Diretrizes para implantação de um sistema de saúde e segurança do trabalho em empresas produtoras de álcool em gel

Autores

DOI:

10.18607/ES20211011776

Resumo

O súbito aumento da demanda por higienizantes e sanitizantes, ocasionado pela pandemia de COVID-19, desencadeou um crescente aumento no número de empresas produtoras de sanitizantes para as mãos, principalmente, álcool em gel. Dificuldades na elaboração, desenvolvimento e operação do processo produtivo, aliado à insegurança dos colaboradores no desempenho de suas atividades podem ser desafios que interferem na capacidade destes empreendimentos em produzir processos, produtos e um ambiente de trabalho de qualidade. Dentro deste contexto, os sistemas de saúde e segurança do trabalho podem desempenhar um papel fundamental no posicionamento estratégico e no desenvolvimento sustentável de uma empresa, além de contribuir para motivação e bem estar de seus colaboradores, gerando bons resultados e competitividade. Este trabalho teve como objetivo elaborar diretrizes para implantação de um sistema de saúde e segurança do trabalho voltado para o processo produtivo de álcool em gel e para o manuseio das matérias primas utilizadas no processo. Para tanto, um estudo de caso foi realizado em uma fábrica deste sanitizante, utilizando-se da metodologia da Análise Preliminar de Risco. O estudo demonstrou que o álcool, o polímero e o neutralizante utilizados na produção devem receber atenção e o processo produtivo deve se adaptar à natureza destas substâncias. Além disto, a etapa do processo produtivo denominada elaboração do álcool em gel, deve obedecer a procedimentos quanto ao armazenamento e o manuseio das matérias primas, que são determinantes para gerar uma produção eficiente e segura.

Downloads

Publicado

2021-04-03

Edição

Seção

Engenharia