍ, BRASIL
Neste trabalho objetivou-se caracterizar a aptidão à mecanização agrícola e florestal na Bacia Hidrográfica do Rio Uruçuí-Preto, estado do Piauí, de forma a subsidiar o planejamento de uso, intervenções, manejo do solo e gestão ambiental para a área em estudo. Com uso do Software ArcGIS 10.0 foi gerado o mapa de declividade do terreno, a partir da base SRTM / MDE (Modelo Digital de Elevação), processado e analisado a partir da interpretação e atribuição das classes de declividade em graus para indicação das áreas com restrição a aptidão a mecanização. Foi gerado o mapa de classes de solo, a fim de auxiliar na interpretação da capacidade à mecanização por parâmetros pedológicos, e a partir disso foi obtido o mapa final de aptidão a mecanização na bacia em estudo. A partir dos resultados, as classes de aptidão das terras à mecanização, apresentaram-se de acordo com a seguinte distribuição: Relevo Plano (aptidão muito alta: 8.702,52 km2 ou 55,15% da bacia em estudo), Relevo Suavemente Ondulado (aptidão alta: 4.489,16 km2 ou 28,45%), Relevo Ondulado (aptidão moderada: 1.270,33 km2 ou 8,04%), Relevo Fortemente Ondulado (baixa: 970,17 km2 ou 5,74%), Relevo Montanhoso (restrito: 357,11 km2 ou 2,26%) e Relevo fortemente montanhoso (inapta: 51,0 km2 ou 0,32%).

Palavras-chave: cerrado, avaliação de terras, planejamento agrícola, manejo de bacias hidrográficas, Sistemas de Informação Geográfica (SIG).

 

ABSTRACT

This work aimed to characterize the suitability for agricultural and forestry mechanization in the Uruçuí-Preto River Hydrographic Basin, state of Piauí, Brazil, in order to support the planning of use, interventions, soil management and environmental management for the study area. A terrain slope map was generated with use of ArcGIS 10.0 software by using the SRTM/DEM (Digital Elevation Model) basis, and processed and analyzed from the interpretation and attribution of slope classes in degrees in order to indicate areas with restricted suitability for mechanization. A map of soil types was generated in order to assist in interpreting the capacity to mechanization according to soil parameters, and from that we obtained the final map of suitability for mechanization in the basin studied. Based on the results, classes of suitability to mechanization of presented the following distribution: Flat Relief (very high suitability: 8,702.52 km2 or 55.15% of the basin under study), Slightly Undulating Relief (high suitability: 4,489.16 km2 or 28.45%), Undulating Relief (moderate suitability: 1,270.33 km2 or 8.04%), Strongly Undulating Relief (low suitability: 970.17 km2 or 5.74%), Mountainous Relief (restricted: 357.11 km2 or 2.26%) and Strongly Mountainous Relief (inapt: 51.0 km2 or 0.32%).

Keywords: cerrado, land evaluation, land use planning, hydrographical basins management, Geographic Information
Systems (GIS).

 

DOI: http://dx.doi.org/10.14583/2318-7670.v04n04a09

Biografia do Autor

Luciano Cavalcante de Jesus França, Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina, Minas Gerais, Brasil.

Engenheiro Florestal formado pela Universidade Federal do Piauí - UFPI. É membro fundador da Empresa Florestal do Piauí Júnior - EfloPI Jr., onde foi Diretor Presidente da primeira gestão (2013-2015) e Diretor de Projetos (2015). Foi estagiário na AGROFLOR Engenharia e Meio Ambiente (Viçosa - MG, 2015) atuando nas áreas de Recuperação de Áreas Degradadas e Estudos e Licenciamento Ambiental. Foi bolsista CNPq de Iniciação Científica na área de Sistemas de Informações Geográficas (SIG), Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento, com ênfase em Manejo e Conservação de Bacias Hidrográficas. Foi bolsista no Programa de Educação Tutorial - PET (2012-2013), onde trabalhou com intervenção socioambiental na Estação Ecológica de Uruçuí-Una (Piauí). Tem experiência em Etnobotânica, Fitossociologia e Fenologia de mata ripária, atuando também na ESEC de Uruçuí-Una. Atua em Grupo de Pesquisa em Silvicultura de florestas de produção de espécies nativas e exóticas, com modelos experimentais de povoamentos florestais (Eucalyptus spp., Khaya spp., iLPF, dentre outros) na Fazenda da UFPI/CPCE, em Alvorada do Gurguéia (PI). Foi monitor acadêmico de Desenho Técnico, Anatomia Vegetal e Colheita Florestal para Engenharia Florestal. É administrador de site na área do setor florestal (www.centralflorestal.com.br).

Gerson dos Santos Lisboa, Departamento de Engenharias, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Campus Jorge Amado, Itabuna, Bahia, Brasil.

