Chamada de Artigos - Dossiê Temático Epistemologias, Metodologias e Questões Éticas em Pesquisas com Abordagens em Diversidades Sexuais e de Gênero

2020-09-29

DOSSIÊ TEMÁTICO

Epistemologias, Metodologias e Questões Éticas em Pesquisas com Abordagens em Diversidades Sexuais e de Gênero (v. 8, n. 16, 2021)

 

COORDENADORxS:

Estevão Fernandes – UNIR e PPGAS/UFMT

Mariane Pisani - UFT

Moisés Lopes – PPGAS/UFMT

Simone de Oliveira Mestre – UNIFAL-MG e PPGS/UFMG

A Aceno – Revista de Antropologia do Centro-Oeste (ISSN: 2358-5587– Qualis A3), publicação eletrônica semestral de caráter público, ligada ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Mato Grosso, convida membros da comunidade acadêmica e pesquisadores a apresentarem artigos ao dossiê temático Epistemologias, Metodologias e Questões Éticas em Pesquisas com Abordagens em Diversidades Sexuais e de Gênero, a ser publicado em sua edição de número 16 (v. 8, 2021), conforme proposta abaixo.

PRAZO FINAL DE SUBMISSÃO: 30 de janeiro de 2021

Este dossiê busca congregar pesquisas e reflexões em torno das diversidades sexuais e de gênero, com especial foco nos debates a respeito de outras possibilidades de desenvolvimento de investigações que problematizem o ponto de vista teórico-metodológico e ético constituído a partir da história colonial do Ocidente.  Neste sentido, buscamos contribuições que dialoguem com os estudos feministas, LGBTs, com as leituras pós-coloniais, teoria queer e/ou tomem como ponto de discussão as epistemologias, metodologias e questões éticas que envolvam pesquisas com abordagem em diversidades sexuais e de gênero.  Muito já se tem escrito sobre a necessidade de descolonizar essas abordagens, seja a partir de uma “epistemologia cucaracha” de uma “teoria cú” (Pelúcio, 2014); do “queer decolonial” (Pereira, 2015); do “queer caboclo” (Fernandes e Gontijo, 2016) ou mesmo das discussões que envolvem o feminismo decolonial (Gonzalez, 1988; Lugones, 2008; Segato, 2013....): todas essas reflexões se tornaram relevantes e fundamentais para compreensão das questões que envolvem as diversidades sexuais e de gênero no chamado Sul Global.  Desse modo, neste dossiê, buscamos provocar diálogos que rompam com uma visão heterocentrada, falogocêntrica, metropolitana, normativa e colonizadora das diversidades sexuais e de gênero com o intuito de tensionar as produções desenvolvidas a partir das realidades brasileiras e latino-americanas, buscando uma ampliação crítica e perturbadora do status quo dessas investigações. Assim, a partir desses pressupostos e debates/embates, acolheremos contribuições que possibilitem tanto a exploração de temas e problemas já consolidados pelo campo de estudos sobre diversidades sexuais e de gênero quanto - e principalmente - sua ampliação.