Etnografia e fluxo transnacional: congoleses em seus trânsitos

Autores

  • Mariana Batista dos Santos PPGA/UFF - Programa de Pós-Graduação em Antropologia / Universidade Federal Fluminense

Resumo

O artigo busca, a partir de dois contextos etnográficos, refletir questões envolvendo fluxos transnacionais de congoleses dentro e fora do Brasil, abordando as macropolíticas com que se relacionam e a produção de conhecimentos em meio a estes fluxos.  

Biografia do Autor

Mariana Batista dos Santos, PPGA/UFF - Programa de Pós-Graduação em Antropologia / Universidade Federal Fluminense

PPGA/UFF - Programa de Pós-Graduação em Antropologia / Universidade Federal Fluminense. Antropologia Social

Referências

GUEDES, Simoni Lahud. O Brasil no campo do futebol: estudos antropológicos sobre os significados do futebol brasileiro. Rio de Janeiro: EDUFF, 1998.

LECHINI, Gladys. O Brasil na África ou a África no Brasil? A construção da política africana pelo Itamaraty. Nueva Sociedad, vol. Especial Brasil, 2008.

MUNGOI, Dulce Maria Domingos Chale João. “O mito atlântico”: relatando experiências singulares de mobilidade dos estudantes africanos em Porto Alegre no jogo de construção e reconstrução de suas identidades étnicas. Mestrado em Antropologia Social. PPGAS/UFRGS, 2006.

PEIRANO, Mariza. A favor da etnografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995.

SAYAD, Abdelmalek. A imigração: ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: EDUSP,

SARAIVA, Flávio Sombra. A busca de um novo paradigma: política exterior, comércio externo e federalismo no Brasil. Rev. Bras. Polít. Int. 47 nº2: 131-162, 2004.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

VIVEIRO DE CASTRO, Eduardo. O campo na selva, visto da praia. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992, p. 170-190.

Downloads

Publicado

2020-09-21

Edição

Seção

Dossiê Temático: Experiências de campo e localizações etnográficas