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Estadual do Centro Oeste, PR (2006), mestrado em Ciências Florestais pela Universidade Estadual do Centro Oeste, PR (2009), Especialização em Estatística e Modelagem Quantitativa pela Universidade Federal de Santa Maria (2014) e Doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria, RS (2014). Atuou como Professor contratado sob o regime CLT (2004-2007) no Colégio Florestal de Irati nos seguintes Cursos: Técnico Florestal, Técnico em Meio Ambiente e Técnico em Segurança do Trabalho. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Manejo Florestal, Sensoriamento Remoto, GIS, Fotointerpretação. Lecionou as seguintes disciplinas (Nível Técnico): Topografia, Tecnologia e Industrialização da Madeira, Técnicas de Educação Ambiental, Sistema de Gestão Ambiental, Estudos de Impacto Ambiental, Desenho Técnico, Sociologia, Matemática Financeira, Estatística Aplicada ao Manejo Florestal, Informática Aplicada, Agroecologia Rural, Técnicas de Prevenção e Combate a Sinistros, Ergonomia, Produtos Florestais Não Madeiráveis, Incêndios Florestais. Atuou como Gerente Florestal nas Áreas de Manejo Florestal, Silvicultura, Colheita, Manutenção de Estradas,Transporte Florestal e Planejamento (2008-2009). Faz parte do Conselho Editorial da Revista Ambiência, do Setor de Ciências Agrárias e Ambientais da Universidade Estadual do Centro Oeste - Unicentro, como Avaliador/Revisor, desde 25 de outubro de 2010 e da Revista Amazonian Journal of Agrucultural and Environmental Sciences da Universidade Federal Rural do Amazonas, desde janeiro de 2013. Tem experiência na área de Geotecnologias e Manejo Florestal. Atualmente é professor Adjunto I na Área de Manejo Florestal na Universidade Federal do Piauí, no Curso de Engenharia Florestal, onde Leciona as disciplinas de Dendrometria, Inventário Florestal, Manejo Florestal, Sensoriamento Remoto e Análise de Regressão Aplicado a Ciências Agrárias no Programa de Pós Graduação em Fitotecnia nível de Mestrado.

João Batista Lopes da Silva, Professor na Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Paulo Freire (Teixeira de Freitas).

Professor na Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Paulo Freire (Teixeira de Freitas). Graduado em Engenharia Agrícola e Ambiental pela Universidade Federal de Viçosa (2004), Mestre em Engenharia Agrícola, na área de Recursos Hídricos e Ambientais, pela Universidade Federal de Viçosa (2006) e Doutor em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa, na área de Recursos Hídricos e Ambientais (2010), Pós-Doutor em Meteorologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2012). Possui experiência nas áreas de hidrologia, conservação de água e solo, manejo água-planta, modelagem ambiental, sistemas de informações geográficas, sensoriamento remoto e mudanças climáticas.

Francisco Rodolfo Junior, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação e mestrado em Agronomia pelo Centro de Ciências Agrárias - UFPB (2005 e 2007, respectivamente). Foi professor substituto do CCTA/UATA da Universidade Federal de Campina Grande no período de 2006 à 2008. Atualmente é Professor da Universidade Federal do Piauí, no Campus Cinobelina Elvas, Bom Jesus-PI; Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da UnB.

Vicente Toledo Machado de Morais Junior, Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, Minas Gerais, Brasil.

Possui ensino-medio-segundo-grau pelo Colégio Magnum Agostiniano (2008) . Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal. Graduação em andamento em Engenharia Florestal. Universidade Federal de Viçosa, UFV, Brasil. Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, Minas Gerais, Brasil.

Clebson Lima Cerqueira, Universidade Federal de Meto Grosso (UFMT)

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Piauí (2015). Mestrando em ciências florestais e ambientais, área de concentração manejo florestal, pela Universidade Federal do Mato Grosso. De 2010 a 2014 integrou como tutorando/bolsista, o Programa de Educação Tutorial (PET-MEC/SESu) - Intervenção Socioambiental em Uruçuí-Una. Foi monitor e co-autor do projeto vencedor da 15ª edição do Prêmio Santander Universidade Solidária (2013-2015). Foi membro associado da Empresa Júnior de Engenharia Florestal do Piauí (EfloPI). Tem experiência na área de recursos florestais e engenharia florestal, com ênfase em manejo e mensuração florestal, estudos fitossociológicos, dendrometria e inventário florestal.

Referências

ABRAF. Anuário estatístico ABRAF 2013 ano base 2012. Brasília: ABRAF, 2013. 148p.

ASSAD, M. L. L.; HAMADA, E.; CAVALIERI, A. Sistemas de Informações Geográficas na avaliação da aptidão agrícola de terras. In: ASSAD , M. L. L.; SANO, E. E. Sistema de informações geográfic a s: Aplicações na agricultura. Brasília: EmbrapaCPAC, 1998. p.191-232.

BISPO, P. C.; VALERIANO, M. M.; KUPLICH, T. P. Relação entre as variáveis morfometrias extraídas de dados SRTM (Shuttle Radar Topography Mission) e a vegetação do Parque Nacional de Brasília. Acta Botânica Brasileira, Belo Horizonte, v.24, n.1, p.96-103, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062010000100010

CHAVES, I. B.; FRANCISCO, P. R. M.; LIMA, E. R. V. Classificação das terras para mecanização agrícola e sua aplicação para o estado da Paraíb a . In: REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA, 18, 2010, Teresina. Anais... Teresina: SBCS, 2010.

CHAVES, M. E. D.; DIAS, R. E. B. A.; CUNHA, J. P. B.; RAMIREZ, G. M. Utilização de mapas de declividade para a inferência de aptidão à mecanização agrícola cafeeira em Campos Gerais e Machado, MG. In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 8, 2013, Salvador. Anais... Brasília: Embrapa Café, 2013.

BRASIL. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parn a íba – CODEVASF. Plano de Ação para o Desenvolvimento Integrado da Bacia do Parnaíba, PLANAP: síntese executiva: Programa de Desenvolvimento Florestal do Vale do Parnaíba-PI. Brasília: TDA Desenhos & Arte Ltda, 2006. 96p.

FRANCELINO, M. R.; REZENDE, E. M. C.; SILVA, L. D. B. Proposta metodológica para zoneamento ambiental de plantio de eucalipto. Cerne, Lavras, v.18, n.2, p.275-283, 2012.

FRANCISCO, P. R. M.; CHAVES, I. B.; LIMA, E. R. V.; SANTOS, D. Tecnologia da geoinformação aplicada no mapeamento das terras à mecanização agrícola. Revista Educação Agrícola Superior, Brasília, v.29, n.1, p.45-51, 2014. http://dx.doi.org/10.12722/0101-756X.v29n01a12

GONÇALVES, G. L; MONTEIRO, M. S. L. O. Estudo Prévio de Impacto Ambiental e a Adequação Ambiental de Empreendimentos Agrícolas nos Cerrados Piauienses. In: ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA ECOLÓGICA, 7, 2007, Fortaleza. Anais... Brasília: ECOECO, 2007.

LEÃO, F. J. C.; MONTEIRO, M. S. L. Gestão dos Recursos Hídricos e a ocupação e uso da bacia hidrográfica do Rio Uruçuí-Preto no Cerrado Piauiense. In: ENCONTRO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA ECOLÓGICA, 7, 2009, Cuiabá. Anais... Brasília: ECOECO, 2009.

LIMA, J. S. S.; SOUZA, A. P.; MACHADO, C. C.; PEZZOPANE, J. E. M.; AREAS, M. L. Estimativas das estabilidades longitudinal e transversal de tratores florestais utilizados na colheita de madeira. Revista Árvore, Viçosa, v.28, n.6, p.839-844, 2004.

MENEZES, M. D.; CURI, N.; MARQUES, J. J.; MELLO, C. R.; ARAÚJO, A. R. Levantamento pedológico e sistema de informações geográficas na avaliação do uso das terras em subbacia hidrográfica de Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.33, n.6, p.1544-1553, 2009.

PEDRON, F. A.; POELKING, E. L.; DALMOLIN, R. S. D.; AZEVEDO, A. C.; KLANT, E. A aptidão de uso da terra como base para o planejamento da utilização dos recursos naturais no município de São João do Polêsine – RS. Ciência Rural, Santa Maria, v.36, n.1, p.105-112, 2006. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782006000100016

PEREIRA, D. P.; FIEDLER, N. C.; LIMA, J. S. S.; GUIMARAES, P. P.; MORA, R.; CARMO, F. C. A. Eficiência da subsolagem na profundidade de preparo do solo em função da declividade do terreno. Cerne, Lavras, v.18, n.4, p.607-612, 2012.

SANTOS, A. R.; PELUZIO, J. B. E.; PELUZIO, T. M. O.; SANTOS, G. M. A. D. A. Geotecnologias aplicadas aos recursos florestais. 2.ed. Alegre: CAUFES, 2012. 249p.

SILVA, R. P.; NOGUEIRA, M. A. S, ASSIS, L. C. Uso de SIG para determinação de áreas potenciais a mecanização da cultura do café arábica na região de Nova Ponte-MG. In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 2, 2001, Vitória. Anais... Brasília: Embrapa Café, 2001. 181p.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Como Citar

França, L. C. de J., Lisboa, G. dos S., Silva, J. B. L. da, Rodolfo Junior, F., Morais Junior, V. T. M. de, & Cerqueira, C. L. (2016). SUITABILITY FOR AGRICULTURAL AND FORESTRY MECHANIZATION OF THE URUÇUÍ-PRETO RIVER HYDROGRAPHIC BASIN, PIAUÍ, BRAZIL. Nativa, 4(4), 238–243. https://doi.org/10.31413/nativa.v4i4.3433

Edição

Seção

Notas Técnicas / Technical Notes

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>